05 de maio, de 2022 | 14:18

AMM avalia projeto fabricianense que concorre a prêmio estadual

Divulgação
Nas escolas, os técnicos da AMN entrevistaram crianças, pais, professores e diretoresNas escolas, os técnicos da AMN entrevistaram crianças, pais, professores e diretores

Uma equipe técnica da Associação Mineira de Municípios (AMM) esteve em Coronel Fabriciano nesta semana, para visitar escolas da rede municipal de ensino e conhecer de perto o projeto de oftalmologia inscrito no Prêmio AMM de Boas Práticas na Gestão Pública, informou a administração municipal. O projeto concorreu com outras 54 iniciativas no eixo “Saúde” e está entre os três municípios finalistas. A iniciativa vencedora será revelada durante o Congresso Mineiro de Municípios, em junho, em Belo Horizonte.

A equipe avaliadora, formada por três assessores das áreas de saúde, licitação e meio ambiente, visitou três escolas em companhia dos secretários de Governança da Saúde, Ricardo Cacau, e Governança Educacional e Cultura, Carlos Alberto Serra Negra. Nas escolas, os técnicos entrevistaram crianças, pais, professores e diretores. O objetivo da visita foi averiguar se os resultados do projeto são realmente os descritos no ato da inscrição.

Maria Luiza, do 6º ano, e a mãe dela, Viviane, foram ouvidas. A menina contou que mal conseguia enxergar o quadro, mas nem ela e nem a mãe havia despertado para o problema até que toda a escola foi chamada para passar pelos exames na carreta oftalmológica. “Eu vi que tudo mudou quando comecei a usar os óculos. Isso foi incrível”, ela disse. A mãe conta que as notas de Maria Luiza melhoraram. “Ela reclamava do quadro, das letras, da iluminação para fazer o para casa. Agora não tem problema nenhum mais e passou a tirar nota máxima”, disse.

Diagnóstico e óculos

Conforme o governo fabricianense, foi apresentado aos técnicos todos os resultados do projeto. No âmbito da saúde, foram mais de 600 diagnósticos positivos de crianças com visão comprometida e houve a aquisição imediata dos óculos. No âmbito educacional, foram mais de seis mil estudantes avaliados e uma melhoria considerável do aprendizado em sala de aula, segundo Serra Negra. “Nós descobrimos um grande número de crianças com baixo aprendizado porque não enxergavam bem e até crianças que já usavam óculos sem necessidade. Então o projeto teve um alcance maior do que a gente esperava”, disse.

A Escola Municipal Vereador Nicanor Ataíde teve cerca de 40 alunos diagnosticados. Todos receberam os óculos. A vice-diretora, Erlane Martins da Silva, afirma que o impacto foi grande em sala de aula. “Nós temos crianças lendo melhor, escrevendo melhor e até se relacionando melhor com os colegas e o professor graças à melhoria da visão”, contou.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário