08 de maio, de 2022 | 09:30

Amor de mãe multiplicado por seis

A recém moradora de Ipatinga, Thais Alves, de 30 anos, teve três gestações de gêmeos, são seis filhos, com idades entre 5 e 8 anos

Stéphanie Lisboa
A partir da esquerda: Davi, Pedro, Rebeca, a mãe Thais, Samuel, Sara e Abraão A partir da esquerda: Davi, Pedro, Rebeca, a mãe Thais, Samuel, Sara e Abraão

Uma gravidez gemelar já inspira cuidados e é um desafio para a mãe. Imagina, então, passar por três gestações consecutivas de gêmeos. Foi o que ocorreu com a Thais Alves, de 30 anos.

A mãe agraciada com a dádiva da gestação múltipla conversou com a reportagem do Diário do Aço e contou um pouco das adversidades e prazeres já vividos no caminho percorrido até aqui. Thais nasceu em Timóteo, mas há cerca de um mês mora com os filhos e o noivo em uma casa humilde localizada no bairro Bethânia, em Ipatinga.

A timoteense deu à luz a seis crianças: Samuel e Davi, de 8 anos; Pedro e Sara, de 7; e Abraão e Rebeca, de 5 anos. Todas as gestações aconteceram naturalmente. “Os médicos falam que eu tenho muito hormônio”, contou.

Começo

A verdade é que, incialmente, Thais não tinha esperanças de que poderia ser mãe, tudo por causa de um grave acidente de trânsito que sofreu em 2012. Um caminhão bateu na bicicleta que ela pedalava. “Eu nem imaginava que eu iria engravidar por causa do acidente”.

Stéphanie Lisboa
1ª dupla - Davi (vermelho) e Samuel1ª dupla - Davi (vermelho) e Samuel
O médico disse, na época, que provavelmente ela não engravidaria, mas veio a surpresa. “Quando eu descobri que estava grávida fiquei louca, porque o meu sonho era ter gêmeos, desde nova”, lembra Thais. Foi aí que, em 2013, nasceram Samuel e Davi, que estão prestes a completar 9 anos.

Stéphanie Lisboa
2ª dupla - Pedro e Sara2ª dupla - Pedro e Sara
O sonho foi realizado e, algo que parecia improvável para os médicos, aconteceu. Mesmo já com os dois filhos, Thais queria ter uma menina. “Depois de poucos meses eu tentei engravidar de novo porque o meu sonho era ter uma menina. Veio a menina, mas veio o menino junto”, relembra. Mais uma dupla para a família, Pedro e Sara, que hoje tem 7 anos de idade.

Stéphanie Lisboa
3ª dupla - Abraão e Rebeca3ª dupla - Abraão e Rebeca
Com 23 anos de idade e já com quatro crianças em casa, Thais não planejava engravidar e, para que isso não acontecesse, ela tomava o anticoncepcional e chegou a cogitar a laqueadura, mas não conseguiu. “Como eu era muito nova não poderia fazer a cirurgia”, explica Thais, contando a decisão tomada pelo corpo médico à época, de não fazer o procedimento de esterilização.

A descoberta de uma nova gravidez aconteceu quando ela já estava com três mês e mexeu com as emoções da gestante. “Eu fiquei doida e tiveram que me dar água com açúcar na clínica. Quando me falaram que eram gêmeos aí eu fiquei louca”. Os caçulas Abraão e Rebeca iriam nascer.

Rotina

Cuidar de seis crianças não é fácil e Thais precisa administrar a rotina da casa, que é intensa. Como a grande maioria das mães, a prioridade são os pequenos. “É bem corrido porquê de manhã eles vão para escola, aí o tempo que fico sozinha não tem nem como eu cuidar de mim, porque tenho que arrumar casa, fazer almoço, tem que preparar a rotina da tarde, é bem corrido”, confidenciou a mãe.

Abandono

Stéphanie Lisboa
Thais fez questão de registrar o amor pelos filhos com uma tatuagem nas costas Thais fez questão de registrar o amor pelos filhos com uma tatuagem nas costas
Apesar do sorriso no rosto e da alegria de viver, a mãe e as crianças viveram uma situação bastante delicada. Quando os filhos ainda eram pequenos, o então companheiro de Thais e pai dos gêmeos abandonou a família para assumir um novo relacionamento. “As crianças, pode-se dizer, não têm pai. Quando eu separei, eles eram bem novinhos e o pai nem liga para saber como eles estão. Dá a pensão porque levei na justiça”, contou. Entretanto, essa é uma página virada na vida de Thais, que hoje está noiva de um rapaz que cuida dela e das crianças.

Gastos

Ter um filho gera gastos altos, então multiplique isso por seis. São necessárias muitas manobras para a conta fechar no fim do mês. Para se ter uma ideia, em uma semana a família consome um pacote de 5 quilos de arroz. Quando é possível comprar leite, são 6 a 7 fardos mensais. “Eu não trabalho fora, vivo da pensão e do bolsa família. Faço algumas coisas também, mas não é sempre que vende”, contou. Thais vai fazendo como pode, se esforça ao máximo para dar o melhor aos filhos, mas o supérfluo fica de lado. “Luxos não dá para ter, como saídas”, explicou.

Mãe de seis

Thais não vive no luxo, longe disso, mas possui a maior riqueza que poderia ter, ela é amada e rodeada de carinho 24 horas por dia, multiplicado por seis. “É a coisa mais maravilhosa do mundo. Eu agradeço a Deus todos os dias por ter me dado essa honra. Eu não me arrependo em nenhum momento de ter tido eles. A minha felicidade é ver eles bem”, declarou. A rotina dessa família tão especial pode ser acompanhada na página de Instagram da mãe, @vidade6gemeos.

Stéphanie Lisboa
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário