05 de janeiro, de 2022 | 18:30

Região tem projetos contemplados no edital Desperta Cultura

Consuelo de Abreu/Acervo Secult-MG
O objetivo do edital é fomentar o setor cultural em Minas, um dos que mais sofreram consequências econômicas com a pandemiaO objetivo do edital é fomentar o setor cultural em Minas, um dos que mais sofreram consequências econômicas com a pandemia

O Governo de Minas, por meio Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), e a Comissão Paritária Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Copefic) apresentaram esta semana o resultado final do edital Fundo Estadual de Cultura (FEC) 01/2021 - Desperta Cultura, premiação de pessoa física.

O objetivo do edital é fomentar o setor cultural em Minas Gerais, um dos que mais sofreram as consequências econômicas causadas pela pandemia de covid-19. Foram 321 propostas classificadas, que receberão entre R$ 4,5 mil até R$ 19,5 mil. O valor total disponibilizado foi de R$ 2,490 milhões.

No Vale do Aço, pelo menos 14 projetos foram aprovados, sendo contemplados nove artistas de Ipatinga, três de Timóteo e dois de Santana do Paraíso com recursos que totalizam cerca de R$ 85 mil.

Fomento

O Desperta Cultura é voltado para a formação e a qualificação dos profissionais da área cultural. O edital disponibilizará recursos diretos do Fundo Estadual de Cultura (FEC), para projetos que contemplem ações de pesquisa e documentação, seminários, cursos, oficinas e workshops.

O edital é dividido em duas categorias. A Categoria 1 é voltada para propostas ligadas à oferta gratuita de ações educativas, formativas ou de aperfeiçoamento/qualificação no campo das artes e da cultura, que sejam inéditas e cujo acompanhamento seja possível exclusivamente em tempo real (ao vivo). Nessa categoria, puderam inscritos projetos em uma das seguintes linhas de ação: laboratórios de pesquisa e experimentação; oficinas ou workshops de curta duração; seminários; curso/capacitação de longa duração.

Já a Categoria 2 é destinada à solicitação de bolsas de estudos para atividades educativas, formativas, de aperfeiçoamento e qualificação no campo das artes e da cultura. Os proponentes apresentaram projetos estruturados em um percurso formativo, completo ou parcial, com carga horária total mínima de 12 horas e máxima de 72 horas, que sejam executáveis em até seis meses. As propostas contempladas poderão ser oferecidas de maneira virtual, presencial ou remota. No caso de atividades presenciais, é necessário seguir a todos os protocolos de saúde determinados pelos órgãos públicos.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário