27 de novembro, de 2021 | 10:00

Problemas na distribuição de vacinas prorroga prazo da campanha contra febre aftosa

Divulgação IMA
Nova data limite para enviar a declaração de vacinação ao IMA é 30 de dezembroNova data limite para enviar a declaração de vacinação ao IMA é 30 de dezembro

Em razão de problemas na distribuição da vacina em todo o Estado, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) autorizou a prorrogação da vacinação contra a febre aftosa em Minas Gerais para até 20 de dezembro. Como a legislação determina que o pecuarista pode comprovar (declarar) a imunização até dez dias após o término da campanha, este procedimento também foi adiado, ou seja, o produtor mineiro poderá declarar a imunização de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses até 30 de dezembro.

A segunda etapa da vacinação contra aftosa começou no dia 1º de novembro e terminaria no próximo dia 30. O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), fiscaliza a campanha junto aos produtores rurais e estabelecimentos revendedores de vacina.

A região do Escritório Seccional do IMA de Ipatinga compõe os municípios de Antônio Dias, Marliéria, Jaguaraçu, Timóteo, Coronel Fabriciano, Ipatinga, Ipaba, Santana do Paraíso, Mesquita, Joanésia, Braúnas, Belo Oriente, Naque e Periquito. A expectativa é vacinar cerca de 40 mil cabeças nos referidos municípios.

Segundo o chefe do Escritório Seccional de Ipatinga, Tiago Henrique Pena Moreira, 17.668 animais já foram declarados, correspondendo 43% do rebanho a ser vacinado. “Um dos motivos da prorrogação é a falta de vacina em algumas regiões devido à má distribuição, pois o IMA fez o levantamento e o Estado tem aproximadamente 10 milhões de animais em estado vacinal e 12 milhões de doses disponíveis, porém, mal distribuída. Então estão remanejando essas doses, inclusive já chegou mais imunizantes no Vale do Aço”, explicou.

Estoque na região

Ainda conforme Tiago Henrique, no Vale do Aço existem 7.200 doses disponíveis. “E está para chegar mais 3 mil doses em Santana do Paraíso e existem outras lojas que já fizeram solicitação de vacina. Com a prorrogação eu creio que deve chegar mais vacinas na nossa região e assim facilitar para o produtor adquirir e vacinar o rebanho e assim alcançarmos o índice de vacinação que é de 95%”, afirmou.

A ampliação do prazo e remanejamento de doses das vacinas foram avaliados e autorizados pelo Mapa a pedido do IMA e entidades representativas do setor em Minas, pelo Sistema Faemg, sindicatos rurais e associações de criadores de animais. Caso tenha dificuldades em adquirir a vacina em sua região, o pecuarista deve recorrer a municípios próximos e, para esclarecer qualquer dúvida, pode procurar os escritórios do IMA.

Multas

O produtor que não vacinar os animais estará sujeito a multa de 25 Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs) por animal, o equivalente a R$ 98,6 por cabeça. A declaração de vacinação também é obrigatória e o produtor que não o fizer até 30 de dezembro poderá receber multa de 5 Ufemgs, o equivalente a R$ 19,72 por cabeça.

Declaração

O produtor comprova a vacinação dos bovinos e bubalinos usando o formato eletrônico de declaração ou, caso tenha cadastro, acessando o Portal de Serviços do Produtor.

Outra opção é o envio da declaração para o e-mail da unidade do IMA responsável pela jurisdição do município, ou presencialmente em uma das unidades. O e-mail do escritório regional do IMA é: [email protected]
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário