07 de maio, de 2024 | 06:00

Primeira vez

Fernando Rocha

Quando entrar em campo hoje, 21h30, para enfrentar o Alianza Petrolera, na Colômbia, pela quarta rodada da Copa Sul-Americana, o Cruzeiro vai começar a escrever uma nova página de sua história centenária.

Este não será um jogo qualquer, mas a primeira vez que a equipe celeste vai jogar sob a direção da nova SAF, agora tendo o empresário Pedro Lourenço como maior acionista; Alexandre Mattos, CEO de futebol; Edu Dracena, ex-jogador do clube, como novo diretor técnico; Paulo Pelaipe no cargo de diretor executivo.

Ainda sem vencer na competição, a Raposa está na terceira colocação do Grupo B, com apenas três pontos conquistados e quatro a menos que a Universidad Católica, do Equador, que lidera o grupo, e um a menos que o segundo colocado, Union La Calera, do Chile.

Como apenas o líder avança direto à próxima fase, enquanto a equipe que terminar na segunda colocação enfrenta um dos terceiros colocados da Libertadores, o resultado deste jogo de hoje contra o Alianza irá impactar diretamente na sequência do time na competição.

Jogo tenso
O Galo tem um jogo tenso e difícil hoje, às 19h, pela 4ª rodada da fase de grupos da Libertadores, contra o Rosário Central, na Argentina, mesmo sem torcida presente no estádio.

Em recente jogo contra o Peñarol do Uruguai, torcedores do Rosário agrediram os do time uruguaio e até um jogador da equipe adversária foi atingido por uma pedrada no rosto.

O Galo vem de empate fora de casa, em 2 x 2, com o Fluminense pelo Brasileiro, depois de estar perdendo por 2 x 0, o que, pelas circunstâncias, não deixou de ser um bom resultado e manteve o time no G-4 da maior competição nacional.

Uma vitória hoje sobre o Rosário, na Argentina, pode assegurar a classificação antecipada à próxima fase, além de manter o alvinegro na briga pela melhor campanha geral, que pode lhe valer o direito de decidir em casa o segundo jogo de mata-mata até a semifinal.

FIM DE PAPO

O Campeonato Brasileiro da Série A está apenas no começo, com cinco rodadas disputadas, além de estar prejudicado pelos vários jogos adiados, em razão das disputas de copas regionais e por conta da tragédia vivida pelos gaúchos. Após as dez primeiras rodadas é que teremos uma visão completa da situação sobre quem é quem na disputa, mas, com a metade deste caminho percorrido, não há dúvida que o Galo de Milito e seu xará paranaense, comandado por Cuca, estão praticando o melhor futebol entre todos os concorrentes.

Apesar da recorrente ruindade das arbitragens, temos visto bons jogos com a possibilidade de quatro a seis times brigarem diretamente pelo título, o que torna a maior e mais importante competição do nosso calendário uma das mais difíceis e disputadas, em comparação com outros grandes centros do futebol mundial.

Na zona de rebaixamento, a surpresa é o Vasco da Gama, que até agora soma 4 derrotas em cinco jogos, uma campanha pífia que já custou o cargo do técnico Ramon Dias e causa uma enorme decepção à sua torcida. O insucesso do “gigante da colina”, um dos clubes mais tradicionais e de maior torcida no país, traz à discussão o trabalho feito pelas SAFs no futebol brasileiro, muito longe de ser unanimidade como solução para clubes falidos.

O Palmeiras estuda proposta feita pelo Chelsea da Inglaterra para levar o garoto Estevão, pagando algo em torno de R$ 218 milhões. Também chamado de Messinho, quando iniciou aos 10 anos de idade na base do Cruzeiro, o garoto agora com 16 anos foi levado para o Palmeiras por empresários, que aproveitaram o caos administrativo e financeiro vivido pelo clube celeste antes de virar SAF. O presidente na época, Sérgio Santos Rodrigues, não teria aceitado 20% do passe de Messinho e decidiu ir à Justiça para anular a sua ida ao Palmeiras. O Cruzeiro perdeu o pleito na Justiça e agora pode ficar sem R$ 44 milhões, que lhe caberia se a venda aos ingleses for concluída. (Fecha o pano!)

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário