16 de junho, de 2022 | 20:28

UFRN detecta duas novas variantes Ômicron da covid-19

Novas variantes indicam ser mais transmissíveis

Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil
Reprodução
Pesquisadores explicam que novas variantes indicam ser mais transmissíveis, em razão do aumento no número de pessoas infectadas com covid-19 nas últimas semanasPesquisadores explicam que novas variantes indicam ser mais transmissíveis, em razão do aumento no número de pessoas infectadas com covid-19 nas últimas semanas
O Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) detectou dois novos tipos de variantes Ômicron da covid-19 coletadas, em maio, de pessoas em Natal. A pesquisa foi feita com participação do Laboratório Getúlio Sales Diagnóstico e o Instituto Butantan.

O estudo sequenciou e analisou amostras coletadas pelas unidades de saúde da prefeitura de Natal e pelo IMT, detectando a circulação das variantes Ômicron (BA.5-like) e Ômicron (BA.4-like).

De acordo com a diretora do IMT, Selma Jerônimo, as novas variantes indicam ser mais transmissíveis, em razão do aumento no número de pessoas infectadas com covid-19 nas últimas semanas.

A diretora ressaltou a importância da vacina contra a covid-19, para evitar a forma grave da doença, bem como orientou sobre o uso de máscaras em locais fechados, além das demais medidas de biossegurança, como a higiene frequente das mãos.

Dados oficiais divulgados nesta quinta-feira (16/6)

O Ministério da Saúde divulgou hoje (16) números atualizados sobre a pandemia de covid-19 no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, o Brasil acumula 31,6 milhões de casos confirmados da doença e 668,8 mil mortes registradas, desde o início da pandemia. Os casos de recuperados somam 30,3 milhões (95,8% dos casos). Nas últimas 24 horas, o ministério contabiliza 32,9 mil novos casos e 151 mortes.

O estado de São Paulo tem o maior número de casos acumulados, com 5,6 milhões de resultados positivos para a doença e 170 mil óbitos. Em seguida estão Minas Gerais (3,5 milhões de casos e 61,8 mil óbitos); Paraná (2,5 milhões de casos e 43,5 mil óbitos) e Rio Grande do Sul (2,5 milhões de casos e 39,8 mil óbitos).

Como está a vacinação?

Conforme o vacinômetro do Ministério da Saúde, 443 milhões de doses de vacinas contra contra a covid-19 já foram aplicadas, das quais, 177,4 milhões de primeira dose; 159,9 milhões de segunda dose, além de 90 milhões de dose de reforço e 6,6 milhões de segunda dose de reforço.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário