18 de novembro, de 2023 | 12:00

Impacto da Inteligência Artificial nas Eleições Argentinas: Uma Advertência Urgente para o Brasil

Marcelo Senise *

O uso massivo de inteligência artificial (IA) durante as eleições argentinas levanta sérias preocupações sobre a integridade do processo democrático. A disseminação de deepfakes e outras ferramentas baseadas em IA tem potencialmente minado a confiança dos eleitores e colocado em risco a legitimidade das eleições. O recente COMPOL, realizado em Belo Horizonte, reuniu profissionais da comunicação política e eleitoral, reunidos durante o anuncio da criação do Instituto Brasileiro para a Regulamentação da Inteligência Artificial (IRIA). Este instituto tem como objetivo ser um observatório atento à utilização da IA no cenário político brasileiro, fornecendo subsídios para regulamentações éticas e transparentes.

A preocupação manifestada no COMPOL é um alerta claro sobre os desafios iminentes que o Brasil pode enfrentar durante suas eleições. A sociedade e os parlamentares precisam reagir com prontidão diante desse prenúncio e formar uma força-tarefa conjunta composta por diversas entidades, como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Congresso Nacional, o Ministério Público Eleitoral, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e diversos setores sociais.

“A crescente influência da IA nas eleições argentinas
alerta para a urgência de regulamentação no Brasil,
com a formação de uma força-tarefa conjunta para
proteger a integridade democrática”


Esta força-tarefa deve ter como objetivo principal a elaboração rápida de políticas e regulamentações que protejam o processo eleitoral da influência nociva da IA, especialmente no que diz respeito à disseminação de deepfakes. É fundamental estabelecer diretrizes claras para garantir a transparência na comunicação política, assegurando que os eleitores recebam informações verídicas para embasar suas escolhas.

O tempo urge, e a formação desta força-tarefa é uma necessidade imperativa para salvaguardar a integridade das eleições brasileiras. A falta de ação diante dessa advertência pode resultar em danos irreversíveis à credibilidade do processo eleitoral e, consequentemente, à própria essência da democracia. A urgência em agir é essencial para preservar a legitimidade e a confiança dos cidadãos no sistema democrático do país.

* Socio Fundador da Comunica 360º, Sociólogo e Marketeiro, atua a 34 anos na área política e eleitoral, especialista em comportamento humano, em informação e contrainformação, precursor do sistema de analise em sistemas emergentes, Big Data e Inteligência Artificial. Twitter: @SeniseBSB

Obs: Artigos assinados não reproduzem, necessariamente, a opinião do jornal Diário do Aço
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário