Expo Usipa 2024 02 - 728x90

23 de fevereiro, de 2024 | 00:01

Festival no Parque Ipanema divulga artistas da cena urbana

Fotos: Coletivo VDA/Divulgação
Batalha da V.I, no bairro Ideal: evento na cena urbanaBatalha da V.I, no bairro Ideal: evento na cena urbana
Neste próximo domingo (25), a partir das 16h, no teatro de arena do Parque Ipanema, em Ipatinga, está agendado o primeiro festival “Da Rua Aos Palcos”. Oriundo do projeto “Sarau Autoral”, a iniciativa pretende marcar “uma nova etapa para a produção underground do VDA”, conforme divulgação do coletivo.

Gabriel Poeta, idealizador e coordenador geral do festival, afirma que o “Da Rua Aos Palcos” foi idealizado visando construir caminhos que ampliem “a profissionalização dos artistas urbanos que antes lutavam por pequenos espaços no cenário artístico do Vale do Aço”. O ativista explica que mesmo tendo participado de outros projetos com a nomenclatura de “cultura urbana” a maioria era recebida como “amador” de eventos. “Nosso festival reconhece a trajetória desses artistas, sua potência, e busca ampliar, de fato, os processos de profissionalização dos mesmos”, adianta.

Programação plural
Contando com uma “programação plural”, o festival vai reunir diversas atrações que abrangem toda a cultura underground presente na cena regional. Shows com artistas de rap e funk, apresentações de monólogos, exposição de arte, declamação de poesia e a conhecida batalha de MC’s, com a participação exclusiva de artistas do Vale do Aço.

O festival é realizado em parceria com o artista Talisson Rian, o Talikinho, idealizador e produtor da Batalha Da V.I, projeto que acontece na Praça Janet Clair, no bairro Ideal. Para Talikinho, que também assina a produção do evento, “é de extrema importância que os agentes e mobilizadores da cultura urbana da região sejam vistos como de fato são: artistas”. “O rap é potência, vive e emana de onde vivemos, o festival é apenas um pontapé inicial do que está por vir. Isso é por todos que fizeram e ainda fazem com que a cultura urbana viva e se perpetue inabalável até hoje, é por ‘nóis’! Mas respeito a todos que construíram a base do rap em Ipatinga e nas cidades em volta. Já estava mais que na hora do hip-hop no Vale do Aço, que já possui uma longa trajetória, ser valorizado”, anuncia.

Em cena estarão 26 artistas, em diversas áreas da arte urbana: na música, com Jaísa Caldas, Carmem Kemoly, The Sete, Rude Boy, Preta Lua e Ruan Sincero; na poesia, com Kadosh Miranda e Chagas; nas artes visuais, com Temmie e Meli; na batalha de rima, com Ray MC, Preta Lua, Dizus THL, Afro MC, Walbim MC, Dallon, WR, 2B MC, Alemão, Chagas, Jotaaga, Cachorro Loko, FLV, Dave e Play MC. Os mestres de cerimônia do evento serão Gabriel Poeta, Talikinho e Matí Lima.

Matí, Talikinho e Gabriel Poeta na produção undergroundMatí, Talikinho e Gabriel Poeta na produção underground
“Nada de nós sem nós”
Para Matí Lima, produtor executivo do festival, o projeto sinaliza uma grande oportunidade para o poder público, assim como para a iniciativa privada, “modificar o olhar sobre a produção cultural urbana e underground”. “Muito tem se falado em representatividade e protagonismo, e na arte não tem sido diferente. O que mais vemos no Brasil são projetos que utilizam a cultura urbana para compor sua programação, entretanto, não coloca seus artistas em posições estratégicas e de tomada de decisão nesses projetos desde sua concepção”, avalia o produtor. “Precisamos praticar ‘o nada de nós sem nós’”, completa.

De acordo com os produtores do evento, o DaRua Aos Palcos “é uma proposta idealizada e realizada em sua totalidade por artistas que, de fato, vivenciam e fortalecem a cultura urbana, de forma a incidir na democratização de acesso aos bens culturais, continuamente”. “Isto é importante para que o público geral, a iniciativa privada e o poder público diferenciem os projetos realizados que constroem a cultura urbana dos que utilizam a cultura urbana. Os dois modelos de produção existem e são legítimos; entretanto não são a mesma coisa. Queremos nossa arte ocupando todos os espaços; principalmente queremos que os projetos idealizados por nós também sejam incentivados e patrocinados, afinal os artistas urbanos também fazem parte da cadeia produtiva da economia criativa, são produtores e gestores capacitados, e não apenas prestadores de serviços”, reivindicam.

O projeto é realizado com recursos da Lei Paulo Gustavo, repassados por intermédio da Prefeitura de Ipatinga, da Secretaria Municipal de Esporte Cultura, Esporte e Lazer, do Fundo Municipal da Cultura, com apoio do Ministério da Cultura e do Governo Federal. A participação do público em toda a programação é gratuita.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário