07 de janeiro, de 2022 | 17:46

25ª Mostra de Cinema de Tiradentes reflete a produção audiovisual do país

Leo Lara-Universo Produções/Divulgação
''Cinema em Transição'' é a temática do evento que exibirá mais de 100 filmes brasileiros em pré-estreias nacionais e mostras temáticas''Cinema em Transição'' é a temática do evento que exibirá mais de 100 filmes brasileiros em pré-estreias nacionais e mostras temáticas

O cinema brasileiro atravessa um período complexo e delicado em várias frentes. Do desenvolvimento de projetos à produção, das filmagens à finalização, da distribuição à exibição, toda a cadeia de realização tem sido reestruturada, reconfigurada e, muitas vezes, revolucionada. Estamos num período histórico de aceleração dos processos, que passa pela economia e pela criatividade no audiovisual, desde as formas de financiamento até a efervescência das plataformas de streaming e a crise das salas físicas.

Buscando mergulhar nesse caldeirão de mudanças, a Mostra de Cinema de Tiradentes chega à 25a edição, entre 21 e 29 de janeiro, adotando a temática “Cinema em Transição”, buscando nesta última palavra o sentido de suas discussões. O evento exibirá mais de 100 filmes brasileiros em pré-estreias nacionais e mostras temáticas, incluindo na programação gratuita homenagens a personalidades do audiovisual, seminário, debates, a série “Encontro com os filmes”, oficinas, “Mostrinha de cinema” e atrações artísticas.

Ampliação

O conceito do evento para 2022 reflete a transição no formato híbrido, entre o presencial e virtual, ainda sob o impacto da pandemia da covid-19. Em mudanças técnicas, estéticas e econômicas, o cinema brasileiro contemporâneo será investigado, durante a Mostra de Tiradentes, em sessões de pré-estreia, debates, bate-papos e encontros com realizadores, pesquisadores, críticos e profissionais.

A ambição é a de ampliar a conversa sobre novos arranjos profissionais e artísticos em andamento, diante de uma realidade econômica e criativa que segue institucionalmente negando a cultura e uma movimentação cultural que não pode mais se restringir aos antigos modelos de produção e de circulação de obras, sob o risco de sua própria sobrevivência e a dos profissionais envolvidos.

No âmbito econômico, a suspensão de políticas públicas do audiovisual afetou diretamente o cinema independente, que antes vinha mantendo um mercado profissional de técnicos e profissionais de toda a cadeia audiovisual, incluindo crescente presença de produções distantes do eixo Rio-SP com pessoas negras, mulheres, cineastas de condição social fora do espectro da classe média e alta e, em número mais tímido, pessoas trans.

As necessidades de trabalho levaram muitos artistas a transitar entre campos distintos, trafegando do cinema para as artes visuais, as artes cênicas, a música, a performance e outros mais. A internet se tornou um espaço fértil e essencial para a difusão e manutenção de diversos projetos, sejam independentes, sejam em acordos com grandes conglomerados de difusão.

“Ninguém quer e nem pode parar. Se existe muita constrição, precarização e recuos nesse processo, no aspecto criativo lidamos num cenário em que os intentos, as ideias e as práticas a partir do audiovisual são fortes em outros territórios de experimentação”, afirma Francis Vogner, coordenador curatorial da mostra de cinema.

Leo Lara-Universo Produções/Divulgação
O homenageado cineasta Adirley Queirós: novas formas e olhares técnicos, estéticos e profissionaisO homenageado cineasta Adirley Queirós: novas formas e olhares técnicos, estéticos e profissionais

Homenageado

É nesse espírito de movimentação intensa e de transição entre modos de fazer e fruir que a 25a Mostra de Cinema de Tiradentes presta tributo ao cineasta Adirley Queirós, um dos expoentes da produção contemporânea da sétima arte nacional. Desde a histórica e apoteótica sessão de “A Cidade é uma Só?”, em 2012 - quando inclusive saiu com o Troféu Barroco de melhor filme da Mostra Aurora -, o cineasta de Ceilândia, no Distrito Federal, vem apresentando seus novos e instigantes trabalhos no evento.

A homenagem a Adirley Queirós será realizada na noite de abertura da mostra, no dia 21 de janeiro, sexta-feira, com a entrega do Troféu Barroco, oficial do evento. A programação de abertura contará, também, com a exibição de trabalhos inéditos do homenageado. Os demais filmes da 25ª Mostra de Cinema de Tiradentes estarão disponíveis no site https://mostratiradentes.com.br, durante o período do evento.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário