01 de dezembro, de 2021 | 15:51

Funcionários de frigorífico desabastecido de energia elétrica fazem protesto

Enviada por leitor
Trabalhadores de empresa em Jaguaraçu pediram agilidade à Cemig em restabelecer fornecimento de energia, interrompido há 22 dias Trabalhadores de empresa em Jaguaraçu pediram agilidade à Cemig em restabelecer fornecimento de energia, interrompido há 22 dias

Carregando faixas e cartazes, funcionários de um frigorífico, localizado à margem da BR-381 em Jaguaraçu, fizeram um protesto na manhã desta quarta-feira (1). A rede de energia elétrica que abastece a empresa foi destruída pelo deslizamento de encosta no distrito de Cachoeira do Vale. A reconstrução da linha de transmissão depende da remoção de toneladas de pedras e resíduos que ocupam a pista do antigo trecho da BR-381, serviço que começou a ser executado esta semana, com previsão de conclusão dentro de 30 dias.

Enquanto isso, a região abastecida pela rede de energia danificada está com fornecimento parcial de energia. Conforme um dos trabalhadores envolvidos na manifestação, a empresa tem 550 empregados, que estão sem trabalhar por causa da falta de energia elétrica na linha de produção. Além disso, há um estoque de 700 mil quilos de carne que precisa ser mantido sob refrigeração e os geradores não estão suportando.

Resposta

Procurada pelo jornal Diário do Aço, a assessoria de comunicação da Cemig informou, por meio de nota, que o fornecimento de energia à empresa foi prejudicado por causa de um deslizamento de encosta, no distrito de Cachoeira do Vale, em Timóteo, ocorrido na madrugada de 11 de novembro e que destruiu a rede de transmissão. A íntegra da nota é a seguinte:

“Sobre o fornecimento de energia ao frigorífico Paladar, a Cemig esclarece que, desde o início do deslizamento que atingiu a rede elétrica do local, tem atuado para resolver o problema o mais rapidamente possível, acompanhando de perto e atuando com a Prefeitura de Timóteo e o Dnit. Na tarde de hoje, um equipamento da rede elétrica responsável pelo fornecimento do cliente será substituído, o que já vai melhorar a qualidade de energia, mas a solução definitiva para o problema depende da reconstrução da rede elétrica do local (Cachoeira do Vale), onde ainda há risco geológico. Contudo, para realizar esse serviço, a Cemig precisa aguardar a finalização dos trabalhos do município de Timóteo e do Dnit”.  
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Carlos Massa

02 de dezembro, 2021 | 11:09

“Mauricio Costa, vi tal informação na reportagem sim, porem, como se trata de uma situação de emergência, com prazo maior para ser resolvido, seria simplesmente acrescentar geradores de alta capacidade, os quais sao alugados, e resolveriam este imbróglio! Certamente o sistema de geração própria da Paladar, serve para suprir falhas curtas e equipamentos/máquinas vitais, nao suportando uso continuo por dias, como é o caso em pauta!!”

Bom

01 de dezembro, 2021 | 20:24

“Arranjem um bom advogado e façam um bom processo, juntamente com a empresa duvido se não dá trabalho pra cemig”

Jorge

01 de dezembro, 2021 | 17:38

“Como fica nos trabalhadores estamos a mais de 22 dias sem trabalhar temos família e filhos pra sustentar. Cemig resolve nosso problema”

Observador

01 de dezembro, 2021 | 17:28

“Um prejuízo desses é passível de um grande processo contra a fornecedora de energia, já que a legislação protege o consumidor (neste caso a empresa) em caso de perdas.

De qualquer forma é uma excelente oportunidade do frigorifico avaliar o investimento em placas fotovoltaicas.”

Mauricio Costa

01 de dezembro, 2021 | 17:02

“Carlos Massa, acho que você não leu a notícia. Está claro que tem gerador, mas insuficiente para sustentar por tantos dias uma empresa desse porte. Já no segundo parágrafo fala disso.”

Alan de Minas

01 de dezembro, 2021 | 16:58

“? um absurdo? Resumindo a resposta da empresa em duas palavras: SE VIRA.”

Carlos Massa

01 de dezembro, 2021 | 16:12

“Vamos e convenhamos, uma empresa deste porte não possuir um grupo gerador também é demais!!! Tira o escorpião do bolso caro Jomar!!!”

Envie seu Comentário