14 de junho, de 2022 | 13:55

Professores ganham capacitação para acolher alunos imigrantes e refugiados

O curso é oferecido pelo MEC e oferece certificado de conclusão

Divulgação
A especialização é direcionada a professores brasileiros que, ao longo do curso, terão a oportunidade de aprender mais sobre o acolhimento de alunos imigrantes e refugiados no ambiente escolar e multicultural brasileiroA especialização é direcionada a professores brasileiros que, ao longo do curso, terão a oportunidade de aprender mais sobre o acolhimento de alunos imigrantes e refugiados no ambiente escolar e multicultural brasileiro

O Ministério da Educação (MEC) está disponibilizando o curso de qualificação para preparar docentes capazes de atuar na formação e desenvolvimento dos estudantes estrangeiros. A especialização, lançada na última quinta-feira (9), é direcionada a professores brasileiros, que ao longo do curso terão a oportunidade de aprender mais sobre o acolhimento de alunos imigrantes e refugiados no ambiente escolar e multicultural brasileiro.

A formação tem como objetivo possibilitar o contato dos participantes com aspectos históricos, sociais, políticos e educacionais que rodeiam a questão dos estrangeiros, a partir de métodos capazes de auxiliar no acolhimento dos alunos imigrantes e refugiados.

Os professores podem se inscrever através do site e terão acesso às aulas a partir do Ambiente Virtual de Aprendizagem do Ministério da Educação - Avamec - com carga horária de 80 horas, divididas em dois módulos, com conteúdo prático e teórico.

Dificuldade dos refugiados no acesso à educação

De acordo com o diretor de Formação e Valorização de Profissionais da Educação, Renato Brito, há cerca de 82, 4 milhões de refugiados no mundo, sendo metade crianças, e apenas 68% delas têm acesso ao sistema primário de educação, e 34% ao sistema secundário.

No Brasil, há mais de 57 mil pessoas reconhecidas como refugiadas e, no que se refere às crianças, há uma baixa expectativa de adesão à escola, cerca de 53% abaixo, quando comparado com as crianças brasileiras.

Segundo Brito, a dificuldade de acesso ao sistema escolar deve-se a fatores burocráticos, sociais, culturais e principalmente linguísticas. Diante disso, a formação para o acolhimento dos imigrantes e refugiados torna-se uma excelente forma de inclusão.

*Com informações da Agência Brasil
Fonte: Agência Educa Mais Brasil
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário