14 de novembro, de 2023 | 07:30

Aumento da violência em Timóteo reflete acentuação da desigualdade socioeconômica

Divulgação
Operação da Polícia Militar resultou em prisões de suspeitos e apreensões de armas e muniçãoOperação da Polícia Militar resultou em prisões de suspeitos e apreensões de armas e munição
Silvia Miranda - Repórter Diário do Aço
Os últimos registros de violência no município de Timóteo assustaram a região e despertam medo em parte da população desta cidade historicamente considerada tranquila para se viver. A professora do curso de Direito do Unileste, especialista em Ênfase em Direitos Humanos, Educação e Cidadania, Angélica Barroso Bastos, explica que a violência no Brasil é um fenômeno social, de natureza estrutural e sistêmica. E tem como exemplos as profundas desigualdades socioeconômicas, a falta de oportunidades à população mais pobre e a ausência ou ineficácia das políticas públicas sociais e de segurança promovidas pelo Estado.

Há cerca de dez dias, um atentado a tiros e bombas repercutiu em toda a região, diante dos vídeos feitos pelos moradores. Dois jovens morreram. As investigações apontam para a disputa entre gangues rivais dos bairros Alvorada e Bandeirantes, como principal motivação do ocorrido. Posteriormente, foram realizadas algumas operações policiais, resultando em prisões de suspeitos e apreensão de armas e munição.

“Deste modo, a violência costuma ser relacionada à pobreza, à exclusão social, à omissão do Estado, à ausência de serviços públicos urbanos e ao próprio processo de urbanização que cria os enclaves de pobreza e as periferias. A complexidade e o crescimento da violência nas cidades têm levado a considerá-la como o resultado da junção de todos esses fatores”, detalha.
Divulgação
Para Angélica Barroso, nova faceta ligada ao crime organizado interfere no território e se torna um poder paralelo ao EstadoPara Angélica Barroso, nova faceta ligada ao crime organizado interfere no território e se torna um poder paralelo ao Estado

Neste contexto de desigualdade, a professora reforça que há uma “territorialização” da violência. De um lado os locais mais elitizados, ondem moram as classes dominantes e, do outro lado, a periferia, onde predomina a cultura da pobreza e sua dinâmica para reduzir os efeitos devastadores do desemprego e das necessidades habitacionais imediatas.

“Cria-se assim o território da violência, porções do espaço urbano apropriadas pelas organizações criminosas (facções), que exercem seu poder sobre eles, transformando-os em redutos de poder do crime organizado”, ressalta.

Violência entre os jovens
A professora acrescenta que o número de crimes violentos aumenta, principalmente, nas faixas etárias mais jovens, entre 15 e 29 anos. “Historicamente, é a ausência do Estado o fator estimulador da violência criminal, especialmente entre os jovens. É a ausência do Estado na formulação de políticas públicas de geração de emprego e renda que levou o crime organizado a recrutar sua mão de obra entre jovens desempregados das periferias”, argumenta Angélica Barroso.

Números são alarmantes
A professora explica também que esse aumento na taxa dos homicídios em Minas Gerais reflete o aumento do número de crimes violentos em cidades do interior, como Timóteo. Com pouco mais de 80.000 habitantes, Timóteo registrou apenas no primeiro semestre de 2021, o total de 11 homicídios, mantendo uma taxa de 12,15 homicídios para cada 100.000 habitantes (na proporção), conforme dados da Diretoria de Estatística e Análise Criminal da Polícia Civil de Minas Gerais repassados por Angélica Barroso.

“Para se ter uma ideia de como esse número é alto, comparamos com os dados da capital, Belo Horizonte, que é de 5,27 homicídios para cada 100.00 habitantes. As duas outras maiores cidades da Região Metropolitana do Vale do Aço também registram dados menores que do município de Timóteo, estando Ipatinga com 2,64 e Coronel Fabriciano com 8,16 mortes para cada grupo de 100.000 habitantes”, aponta.

Cidade dividida



Para a advogada, por se tratar da cidade menos habitada das três principais que compõem a Região Metropolitana do Vale do Aço, Timóteo apresenta a sensação de ser um município tranquilo, o que não corresponde aos atuais índices de criminalidade levantados pelos serviços de segurança pública de Minas Gerais. Além disso, deve ser observado que o município possui, historicamente, uma simbólica divisão geográfica, que separa a cidade em duas: “Timóteo”, correspondendo à parte mais antiga e periférica da cidade, e “Acesita”, correspondendo aos bairros criados no entorno da siderúrgica, antiga Acesita, atual Aperam South America.

E essa divisão no município define o nível de medo da população. A reportagem do Diário do Aço ouviu um morador do bairro João XXIII, que não enxerga nos ocorridos um motivo de medo, pois se trata de casos ocorridos em apenas algumas regiões do município.

Mas para uma moradora do bairro Alvorada, a situação é de muita preocupação. “Estas guerras e rixas com outros bairros acaba afetando todos os moradores. A minha indignação é principalmente por pessoas inocentes, que morreram vítimas de bala perdida. E nós agora vivemos com medo de sair de casa. Infelizmente, Timóteo não é mais aquela cidade tranquila de antes”, lamenta a entrevistada, que não quis se identificar.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Felipe

14 de novembro, 2023 | 23:41

“Argumento ultrapassado e genérico A Professora precisa conhecer a realidade e sair dessa teoria ultrapassada. Só convence quem não entende absolutamente nada sobre criminalidade, principalmente a da referida cidade.”

