17 de junho, de 2022 | 09:30

Ipatinga volta a sediar evento internacional para prevenção de afogamento de crianças

Divulgação
Podem participar crianças e adultos com qualquer nível de habilidade na águaPodem participar crianças e adultos com qualquer nível de habilidade na água

Na próxima quinta-feira (23), milhares de crianças e adultos se reunirão, em todo o mundo, para sediar aulas da “The World Largets Swiminning Lesson- WLSL”, a Maior Aula de Natação do Mundo, na tradução livre, na tentativa de quebrar, mais uma vez, o recorde mundial do Guinness. O objetivo é mostrar que as aulas de natação salvam vidas. O evento global irá ocorrer ao longo de 24 horas, em aproximadamente 600 locais, em 49 países. No Brasil, há 12 locais anfitriões.

No Vale do Aço, a academia Bolha D’água, de Ipatinga, será a única participante e receberá desde bebês até crianças maiores, além de adultos com diferentes níveis de habilidade na água. “O intuito é disseminar conceitos importantes de comportamento dentro e em torno da água, tendo como meta ultrapassar e ajudar a somar o maior número de participantes da última edição, podendo colocar Ipatinga mais uma vez no livro dos recordes, além de conscientizar muito mais pessoas da importância do evento”, informa os representantes da academia.

Podem participar crianças e adultos com qualquer nível de habilidade na água. Há um roteiro de aula pré-definido, com duração de 30 minutos que deve ser seguido, priorizando os aspectos de segurança e ensinamentos de habilidades básicas de segurança na água.

Origem

A Maior Aula de Natação do Mundo surgiu em 2010, nos Estados Unidos, como resultado da união das principais entidades estadunidenses de segurança aquática e treinamento para servir como uma plataforma para ajudar diferentes organizações de prevenção de afogamento, escolas de natação e outras entidades a trabalhar juntas para reduzir a morte por afogamentos em crianças.

Desde o começo, mais de 300 mil crianças e adultos participaram das aulas, gerando mais de meio bilhão de impactos na mídia sobre a importância vital de aprender a nadar.

Riscos

Conforme a organização do evento em Ipatinga, o afogamento continua ser a causa principal de mortes de crianças entre 1 e 4 anos e a segunda causa de mortes em crianças de até 14 anos. Pesquisas mostram que a participação em aulas formais de natação, com instruções de segurança aquática, pode reduzir o risco de afogamento em até 88%.

O risco está presente em lugares menos óbvios como baldes, vasos sanitários ou no tanque de casa. “Esse evento nos possibilita alertar e criar consciência na sociedade para a postura preventiva”, salienta a organização. O evento conta com dois embaixadores: Janet Evans e Rowdy Gaines, medalhistas olímpicos, que se engajaram na causa da prevenção do afogamento infantil e tem ajudado no processo de conscientização da sociedade, por meio de atuação em vídeos e materiais promocionais.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Marilelia Rocha Ezequiel

17 de junho, 2022 | 21:00

“Estarei presente como Guarda Vidas e profissional de Ed Física estive em todas as edições. Parabenizo a proprietária da academia,Gisele Cunha, pioneira no Vale do Aço levando a bandeira da segurança aquática. Parabéns ao DA por sempre apoiar causas nobres divulgabdo e informando toda a população
sobre iniciativas como esta.”

Envie seu Comentário