08 de janeiro, de 2022 | 10:00

Preço do café quase dobra nos últimos meses e continuará em alta

Marcello Casal /Agência Brasil
Alterações climáticas são alguns dos fatores que influenciaram no aumento dos preçosAlterações climáticas são alguns dos fatores que influenciaram no aumento dos preços

O brasileiro tem sentido no próprio bolso a alta do preço do café nos últimos meses. A bebida mais consumida pelos brasileiros vem ficando cada vez mais cara e pode chegar ao valor mais alto em 25 anos, conforme dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Nas gôndolas dos supermercados do Vale do Aço, o pacote de 500 gramas das marcas mais conhecidas tem preço que varia de R$ 16 a R$ 18.

No ano passado, o café em grão já subiu mais de 110%, segundo dados da Abic, e a tendência é que o produto continue a subir em 2022, podendo chegar ao valor mais alto em 25 anos. A alta nos preços está ligada a uma série de fatores, os danos climáticos na safra 2021-2022, mas também uma produção pequena em 2020-2021, uma demanda que cresceu na pandemia e custos de produção maiores com a alta do dólar.

O economista que atua em Ipatinga, Amaury Goncalves, explica que normalmente não há alterações na produção do café no Brasil, o que afetou no último ano foram as condições climáticas, pois houve fortes geadas na última safra, comprometendo a capacidade da produção. “A produção esperada acabou ficando menor do que a expectativa, junta-se a isso a questão de as famílias terem ficado mais em casa durante a pandemia, além de muitas delas terem tido um aumento na renda, crescendo o consumo do produto”, explica.

Ainda segundo o economista, outro fator que muito influencia nos preços é o aumento da exportação de café, sendo inserido em novos mercados internacionais. “Com esse aumento da exportação, junto à falta de chuva e à geada registrada no ano passado, tivemos o fortalecimento do preço, atingindo mais de 200 dólares o preço da saca, um preço inédito nos últimos 20 anos”, pontua.

A alta do dólar em relação ao real, com a moeda estrangeira chegando a R$ 5,70, também favorece o aumento final ao consumidor. Nos últimos meses, o preço do pacote de café de 500 gramas passou da média de R$ 9 para R$ 18. Para este ano, a tendência também deve ser de aumento, ainda sofrendo reflexos da geada de 2021 e o aumento da oferta só deve melhorar em 2023.

Mercado externo

Amaury Goncalves também conta que, no mercado externo, diversos países produtores de café, como Colômbia, Vietnã e Etiópia vêm reduzindo a expectativa da produção de café, devido a problemas internos e isso continuará pressionando o aumento desta commodity do café em termos de dólar. “Há uma forte pressão no preço, o mercado está comprador e há uma escassez do produto no mercado internacional”, alerta.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Gildázio Garcia Vitor

08 de janeiro, 2022 | 13:14

“Acabei de chegar no município de Orizânia, localizado a 180 km de Ipatinga. De Inhapim até aqui, ao longo da BR 116, a famosa Rio-Bahia, pude apreciar, mais uma vez, belíssimas lavouras de café, a principal riqueza dos Mares de Morros, os mamelonares tropicais florestados, da Zona da Mata mineira.”

Envie seu Comentário