27 de janeiro, de 2022 | 12:11

Brasileira Bia Haddad fará final de duplas no aberto de tênis da Austrália

Divulgação/JOMA
Esta é a primeira vez que uma brasileira é finalista do Grand Slam australiano desde 1968Esta é a primeira vez que uma brasileira é finalista do Grand Slam australiano desde 1968

A paulista Bia Haddad está a apenas uma partida de conquistar o título de duplas do Aberto da Austrália, em Melborune. Ao lado da parceira cazaque Anna Danilina, Bia assegurou vaga na final ao derrotar as japonesas Shuko Aoyama e Ena Shibahara por 2 sets a 1 (parciais de 6/4, 5/7 e 6/4) na semifinal de quarta-feira (26). Esta é a primeira vez que uma brasileira é finalista do Grand Slam australiano desde 1968, quando teve início a Era Aberta. Antes, em 1960, a tenista Maria Esther Bueno se tornou a primeira mulher do país ao faturar o torneio de duplas.

"Mais um jogo difícil. Não foi fácil sacar no 5/4 e perder match point, realmente senti a pressão, mas feliz que não me frustrei. Só olhei pra Anna e falei 'Vamos pro próximo'. Muito feliz de ter tido uma segunda chance e é isso que eu quero levar pros meus próximos jogos”, disse Bia, de 27 anos, logo após o duelo.

Para levantar a taça no primeiro Grand Slam da temporada, a parceria Brasil-Cazaquistão terá de superar as atuais campeãs olímpicas a 1h de domingo (30), no horário de Brasília. As tchecas Barbora Krejcikova e Katerina Siniakova se classificaram à final ao ganharem com tranquilidade a outra semi, contra a dupla da belga Elise Mertens com a russa Veronika Kudermetova por 2 sets a 0 (parciais de 6/2 e 6/3). No ano passado, Krejcikova e Siniakova foram vice-campeãs em Melbourne. (Agência Brasil)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected].br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário