28 de maio, de 2022 | 09:00

Audiência de mediação voltará a tratar de situação dos trabalhadores do transporte

Débora Anício
Decisão judicial determinou a retomada do serviço do transporte Decisão judicial determinou a retomada do serviço do transporte
O imbróglio envolvendo a negociação salarial dos trabalhadores do transporte urbano em Timóteo e em Coronel Fabriciano terá novo episódio. Os representantes das empresas e o Ministério Público do Trabalho, representado pelo procurador Túlio Mota Alvarenga, solicitaram ao Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas do Transporte Rodoviário, em Coronel Fabriciano (Sinttrocel) que apresentassem aos trabalhadores o pedido de suspensão do movimento até o dia 2 de junho, quando ocorrerá audiência de mediação, no Tribunal do Trabalho.

Quinta-feira (26) o Sinttrocel convocou uma assembleia de trabalhadores em caráter de urgência agendada conforme decisão do Tribunal Regional da 3ª Região, determinando retorno de pelo menos 70% dos trabalhadores, que estavam em greve até então. Embora resistentes, os trabalhadores concordaram em suspender o movimento para que as prefeituras de Coronel Fabriciano e Timóteo cheguem a um acordo com as empresas Saritur, Acaiaca e Univale.

“É um voto de confiança dado em nome do respeito ao processo negocial, bem como em respeito aos usuários do transporte público coletivo. A diretoria do Sinttrocel reforça que a paralisação iniciada na madrugada da última quarta-feira (24) não tem nenhuma motivação política e sim um direito dos trabalhadores em lutar por melhores salários e condições de trabalho, visto que estão há mais de dois anos sem reajuste e que durante toda o período de pandemia estiveram presentes em seus postos de trabalho. E foi a própria categoria que manifestou com 100% dos votos em assembleia democrática pela realização da paralisação a fim de conquistar o aumento de salário”, destacou o presidente do Sinttocel, Marlúcio Negro.

Compromisso das empresas do transporte

As empresas Saritur e Acaiaca acordaram com o sindicato a prorrogação da data base até o dia 15 de junho. O Sinttrocel destacou a resistência dos trabalhadores em relação ao encerramento da greve sem uma proposta por parte das empresas, mas levou o requerimento registrado das empresas e MPT à assembleia. Contudo, requereu que as empresas apresentem a proposta o mais breve possível, e antes do dia 2, sendo este o prazo máximo que será aceito pela categoria.

O sindicato solicitou ainda que a proposta das empresas seja igual à acordada com os trabalhadores da Univale (que também foi acordada em Ipatinga, segundo o sindicato) e que seja apresentada antes do dia 2. As empresas e o município se comprometeram a empreender todos os esforços para atender a demanda apresentada pelo sindicato, segundo informou assessoria. Caso nada disso ocorra, os rodoviários voltarão a paralisar o transporte.

Na noite do dia 25, o prefeito Gustavo Nunes anunciou a retomada de 100% do serviço de transporte na cidade, e que a definição ocorreu após uma proposta apresentada pelo município à empresa Saritur, concessionária do transporte urbano de passageiros. Sem detalhar a proposta, o prefeito limitou-se a comunicar a volta do serviço público.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário