07 de maio, de 2024 | 20:00

Chuva no RS: mortes chegam a 95; 1,4 milhão de pessoas são atingidas

80% das cidades gaúchas sofreram danos com os temporais

Com informações da Agência Brasil
A tragédia da chuva no Rio Grande do Sul provocou 95 mortes até agora, sendo que quatro casos estão em avaliação. O governador Eduardo Leite confirmou que 131 pessoas estão desaparecidas. Pelo menos, 401 cidades foram afetadas, o que representa 80,6% do total de 497 cidades gaúchas.
Reprodução de vídeo
O estado enfrenta a pior cheia da história com mais de 60% dos municípios atingidos por fortes chuvasO estado enfrenta a pior cheia da história com mais de 60% dos municípios atingidos por fortes chuvas


Em entrevista à imprensa nesta terça-feira (7), o governador classificou a situação de “catástrofe”. Além disso, 48.799 pessoas deixaram suas casas e estão em abrigos.

No entanto, o governo contabiliza um total de 159.036 cidadãos na condição de desalojados. O desastre deixou, até o momento, 1,4 milhão de pessoas afetadas pelo desastre. O Rio Grande do Sul tem 10,8 milhões de habitantes, segundo o censo de 2022 do IBGE.

“O tamanho da crise no Rio Grande do Sul é o que especialmente torna essa situação difícil de tratarmos. Praticamente todo o estado está atingido de alguma forma”, lamentou o governador. Ele disse que os números estão se elevando a cada dia, mas que os dados podem estar “imprecisos”.

Queda de temperatura
A previsão é de queda das temperaturas a partir da noite de quarta-feira (8) e quinta-feira (9) com estimativa de chuva forte na zona sul do estado.

“Há uma primeira projeção de que, entre sexta-feira e domingo, nós voltemos a ter chuvas muito fortes na metade norte do estado, com incidência nos rios que já se elevaram e que já provocaram todos esses estragos”, disse o governador. O governador pede que as pessoas ainda não voltem para suas casas, pois há risco de novas enchentes.

Notícias falsas
O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom), Paulo Pimenta, pediu nesta terça-feira (7) a abertura de investigação de influenciadores digitais e contas em redes sociais na internet que vêm disseminando informações falsas sobre o trabalho de resgate de pessoas e sobre a recuperação dos estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul. Em ofício enviado ao ministro Ricardo Lewandowski, da Justiça e Segurança Pública, Pimenta cita "narrativas desinformativas e criminosas" que causam impacto no aprofundamento da crise social vivida pela população gaúcha. Abaixo, imagens de drone mostra Porto Alegre:



Brasil precisa do Rio Grande do Sul recuperado, diz Lula



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira (7) que não faltarão recursos federais para atender às necessidades do Rio Grande do Sul, estado fortemente atingido por temporais e enchentes desde o fim de abril.

“O Brasil deve muito ao Rio Grande do Sul. É um estado muito importante do ponto de vista artístico, cultural, do trabalho, da nossa cultura. O que vamos fazer é devolver ao Rio Grande do Sul o que ele merece que seja devolvido para poder tocar a vida”, afirmou.

Em entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Presidente, produzido pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Lula destacou que a meta do governo federal é não permitir que a burocracia crie entraves para a liberação de recursos ao estado.
Reprodução de vídeo
Lula: Lula: " O que vamos fazer é devolver ao Rio Grande do Sul o que ele merece que seja devolvido para poder tocar a vida"

“A dificuldade inicial é que nenhum prefeito, o governador disse isso com todas as letras no último domingo, tem noção do estrago que foi feito. Por enquanto, as pessoas imaginam, pensam. Mas a gente só vai ter o estado real quando a água baixar e a gente ver o que aconteceu de fato no Rio Grande do Sul.”

Sobre o projeto de decreto legislativo, enviado pelo governo federal, que reconhece o estado de calamidade pública no Rio Grande do Sul e já aprovado pela Câmara dos Deputados, Lula avaliou que a proposta é iniciar a liberação de recursos por meio dos ministérios.

“O Ministério da Saúde pode liberar recurso, o Ministério da Integração Nacional, o Ministério da Educação. Vai liberando recurso de acordo com as necessidades fundamentais que são colocar a criança na escola, colocar as pessoas no hospital, a compra de remédio, de combustível, de água, de comida. Esse dinheiro vai saindo normalmente pelo ministério, sem muita burocracia.”

“O que eu posso garantir é que há 100% de vontade da Câmara, do Senado, do Tribunal de Contas e do Poder Judiciário para que a gente facilite o máximo possível os recursos”, disse. “Os ministérios têm estrutura nos estados, mas queremos trabalhar junto com as secretarias do estado”, completou, ao citar a recuperação de estradas federais e mesmo estaduais.

“O emergencial vai ser liberado a partir de hoje. Vários ministérios já têm autorização para começar a liberar os recursos iniciais para os primeiros socorros. Depois, a gente vai trabalhar junto com o governador um projeto”, concluiu.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Célio Cunha

08 de maio, 2024 | 12:03

“Caro redator, quem recebe; salários, subsídios, soldos etc. Não são heróis, mas sim, cumpridores dos seus ofícios. Tragédias: Heróis de Verdade
Em Brumadinho, Mariana, Alagoas, Bahia e agora no Rio Grande do Sul, a dor se repete. Mas em meio ao caos, surge a esperança: a força da comunidade.

Heróis sem capa, movidos pela empatia e amor ao próximo, são os voluntários e as ONGs que doam tempo, suor e lágrimas para salvar vidas e reconstruir lares.

Bombeiros, policiais e militares, cumprindo seu dever com bravura, também merecem nosso reconhecimento. Mas não os chamem de heróis solitários. Eles são peças essenciais de um sistema que precisa ser aprimorado para evitar novas tragédias.

Precisamos cobrar das autoridades prevenção eficaz, para que a dor e o luto não se tornem rotina.

Juntos, com empatia e responsabilidade, podemos construir um futuro mais seguro e justo para todos.”

Mineiro

07 de maio, 2024 | 14:28

“Nessa hora onde estão os separatistas gaúchos que querem separar o Sul do resto do país, criando uma nação sulista...? Aqueles mesmos que dizem que o sul é tão independente e rico que não precisa do resto do país, onde estão? Que dessa tragédia nasça uma nova consciência coletiva...”

Anti Mico

07 de maio, 2024 | 11:33

“Uai, não estou entendendo, pois tem muitos falando por aí que o governo federal não está ajudando, estão falando que só o Zema está ajudando. Difícil ver estes bolsominion não enxergarem a realidade!!! Só para lembrar tem muita gente do nordeste ajudando o sul!!! Coisas da vida né!!!”

Envie seu Comentário