Expo Usipa 2024 02 - 728x90

20 de novembro, de 2023 | 14:40

Crônica: Fruta que partiu!

Nena de Castro *


Contam que certo gato conheceu um rato e sendo muito esperto, aplicou um 171 no ratinho, elogiou seu porte e esperteza, falou tanto da amizade e carinho que sentia por ele, convidando- o para viverem juntos. Certamente, disse o felino tudo daria certo, pois dois amigos tão leais e inteligentes levariam um vidão!

O ratinho, a princípio desconfiado, aquiesceu ao pedido e topou. Então o gato ponderou que precisavam fazer uma provisão para o inverno para não passar fome e depois, não seria bom que o pequeno amigo se aventurasse procurando comida. Afinal, decidiram comprar um pote de banha e escondê-lo e após refletir, o gato sugeriu a igreja, pois ninguém se atrevia a tirar qualquer coisa do local, principalmente se guardassem o pote debaixo do altar.

Ocorre que o gato depois de alguns dias, ficou doidim pela banha e avisou ao rato que sua prima tinha tido um filhote, era dia do batizado e ele seria o padrinho. O ratinho concordou em arranjar a casa sozinho e ficou cuidando de tudo. O gato então, foi à igreja, pegou o pote de banha e foi lambendo, deliciosamente, toda a parte de cima.

Depois, fez uma caminhada pelos telhados da cidade e se estirou sob o sol, lambendo os beiços a cada lembrança da deliciosa banha. Ao voltar para casa, o rato perguntou que nome o gatinho tinha recebido, e o felino respondeu: ah, ele se chama “Falta um Pouco”!

- Que nome esquisito, atípico, pensou o rato.

Dias depois, o gato deu outra crise de desejo e novamente informou ao amigo que haveria outro batismo e já estava partindo. Dessa vez, devorou metade do pote de banha. E informou ao rato que o nome do afilhado era “Pela Metade”. O rato estranhou novamente mas o gato filosofou que todas as coisas boas vêm em três parcelas e havia mais um sobrinho pagão e ele iria apadrinhar o pobrezinho. Foi, comeu o resto da banha, voltou e informou ao companheiro que o nome era “Acabou”.

Chegou o inverno e os dois foram à igreja onde encontraram o pote vazio. Ai, de mim! - exclamou o rato. Agora entendi! Você devorou tudo quando estava batizando seus afilhados! Primeiro deixou “faltando um pouco”, depois “pela metade” e por fim...

- Cale a boca! Mais uma única palavra e devoro você também!

“Acabou”, começou a dizer o ratinho, quando o gato saltou em cima dele e o devorou!

Escolhi essa intrigante história dos Irmãos Grimm para dizer aos meus preciosos cinco leitores, que estou abilolada, estupifidicada, abestada, com tanto non sense do ser humano por esse mundo afora: guerra na Ucrânia, no Oriente Médio, o Madurito ameaçando invadir e anexar a Guiana e tome terrorista querendo avacalhar nosso país, a sempre presente fome, a miséria e agora esse calorzito do cão que é nossa culpa, nossa máxima culpa e ao invés de levar a coisa a sério e usar a tecnologia para resolver os problemas, cada um se infla com infinitos arrogância e orgulho e nos levam pro beleléu! Afeeeeeeeeeee! E nada mais digo!

* Escritora e encantadora de histórias
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Javé do Outro Lado do Mundo

20 de novembro, 2023 | 19:34

“Evolução ou involução? Gato é um animal predador, carnívoro que mata o outro animal para comer. Pior é o homem, mais do que animal, que mata o outro animal não não para comer, mas para divertir. O padre falou ontem na missa que a humildade já foi embora e só ficou a maldade. Foi por essa e outras que o Tião deixou de ser Aranha( animal) e só fica do outro lado do mundo, esperando uma nova encarnação. Pro Vale do Cangaço ele disse que não quer voltar! Nem amarrado. Lugar tá muito perigoso. Rs.”

Envie seu Comentário