Mine

14 de novembro, 2023 | 23:10

“Quem começou essa treta toda foi os meninos aki do Alvorada q subiu na quebrada dos outros pra comprar B.O de gnt errada e de corno conformado pq se a mulher sai de dentro de casa e vai no outro lugar caçar homem ela q tá errada . Era mais fácil ele ter largado a bisca e ter seguido a caminhada, mas ñ tem q carregar a Gaia e fazer guerra. Corn..... manso e bobo GOIABAAAAA”

Ana Maria

14 de novembro, 2023 | 23:04

“GNT essa briga ñ tem nada a vêr com disputa por ponto de drogas(tráfico) essa briga toda começou pq tem mulher q ñ sabe o lugar dela. Se o setor de inteligência da polícia investigar vai vê q ñ tem nada de briga pôr causa do tráfico.
Bobo foi os meninos do Alvorada pagar de brabo e entrar em treta q não tinha na vê com eles. Isso q dá pegar o bonde andando sem saber...”

Illuminati .:.

14 de novembro, 2023 | 15:46

“O problema com a juventude é cultural. Estão alimentando o cérebro com a violência de séries, filmes e música que só falam de crime, droga, violência e morte. O resultado é esse aí: uma vida repleta de droga, crime, violência e morte...como diz uma música conhecida "...os frutos da mente são seus e são meus..." e solução não há, só vai piorar...”

Javé do Outro Lado do Mundo

14 de novembro, 2023 | 13:55

“Parabéns a Angélica Barroso pela maravilhosa entrevista mostrando de maneira corajosa a realidade do Município diante da realidade nacional. Infelizmente, muitos estão insistindo em seguir a saara nefasta da mentira dos políticos que está sendo desvendada no dia-a-dia. Hipócrita, infelizmente, é o que mais tem! Fazia muito tempo que eu não lia um texto e nem via um ato corajoso de uma Mulher que sabe o que fala com segurança, de brilho na alma, de tamanha envergadura. O que mais tem aqui é baba ovo de políticos. (Continue assim, jovem, Cristo nos ensinou que as injustiças sociais precisam ser denunciadas). Temos que passar para as pessoas novas na mesma tonalidade nossos momentos de alegria, mas tb, os de desespero. O fato é que os invejosos gostam de tirar proveito de tudo, porque são mesmo incompetentes; maldosos. Querem segurar o povo a vase da mentira. Mas a mentira tem perna curta. Parabéns!. Rs.”

Claudio Picanha

14 de novembro, 2023 | 11:20

“Qualidade de ensino da faculdade de direito do leste de Minas Gerais está comprometida, como pode uma professora falar uma coisa dessas, aproveitar pra utilizar o espaço da faculdade pra marcar uma audiência publica , sobre segurança, chamar os atores importantes, que são todos os poderes, principalmente o judiciário que não esta cumprindo seu papel como deveria, criminalidade hoje não é mais isso ai que a professora citou, o descamisado na favela sem oportunidades, o crime hoje e uma escolha racional, que da lucro , que da status , a professora esta completamente enganada.”

Justiça Própria

14 de novembro, 2023 | 10:40

“O problema da violência em nossa região não tem nada a ver com a condições sócio econômica das pessoas mais sim na falta de segurança sou capaz de falar que Timóteo não deve ter 20 PMs por turno de trabalho a dr. deveria fazer um levantamento de quantos PMs tem em cada cidade da nossa região”

Carlos

14 de novembro, 2023 | 10:29

“Timóteo, não é violenta, Esse fato do bairro alvorada, se repercutiu, mostra que a cidade é tranquila, um acontecimento não comum em nossa cidade, percebe -se que os envolvidos são pessoas na concepção da palavra, "pobres", " analfabetos", ou seja, não são perigosos. Eu , acho cidade insegura, quando há muitos roubos e furtos.

Esse ocorrido, com a grande operação policial, nunca vista aqui em Timóteo, comprova que , Timóteo é segura, pois os moradores, se espantaram com o aparato policial, e não com a ação dos noiados; OU SEJA, não é comum, ver a policia com todo esse aparato; lembrando ainda que foi pontual, no morro do bairro Alvorada, apenas "uma" casa, a boca de fumo, se destaca, sendo o restante, de casa de trabalhadores, moradores antigos, que circula livremente naquele local.

Essas briguinhas de turminhas, nem dar pra chamar de gangue, sempre ocorreram; já brigaram até por disputa de quem dança reggae melhor.

Como Timóteo, é uma cidade pacata, ficou na imprensa falada, escrita por semanas.

Falo isso com muita propriedade, pois sou morador do bairro Alvorada/Timóteo.

Com certeza, com a chegada da campanha eleitoral, haverá muita gente( políticos) , dando um de especialista em segurança, a fim de se promoverem as custas de um fato isolado.”

Cristiano dos Santos

14 de novembro, 2023 | 09:21

“Nada justifica.É por falta de caráter”

Emerson

14 de novembro, 2023 | 07:49

“Essa Sr.por nome de Angélica está totalmente equivocada quanto a isso que ela está falando... Desigualdade causa isso??? Ou e Caráter e Educação mesmo???? Aqui na nossa região do Vale do Aço tem emprego sobrando tem até feirão de emprego... Onde está a falta de Oportunidade com tanto emprego sobrando??? Esses que se fazem de entendidos na realidade são pessoas que tem Ideologia partidária... Lembrando está faltando mão de obra no Vale do Aço a oportunidade está aí pra quem realmente quer trabalhar...”

Tião Aranha

14 de novembro, 2023 | 07:04

“País dos cartéis, agora até cartel do crime. A cidade perdeu a representatividade, essência e originalidade. É só observar. Os indícios estão bastante evidentes. É só observar. A cidade se localiza, pra quem não sabe, perto da Mata do parque e da Lagoa tiririca. Enquanto isso, vamos continuar tiriricando.. Rs.”

Envie seu Comentário