25 de novembro, de 2021 | 16:36

Adolescente portava cédula de R$ 420 no Espírito Santo e o caso foi parar na Delegacia de Polícia

Divulgação
Dinheiro de brinquedo foi apreendido no Espírito Santo; Em Minas Gerais, idoso chegou a dar troco ao receber a cédula Dinheiro de brinquedo foi apreendido no Espírito Santo; Em Minas Gerais, idoso chegou a dar troco ao receber a cédula

A Polícia Militar do Espirito Santo apreendeu uma cédula de R$ 420, com desenho do bicho-preguiça e de uma planta da maconha. A cédula estava com um adolescente. O delegado responsável pelo caso informou que, como a nota não existe, o caso não se caracteriza como falsificação. O jovem foi liberado e o caso será encaminhado ao Ministério Público.

"Na verdade, isso é uma brincadeira, porque tem um bicho-preguiça e uma folha de maconha. O R$ 420 faz referência ao 4h20, também relacionado ao entorpecente. Eventualmente, se ele tivesse usado a nota e alguém recebido ela, poderíamos falar em um crime de estelionato. Como ele não usou, ele não cometeu crime nenhum com essa nota”, afirmou o delegado titular da Delegacia de Polícia (DP) de Nova Venécia, Willian Dobrovosk, em entrevista ao jornal “A Gazeta”.

Consumado

Embora o caso no ES tenha “dado em nada”, por enquanto, em Minas Gerais há registro de um golpe consumado. Recentemente foi registrada uma ocorrência de estelionato em que um idoso recebeu uma nota falsa de R$ 420 como pagamento de um empréstimo. Como a dívida era de R$ 100, o homem chegou a devolver R$ 320 de troco ao golpista. A cédula de R$ 420 era distribuída como brinde por uma loja de roupas em Unaí. Na época, a marca alegou que o item fazia parte de uma ação de marketing.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário