17 de maio, de 2022 | 10:00

Trecho da BR-262 permanece interditado em Rio Casca e sem previsão de liberação

Reprodução
No dia 6 deste mês, um talude caiu e fechou o trecho no km-146, na BR-262, em Rio CascaNo dia 6 deste mês, um talude caiu e fechou o trecho no km-146, na BR-262, em Rio Casca

Nesta terça-feira (17), completa-se 11 dias que o trecho da BR-262, no km 149, está interditado completamente, conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No dia 6 deste mês, um talude caiu e fechou o trecho na BR-262 em Rio Casca, obrigando os motoristas a buscarem rotas alternativas.

Apesar da interdição, no dia 10, moradores da região de Rio Casca se uniram para desobstruir, de forma improvisada, o trecho onde caiu o talude. No entanto, em um vídeo divulgado pelo ex-prefeito de Rio Casca, Adriano Alvarenga, ele explicou que o trecho foi interditado novamente por populares, devido à previsão de chuva na região.

“Chovendo, coloca muito em risco a vida das pessoas que passam por aqui. Na quarta-feira (18), se a gente ver que dá para abrir e voltar o fluxo normal, vamos fazer o nosso papel de cidadão. Não vamos ficar esperando de braços cruzados esses irresponsáveis do Dnit, que se dependesse deles, jamais estaria aberto. Nós abrimos e abriríamos tudo de novo”, afirmou.

Sem previsão

A PRF divulgou, nesta segunda-feira (16), que a BR-262, no km 149, em Rio Casca, está interditada em ambos sentidos, devido à queda de barreira, e não existe previsão de liberação.

Também na BR-262, a pouco mais de 50 quilômetros da interdição em Rio Casca, a rodovia está interditada desde 24 de janeiro, quando um talude rompeu-se à margem de um córrego, engoliu residências, atingiu estabelecimentos comerciais e chegou até o asfalto, conforme noticiado pelo Diário do Aço à época. Um desvio foi construido pelos próprios comerciantes de Abre Campo e vem sendo utilizado, de forma preária, desde a interdição.

Instabilidade no talude em Rio Cascac

O Departamento Naional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou, por meio de nota enviada ao Diário do Aço, que a BR-262 permanece interditada totalmente no km 149, em Rio Casca, devido ao deslizamento de terra ocorrido na noite do dia 6/5.

“Por questões de segurança, tendo em vista a instabilidade do local, com material se deslocando do talude a todo momento, não houve abertura de desvio por parte do Dnit. O Departamento trabalha na contratação emergencial de empresa para a reconformação do talude e consequente remoção do material solto para, assim, promover a abertura da rodovia”, conclui a nota.

Outros trechos rodoviários interditados



Além das duas interdições na BR-262, em Abre Campo e em Rio Casca, há outros trechos rodoviários com interdições e desvios que atrasam a viagem pela BR-381 na ligação entre a capital e as cidades da região:

Km 299 em Antônio Dias - dois desvios em frente ao posto Veraneio, também provocados por deslizamento de talude no fim do mês de fevereiro.

Km 321 em Nova Era - Queda de talude ocorrida dia 14 de janeiro. Desvio construído pelo Dnit está em funcionamento desde o mês de fevereiro e obras para reparo da pista principal estão em andamento.

Km 342 em Bela Vista de Minas desvio funciona desde o mês de fereiro, porque a pista no sentido a Belo Horizonte cedeu.

Km 404 em Bom Jesus do Amparo - A encosta na pista sentido a Belo Horizonte cedeu em 22 de fevereiro e a rodovia passou a funcionar em mão dupla. Sem previsão de liberação.

Km 451 em Sabará, nas proximidades de um posto de combustíveis, a erosão no lado direito da pista sentido a capital fez a pista ceder e o tráfego apresenta retenção desde o fim do mês de janeiro. Veja, abaixo, todos os trechos interditados nas rodovias federais em Minas Gerais.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Jose Carlos

18 de maio, 2022 | 20:40

“Uma vergonha, basta uns caminhões e uma carregadeira ou escavadeira tudo se resolve em poucos dias. Mas a ganância das construtoras
e a falta de estrutura fiscal do dnit deixa os usuários e pagadores de impostos a mercê!”

Envie seu Comentário