29 de junho, de 2022 | 15:13

Inquérito no MPF investiga presidente da Caixa por denúncias de assédio sexual

A denúncia foi feita pelo jornalista Rodrigo Rangel, no Metrópoles.

Alan Santos/PR
 Aliados de Bolsonaro avaliam que a situação de Pedro Guimarães é insustentável, por manchar a reputação do governo com o eleitorado feminino, maioria entre os eleitores brasileiros Aliados de Bolsonaro avaliam que a situação de Pedro Guimarães é insustentável, por manchar a reputação do governo com o eleitorado feminino, maioria entre os eleitores brasileiros

O presidente da Caixa, Pedro Duarte Guimarães, é acusado de tocar e abordar de maneira inapropriada as funcionárias do banco. Nos bastidores da política nesta quarta-feira em Brasília, a saída do Executivo é considerada iminente após denúncias de assédio sexual. Aliados de Bolsonaro avaliam que a situação de Pedro Guimarães é insustentável, expectativa é tentar emplacar um nome feminino no lugar de Guimarães.

O governo Jair Bolsonaro montou uma operação emergencial para estancar a crise política envolvendo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. A denúncia foi feita pelo jornalista Rodrigo Rangel, no Metrópoles.

Em reunião urgente ocorrida na noite de terça-feira (29), no Palácio da Alvorada, Bolsonaro e seus aliados decidiram que as denúncias são graves e podem manchar a reputação do chefe do Executivo com o eleitorado feminino, público que ele luta para conquistar votos. As mulheres são maioria entre o eleitorado brasileiro. São 80,4 milhões de eleitoras e 71,8 milhões de eleitores, conforme dados atualizados do Tribunal Superior Eleitoral.

As denúncias começaram a ocorrer no fim do ano passado. Dentre as acusações, funcionárias do banco relatam toques não autorizados, convites e abordagens inapropriadas por parte de Pedro Guimarães.

As mulheres que denunciam Pedro concordaram em contar os relatos, desde que suas identidades fossem preservadas. Na reportagem publicada pelo portal Metrópoles, nomes fictícios foram usados para preservar a identidade das vítimas.

Cinco mulheres, que trabalham ou trabalharam em equipes que servem diretamente ao gabinete da presidência da Caixa disseram que se sentiram abusadas durante compromissos de trabalho.

Segundo os relatos, várias das ocorrências estão relacionadas a viagens realizadas como parte do programa Caixa Mais Brasil. De acordo com "Ana", a depender da proximidade que tem com algumas das mulheres, Pedro Guimarães passa a se sentir "dono" delas.

"É comum ele pegar na cintura, pegar no pescoço. Já aconteceu comigo e com várias colegas. Ele trata as mulheres que estão perto como se fossem dele," conta. Ana conta que, ao negar suas abordagens, o presidente passou a ignorar, como se ela não existisse. "Quando escuta, vira a cara e passa a ignorar. Quando me encontrava, nem me cumprimentava mais".

Ainda segundo os relatos das vítimas, o presidente costumava promover funcionárias, mesmo que não preenchessem os requisitos necessários, e acabavam sendo transferidas para a sede, por desejo de Guimarães. O economista também é acusado de sempre escolher as mulheres que acha "interessante" para as viagens.

Em nota encaminhada à imprensa, a Caixa Econômica Federal afirmou que não tinha conhecimento das acusações.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Marcos Guimarães

29 de junho, 2022 | 22:00

“"Não é o que você sabe, mas o que pode provar!"

Adianta ficarmos aqui fazendo o papel de Juiz? Afinal, nenhum de nós estava lá, e pela declaração, essa "ANA" era velha de casa e se sentiu menosprezada ao não ser indicada para promoção de cargo e salário, parece dor de cotovelo e mulher mal amada, traída ou ignorada, derruba o homem independente da posição que ocupa. Quem derrubou Clinton? não foi a Lewinsck? Lembram do Robinho? E o nosso Craque Ney, quase afundou no mar!!! coisas assim sempre aconteceram.”

Patriota

29 de junho, 2022 | 18:10

“Coitado do Veiver, que já foi "O Observador", bolsonarista de carteirinha, não sabe se agora é o "vigia", o "espectador, ou o "inspetor".”

Viewer

29 de junho, 2022 | 16:55

“Tudo narrativa, somente acusações sem provas.

A esquerda está desesperada.”

Gildázio Garcia Vitor

29 de junho, 2022 | 16:29

“"Deus, Pátria e Família". O grande, imenso, Thiago de Mello, em seu Poema, "Noturno do Paraná do Ramos", explicou o que significou essas três palavrinhas, entoadas pelas elites direitistas pré-1964; " [ ... ] De suas fauces viscosas/ escorriam sentenças/ (algumas com sotaque inconfundível)/ proferidas em nome de Deus/ (para que o amor pudesse ser negado)/ em nome da Família/ (para que as casas se dividissem)/ e em nome da Pátria/ (para que o país fosse empenhado/ e para que fosse vendido o nosso sonho) [ ...]". Segundo Marx, "A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa".”

Zé Doido

29 de junho, 2022 | 15:56

“Numa semana é um ex-ministro que vai preso acusado de corrupção, noutra é o presidente da CEF que é forçado a se demitir por acusação de abuso sexual, e o que eles em em comum?
São conservadores, cidadãos de bem, defendem a tradicional família brasileira e principalmente, foram escolhidos pelo presidente da república, coincidência? Claro que não, me diga com quem andas que digo se te acompanho.
#ForaBolsonaro #ForaMilicianos #ForaFalsosCristãos #AbaixoHipocrisia”

Envie seu Comentário