Expo Usipa 2024 02 - 728x90

17 de abril, de 2024 | 17:00

Mulher presa por levar homem morto a banco revela à polícia 'forte desejo do idoso para sacar empréstimo de R$ 17 mil

A mulher presa por levar um idoso já morto a uma agência de banco em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, disse em depoimento na Delegacia de Polícia Civil, que queria sacar R$ 17 mil de um empréstimo feito pelo homem para satisfazer desejos do suposto tio, Paulo Roberto Braga, de 68 anos.
Reprodução de vídeo
Presa por levar homem morto a banco, Érika de Souza revela à polícia forte desejo do idoso para sacar empréstimo de R$ 17 milPresa por levar homem morto a banco, Érika de Souza revela à polícia forte desejo do idoso para sacar empréstimo de R$ 17 mil


A investigação ainda não concluiu se Érika de Souza Vieira Nunes, 42 anos, é de fato além de cuidadora e vizinha de Paulo, sua sobrinha.

Já com uma advogada constituída, a suposta sobrinha de Paulo afirmou que o idoso chegou vivo ao banco e morreu durante o atendimento.

Entretanto, imagens de câmeras de segurança já no estacionamento do banco mostram que ela tentou manter a cabeça dele ereta. Também durante a tentativa de assinatura do empréstimo, a mulher aparece segurando a cabeça do idoso. O Samu atestou que a morte tinha ocorrido pelo menos duas horas antes. Entre indignação e piadas, a fala dela no atendimento do banco: "Assina aí, Tio Paulo", virou meme.
[imageme108685]

O que diz a polícia e a advogada da mulher?


O delegado Fábio Luiz, responsável pelo caso, disse que o esclarecimento - se a vítima já chegou morta ao banco ou morreu dentro da agência - altera pouco o crime investigado.

"Isso interfere pouco na investigação. O próprio vídeo deixa claro para quem está vendo, por imagem, que aquela pessoa está morta. Imagine ela que não apenas está vendo, mas vendo e tocando. Só o fato de ela ter dado continuidade, mesmo com ele morto, já configura os crimes pelos quais ela vai responder", disse nessa quarta-feira (17) Fábio Luiz, em entrevista ao Repórter Brasil Tarde, da TV Brasil.

A advogada de Érica, Ana Carla de Souza Correa, afirma que o homem estava vivo quando chegou ao banco, e que sua cliente se encontrava em estado emocional abalado e sob efeito de remédios. Em depoimento à Polícia Civil, Érica disse que foi à agência bancária levada por um motorista de aplicativo.

Homem tinha manifestado vontade de comprar TV
No depoimento na delegacia, Érika relatou que Paulo queria comprar uma televisão e fazer algumas obras em sua casa. Por isso, o levou ao banco para sacar o empréstimo após o idoso ter alta hospitalar de uma internação decorrente de pneumonia.

Após deixar o hospital, Paulo Roberto passou a receber os cuidados da suposta sobrinha e teria mostrado interesse em sacar o dinheiro via empréstimo obtido no fim de março. Também no depoimento, Érika relatou ter chamado um carro de aplicativo e o motorista ajudado no embarque e desembarque do idoso, acomodado em uma cadeira de rodas.

A polícia agora procura o motorista para ele também depor. O Samu atestou a morte de Paulo Roberto como ocorrida duas horas antes de chegar à agência bancária, por conta de manchas escuras na pele, os livores, resultado de acúmulo de sangue ou falta da substância. Já Érika permanece presa acusada de "vilipêndio de cadáver". Trata-se de um crime previsto no artigo 212 do Código Penal Brasileiro. A pena para esse delito é de 1 a 3 anos e, na prática, o infrator não vai preso, apenas paga multa e cumpre, no máximo, prisão domiciliar.

OBS: ✋👉Imagem forte. Se você for sensível, não dê play no vídeo
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Zé de Minas

18 de abril, 2024 | 14:25

“Vai estar no BBB25 com milhões de idiotas e analfabetos seguidores.”

Heavenraiser

18 de abril, 2024 | 12:03

“Para o Timotense:

O playboy fugiu do flagrante, os policiais foram bem coniventes com o caso, já esta senhora FOI em flagrante...
Tem uma diferença enorme no caso aí.”

Timotense

18 de abril, 2024 | 09:14

“Sendo pobre e negra já foi julgada e condenada pela justiça, enquanto o play Boy da lamburguine bêbado matou o trabalhador na ZL de são Paulo foi negado a prisão pela justiça, é uma balança com dois pesos.”

Hellraiser

17 de abril, 2024 | 22:19

“Brasileiro não tem limite...sempre armam um jeito de passar a perna...mas com banco a brincadeira não termina bem.”

Envie seu Comentário