05 de fevereiro, de 2024 | 14:00

Chico Simões confirma que, legalmente, continuará como presidente do Social

Arquivo DA
Chico Simões informa que retornar à presidência do Social é uma ação legal, prevista no estatutoChico Simões informa que retornar à presidência do Social é uma ação legal, prevista no estatuto

Chico Simões afirmou ao Diário do Aço nesta segunda-feira (5) que não reconhece as deliberações da reunião realizada na manhã de domingo (4) no auditório do hotel Panorama, para discutir a situação do Social. De acordo com ele, havia apenas dois conselheiros de fato no local, o presidente do Conselho Deliberativo Raimundo Pinheiro e ngelo Augusto Sena. Os demais, conforme relatou Chico Simões, “não são conselheiros do clube, conforme tem documento em cartório”. Daí porque não terem qualquer valor as decisões ali tomadas.

Simões, eleito em 2020 e cujo mandato é previsto para se encerrar em julho próximo, estava licenciado por tempo indeterminado do comando do Saci desde junho de 2021. Segundo ele, não há nada no estatuto que o impeça de retornar à presidência, pois a licença não previu prazo de vencimento.

Além disso, a tal Junta Governativa Provisória era igualmente sem sentido de ter sido criada e sequer é prevista no estatuto, pelo fato de o clube, à época, ter um vice-presidente eleito, Pedrinho. A morte dele é que ocasionou a vacância, provocando o comunicado do retorno de Chico Simões e, por outro lado, um movimento contrário a tal iniciativa.

Dívidas e retomada
Simões informou, ainda, que durante todo seu mandado foi o presidente que mais quitou dívidas do clube. “Quando assumi, as dívidas sobrepunham as receitas, tive que me virar para honrar os compromissos, o principal deles o Refis junto à Receita Federal; caso fosse interrompido este pagamento, o Social iria à insolvência”, afirmou.

Disse, ainda, que uma ação junto à Receita Federal mudou recentemente o status dessa dívida do clube, sendo seu montante reduzido, bem como a parcela mensal, que saiu de R$ 67 mil para pouco mais de R$ 45 mil mensais. “A partir daí, vejo que o clube pode ser viável para tocar projetos com os pés no chão, que não inviabilizem a sua sobrevivência; nada de futebol profissional por enquanto, que é muito caro e inviável neste momento do clube”, pontuou.

Simões anunciou que, no seu retorno à direção do clube, terá três ações imediatas. “Buscar o laudo do Corpo de Bombeiros (AVCB) do estádio, vencido há tempos; recuperar a estrutura do Louis Ensch, como limpeza, melhorias nos vestiários, alambrados e demais dependências para termos as mínimas condições de receber qualquer evento; e buscar a criação de uma categoria de base, para um verdadeiro recomeço no nosso departamento de futebol”, disse.

“Futebol profissional, nos dias atuais, é inviável, extremamente caro para clubes do interior e a mínima sem estrutura. Para se ter uma ideia, o último jogo do Social em casa, de portões fechados (já estava sem o AVCB), tivemos uma despesa de R$ 7 mil. E fiquei sabendo que o Ipatinga, por exemplo, pagou um borderô para um simples jogo contra o Pouso Alegre, no sábado passado, de R$ 28 mil. Como fazer futebol profissional desse jeito? Tem-se que se estruturar, criar condições. Por isso falar em Social profissional nesses tempos é ilusão. Isso é só para frente”, pontuou.

Eleição
Chico Simões informou, ainda, que a próxima eleição para direção do Social será chamada “no momento oportuno”. Primeiramente, pretende implementar as melhorias no Louisão, conseguir o laudo do Corpo de Bombeiros para depois falar em eleição.

“O Social não é meu, não é de nenhuma pessoa, é um patrimônio de Coronel Fabriciano, portanto deve ser tratado com responsabilidade e respeito. Eu estava afastado legalmente, mas com a triste morte do Pedrinho, eu retomo o cargo para cuidar deste um patrimônio invejável. Até então, eu não respondia pelo clube e não sabia o que estava acontecendo e nem em quais condições estavam as dependências. Pelo estatuto, legalmente, retorno à presidência, mas sabendo que o clube é da comunidade”, concluiu.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Mairon

06 de fevereiro, 2024 | 10:59

“Chico Simões e a sua incrível capacidade de manchar a história de Coronel Fabriciano. É impressionante como o que tudo que este senhor toca, dá errado.”

Envie seu Comentário