03 de julho, de 2022 | 06:00

Estação Pedra Mole guarda histórias que encantam o público

Entre as memórias que envolvem a centenária Estação Pedra Mole, primeira estação ferroviária do Vale do Aço, localizada em Ipatinga, estão as histórias e as experiências que permeiam as atividades do projeto Pedra Mole - Estação das Artes, que teve início em agosto de 2021 e se encerrou no último dia 30 de junho. A iniciativa foi viabilizada com o patrocínio da Usiminas e o apoio do Instituto Usiminas, e realizada pelo Grupo Teatral Boca de Cena e pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

Fotos: Gustavo Lyra
Programa de visitas guiadas, criação de acervo e concurso de redação valoriza o patrimônio históricoPrograma de visitas guiadas, criação de acervo e concurso de redação valoriza o patrimônio histórico
Cerca de 2 mil pessoas conheceram parte da história das Ruínas da Estação Pedra Mole reveladas nas atrações gratuitas promovidas pelo projeto. Mais de 1,8 mil pessoas embarcaram em 41 visitas guiadas conduzidas pela intervenção “Retrato de Trem”. Outras 100 pessoas aceitaram o convite para a oficina “Encontro com a Memória” ministrada pela historiadora e produtora cultural Leila Cunha. Escolas de Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo, Naque e Periquito participaram das atividades que incluíram o concurso de redação e a criação do acervo permanente, com registros, fotos e depoimentos sobre os bens tombados pelo Patrimônio Histórico de Ipatinga.

Segundo o diretor artístico do Grupo Boca de Cena, Claudinei de Souza, o projeto Pedra Mole - Estação das Artes foi emocionante do início ao fim. “Pensamos as atrações para apresentar a história que envolve a fundação da Pedra Mole e outros patrimônios históricos de Ipatinga. Mas fomos surpreendidos com os relatos e as histórias das pessoas que visitavam o bem tombado, muitos pela primeira vez, durante as atividades do projeto. E todas essas memórias completaram o que nos propusemos a apresentar”, comentou.

A oficina Patrimônio Cultural - Encontro com a Memória foi inspiração para o artista de artes urbanas e hip hop Weslley Luiz Costa Ribeiro. “Sou ipatinguense de coração e pude aprender que cada patrimônio tombado de nossa região traz uma particularidade, uma história e tradição. Esse conhecimento me permitiu ter uma raiz mais sólida com a cidade”, declarou.

Atividades culturais realizadas no bem tombado alcançaram cerca de 2 mil pessoas em quase um anoAtividades culturais realizadas no bem tombado alcançaram cerca de 2 mil pessoas em quase um ano
Reencontro
Ao saber que a locomotiva D-405 foi instalada pela Usiminas na Estação Pedra Mole, o aposentado Francisco Assis Mesquita aceitou o convite para participar da visita guiada ao bem cultural, conhecer a bela paisagem do local e reencontrar a máquina que operou por mais de 20 anos na Usiminas.

“Senti uma emoção muito grande quando avistei de longe a D-405. Eu já estava encantado com a Estação Pedra Mole, que ainda não conhecia, e com o teatro que conta a história da cidade que me acolheu, em 1974, para trabalhar na Usiminas. E rever essa locomotiva me fez voltar no tempo e relembrar quando trabalhei na Usiminas operando essa e outras máquinas”, revelou Francisco, que foi o primeiro maquinista a comandar a locomotiva hoje instalada na Estação Pedra Mole.

A diretora do Instituto Usiminas, Penélope Portugal, reforçou a importância do projeto Estação das Artes para a valorização do patrimônio histórico de Ipatinga. “O projeto da Pedra Mole está alinhado ao trabalho do Instituto Usiminas e da Usiminas, que fomentam ações para o desenvolvimento da educação local e da conservação patrimonial dos municípios onde atuam. Estamos felizes com os frutos colhidos pelo projeto que ajudou a aproximar, ainda mais, a comunidade dese rico patrimônio”, frisou.

A oficina sobre preservação do patrimônio histórico inspirou artistas e agentes culturais A oficina sobre preservação do patrimônio histórico inspirou artistas e agentes culturais
Concurso de redação
Os alunos do ensino fundamental II de diversas escolas da rede pública de ensino de Ipatinga aderiram ao projeto do concurso de redação. Três textos foram selecionados com as melhores menções: em 1º lugar, “Herança bailante”, de Jeniffer Gomes das Dores, e em 2º lugar, “Patrimônio cultural, uma herança sem igual”, de Iara de Lima Alves - ambas são alunas do 9º ano da E.M. João Reis de Souza; em 3º lugar, “Estação Pedra Mole”, de Larissa Rodrigues Fernandes, aluna do 9º ano da E.M. Nelcina Rosa de Jesus.

As autoras serão premiadas com tabletes, e os demais alunos receberão certificados de participação. Na seleção dos textos do concurso de redação, o projeto teve como juradas a escritora Nancy Nogueira Maestri, a atriz Bárbara Pavione e a mestre em educação Denise Campolina Alves.

Memória
O relato do primeiro maquinista da locomotiva instalada na Estação Pedra Mole, Francisco de Assis Mesquita, vai integrar o acervo permanente criado pelo projeto. Conforme a produção, a comunidade ainda pode participar desse resgate sobre os patrimônios históricos de Ipatinga, com a doação de fotos, jornais, publicações ou mesmo enviando histórias e relatos sobre a construção da cidade.

Todo material pode ser enviado para o e-mail [email protected] O acervo ficará disponível para consulta na página do Grupo Teatral Boca de Cena (www.grupobocadecena.com.br).
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário