07 de maio, de 2022 | 17:30

PT lança pré-candidatura de Lula à presidência com Alckmin como vice

Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil

Ricardo Stuckert/Divulgação
Em seu discurso, Lula falou sobre defesa da soberaniaEm seu discurso, Lula falou sobre defesa da soberania
O PT lançou oficialmente neste sábado (7) a pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva com o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), como vice, para concorrer à Presidência da República nas eleições de 2022. Além de Alckmin, que participou virtualmente por estar com covid-19, estiveram presentes lideranças dos partidos que apoiam a candidatura, como PCdoB, Solidariedade, PSOL, PV e Rede, além de centrais sindicais, movimentos sociais, artistas, influenciadores e a militância dos partidos. O movimento foi denominado "Vamos Juntos Pelo Brasil".

Alckmin falou por vídeo de casa e disse que “nenhuma divergência do passado, nenhuma diferença do presente nem as disputas de ontem e nem as eventuais discordâncias futuras serão motivos para que ele deixe de apoiar e defender com toda a convicção a volta de Lula à presidência”. "É com muito orgulho que faço isso com respaldo, confiança e participação do meu partido”, disse.

Em seu discurso, Lula disse que este é um dia muito especial por conseguir juntar todas as forças políticas progressistas em torno de uma campanha. "Eu e todos que estão juntos comigo temos uma causa que é restaurar a soberania do Brasil e do povo brasileiro".

Segundo o ex-presidente, durante seu governo o diálogo foi a marca registrada, com abertura para a sociedade civil junto aos ministérios. "Vamos ter que fazer isso novamente e para isso apresento o imenso legado do nosso governo. Fizemos muito, mas tenho consciência de que ainda é preciso e possível fazer muito mais".

Coligação
O PT, PCdoB e PV formaram uma federação partidária para disputar a eleição de 2022. Já o PSB, partido de Alckmin, Solidariedade, Rede e Psol formaram uma coligação com os petistas. Na federação partidária, as siglas ficam unidas ao longo de quatro anos em âmbito nacional, estadual e municipal e são equiparadas a partidos políticos e os partidos precisam ficar na federação por, pelo menos, quatro anos ou sofrem punições. A coligação tem natureza eleitoral e se extingue após as eleições.

Nas coligações, os partidos só podem se coligar para lançar candidatos para as eleições majoritárias (prefeito, governador, senador e presidente da República). Para as eleições proporcionais (vereador, deputado estadual, deputado distrital e deputado federal), é possível formar a federação.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Sério

08 de maio, 2022 | 15:13

“Pode ter pessoas passando aperto sim
mas, conheci pessoas ,que não querem saber de serviço, mesmos passando dificuldades. Tem que ter alguém pra tratar destas pessoas.”

Tião Aranha

08 de maio, 2022 | 15:02

“Será que o Lula é mesmo a bola da vez? A Sociologia do brasileiro é assim: julga pela aparência, sem apurar sempre a verdade. E nem sempre hospeda no coração a esperança e a alegria. E esquece-se que todos os planos ocultos ficarão bem descobertos. Saúde, renda, consumo, emprego e Educação, nem deveriam ser discutidos, pois são direitos garantidos pela Constituição. Risos.”

Gildázio Garcia Vitor

08 de maio, 2022 | 10:46

“Sr. Eu Aqui, sei de tudo isso e muito mais. O problema é que as pessoas têm memória curta, o antipetismo é muito grande e o Presidente e os Governadores que o apoiam estão com a "máquina publica" nas mãos.”

Tião Aranha

08 de maio, 2022 | 10:34

“? pau é pedra é o fim do caminho e um povo sozinho. O problema é que homem sério não quer se envolver com Política. O que existe neste país é projeto de poder, mas nenhum deles têm projeto de nação. O Alkmin não está apoiando esse cara de graça não. Risos.”

Paulo Mangueira

08 de maio, 2022 | 09:43

“? lula denovo com a força do povo.
Porém, desta vez, terá caça às bruxas...
Viva lula! Viva painho! O Brasil há de voltar a sorrir!
Viva lula! Viva lulinha!”

Jose Newton

08 de maio, 2022 | 07:26

“corrigindo ( Censura)”

Zoio de Zoiar

07 de maio, 2022 | 23:21

“A que ponto chegou a política brasileira. De um lado um larápio e do outro um lunático miliciano que tem como Ministro o banqueiro Paulo Guedes. Ambos são favoritos. Sinceramente, a melhor decisão é correr para o aeroporto. Que Deus ajude o Brasil.”

Viewer

07 de maio, 2022 | 22:18

“Lei da ficha limpa.”

Olho Vivo

07 de maio, 2022 | 22:04

“GILDÁZIO GARCIA.... faço de sua observação, a minha,. Está muito polarizada entre o Lula e Bolsonaro, tá difícil chegar numa conclusão...de um lado as pesquisas de institutos mostram Lula, de outro, o povo na rua clama por Bolsonaro....e ai?
Sei não viu....mas tá a entender que?????”

Eu Aqui

07 de maio, 2022 | 20:17

“Gildazio. Sua palavra não está muito correta porque você esqueceu de dizer que na época do Lula o brasileiro tinha condições de se alimentar melhor e hoje muita gente tá passando fome. Sem contar outras coisas que na época dele era melhor.”

Gildázio Garcia Vitor

07 de maio, 2022 | 18:02

“O PT precisa descer do salto alto porque esta eleição, por enquanto, não está ganha, e, do pouco que entendo de politica, não será tão fácil vencer o Presidente Bolsonaro e seus muitos aliados nos estados e no DF.”

Envie seu Comentário