10 de maio, de 2022 | 07:00

Segue o líder!

Fernando Rocha


Uma grande vitória do Cruzeiro no clássico contra o Grêmio, assumindo a coliderança da Série B do Campeonato Brasileiro, ao lado do Bahia, ambos com 13 pontos ganhos, mas perdendo para o tricolor baiano no saldo de gols.

A campanha do time celeste pelo técnico uruguaio Paulo Pezzolano merece destaque pela organização mostrada em campo, sem medalhões, mas com muita entrega dos jogadores, resultando na soma de 13 pontos conquistados em 18 possíveis.

Além disso, a equipe celeste alcançou a marca de três vitórias seguidas na Série B, algo que não conseguia há 79 rodadas, desde a primeira temporada disputada em 2020.

O jogo foi dominado pelo time celeste com uma marcação alta, empurrado pelo grito da torcida que lotou o Independência e saiu feliz com a boa fase do time, acreditando, finalmente, na volta à Série A nacional, onde é o seu lugar.

Surpresa do Coelho
O Coelho surpreendeu o Galo com um futebol agressivo, envolvente, alcançou a proeza de derrotar um dos favoritos ao título e quebrou um tabu de seis anos sem vencer o rival.

O jogo foi intenso e começou com o Coelho em cima do Galo, o que motivou um erro do volante Allan na saída de bola e o pênalti convertido pelo zagueiro Maidana: 1 x 0.

Até os 25 minutos do 1º tempo, só deu América, que poderia ter feito mais um ou dois gols. O Atlético só equilibrou a partida na metade da primeira etapa e levou perigo, também, obrigando o bom e experiente goleiro Jaílson realizar ótimas defesas.

No segundo tempo, o Galo melhorou, fez o gol de empate com Nacho, mas continuou pecando nas finalizações até sofrer o segundo, em chute do lateral Cáceres, totalmente livre dentro da área.

Há motivos, sim, para o torcedor atleticano ficar preocupado, exigir um futebol de melhor qualidade da equipe, afinal de contas, o time comandado pelo Turco conquistou apenas dois pontos em nove disputados contra times que, em tese, vão brigar apenas para permanecer na Série A: Coritiba, Goiás e, por último, essa derrota para o América, seu habitual freguês de caderno.

FIM DE PAPO

O campeonato brasileiro é longo, difícil, e ganha quem consegue maior regularidade, como foi o Atlético na temporada passada. Os três principais favoritos ao título começaram mal: o Galo, atual campeão, é o 6º com oito pontos ganhos, quatro atrás do líder Corinthians; em 13º, o Palmeiras tem seis pontos; em 14º, o Flamengo, com apenas cinco pontos conquistados, em cinco rodadas disputadas.

No entanto, a prudência manda esperar até a 12ª ou 13ª rodada, quando a competição irá atingir 1/3 da disputa, para uma análise conclusiva do papel que cada um irá representar. A surpresa, até aqui, é o Corinthians, que quebrou a invencibilidade do Bragantino, em Bragança Paulista, onde não perdia há 14 jogos, assumindo a liderança isolada do Brasileirão com 12 pontos ganhos.

O Ipatinga sofreu a primeira derrota no Campeonato Mineiro do Modulo II, a segundona mineira, derrotado por 3 x 0 pelo Betim, jogando na cidade de mesmo nome. O Tigre não se encontrou em campo, sobretudo, nos minutos finais da primeira etapa, quando sofreu dois gols, e não conseguiu se recuperar no segundo tempo, sofrendo o terceiro. Com isso, perdeu a chance de chegar à liderança e caiu para o 7º lugar, com os mesmos quatro pontos obtidos nas duas rodadas anteriores.

Mas, hoje, o Tigrão de Aço terá uma nova chance de se reabilitar diante do Tupynambás, de Juiz de Fora, no Ipatingão, às 19h30h, contando com o apoio da torcida quadricolor para empurrar o time em busca do resultado positivo. Depois de quatro anos, estarei de volta comentando a partida na transmissão da Rádio Vanguarda, ao lado do “bate forte” Nelcy Romão e de toda a equipe. (Fecha o pano!)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário