16 de janeiro, de 2022 | 08:00

Depressão e ansiedade podem ser superadas, ressalta psicólogo

Arquivo DA
Leonardo Morelli destacou que a ansiedade contribui para que outros sintomas apareçam no corpo das pessoas, caso não seja tratada  Leonardo Morelli destacou que a ansiedade contribui para que outros sintomas apareçam no corpo das pessoas, caso não seja tratada
Para chamar a atenção das pessoas às necessidades relacionadas à saúde mental, foi criada a campanha Janeiro Branco. Este mês foi escolhido porque é o primeiro do ano, ou seja, quando as pessoas estão mais focadas em resoluções e metas. Durante a campanha, diversos temas são debatidos, dentre eles, a importância de buscar ajuda profissional para lidar com depressão, ansiedade e outras doenças psicológicas.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que no mundo, mais de 700 mil pessoas morrem por suicídio anualmente, sendo a quarta maior causa de mortes de jovens de 15 a 29 anos de idade. No Brasil, são aproximadamente 13 mil mortes por ano, conforme os cálculos do Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria. A maioria dos suicídios está relacionada a distúrbios mentais, como depressão e transtorno bipolar.

Em entrevista ao Diário do Aço, o psicólogo clínico Leonardo Morelli, que atua na área há mais de 30 anos, relatou que, com início da pandemia de covid-19, foi possível perceber que as pessoas estão adoecendo mais psicologicamente. Agora, com o aumento do número de casos de covid-19 e de gripe, além dos estragos provocados pelas chuvas intensas deste mês, o psicólogo ressaltou que tudo isso acaba por agravar ainda mais a saúde mental das pessoas. “Nesse momento, vão aparecer, ou já vem aparecendo, uma ansiedade muito grande por causa das incertezas geradas pelas doenças e agora também pelo fato de muitas pessoas terem perdido seus bens devido à chuva”, explicou.

Sintomas
Conforme Leonardo Morelli, a ansiedade se apresenta de uma forma em que as pessoas se sentem muito mal, contribuindo para que outros sintomas apareçam em seu corpo. “Geralmente, dentro desse quadro, as pessoas sentem muito medo e preocupação com o futuro, consequentemente, surgem sintomas físicos, como dificuldade para dormir, para se alimentar e para se relacionar. E com o tempo, chega até a perder as esperanças de que as coisas podem melhorar, aí que começam a aparecer os sintomas da depressão, entrando em uma tristeza profunda. Mas vale ressaltar que esse é um processo que as pessoas precisam enfrentar para que possam ter condição de retomar a vida e lutar pelas suas coisas novamente”, afirmou.

Ajuda profissional
O psicólogo também salientou que a partir do momento em que as pessoas já não têm mais uma sensação de bem-estar e sentem de dificuldade para dormir, se relacionar e para fazer coisas que gostavam antes, já são sinais de que estão adoecendo. “Se elas não têm a condição de se ajudarem, devem procurar algum profissional para que possa falar daquilo que está a angustiando e provocando tristeza. Senão fizerem isso, consequentemente vão permanecer doentes e, com o tempo, isso pode se agravar, levando a uma depressão profunda, tendo pensamentos suicidas. Portanto, é importante buscar ajuda antes que chegue nesse estado”, ressaltou.

Cura
O psicólogo destacou que é preciso entender que a depressão e a ansiedade são apenas um estado de vida, ou seja, não é algo permanente, assim como uma doença qualquer que tem cura. “Temos que buscar um tratamento adequado para que possamos vencer essas dificuldades. As pessoas têm que pensar sempre nisso. Se elas não estão conseguindo sair desse processo de medo ou de tristeza, há mais de 15 dias, então elas têm que procurar ajuda profissional para que possa começar seu tratamento, por meio de medicação ou de psicoterapia, de modo que consiga sair dessa condição o mais rápido possível”, concluiu.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário