24 de novembro, de 2021 | 10:00

Prefeito de Coronel Fabriciano é contra liberação do carnaval

Arquivo DA
Marcos Vinicius diz que vai trabalhar para manter o comércio funcionandoMarcos Vinicius diz que vai trabalhar para manter o comércio funcionando

O prefeito de Coronel Fabriciano, Marcos Vinicius Bizarro (PSDB), publicou em seus perfis nas mídias sociais uma crítica sobre a possível realização do carnaval no fim de fevereiro do ano que vem. “A onda de uma nova variante da covid se espalha na Europa e o povo aqui discutindo como liberar o carnaval, infelizmente não aprendemos nada”.

A postagem vem num momento em que o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), disse que não vai patrocinar o carnaval na capital e o governador Romeu Zema (Novo) jogou para os municípios a decisão de fazer ou não a festa.

Bizarro explicou que Fabriciano não tem tradição de carnaval de rua, porém, quando se fala em carnaval no Brasil, logo se pensa em receber pessoas de todas as partes do mundo. “Ainda é muito precoce pensar em um evento onde é difícil ter algum controle, nos jogos de futebol já é difícil ter controle, imagina o carnaval que é na rua”, argumentou.

Vacina própria

O prefeito, que também é médico, lembra que o vírus ainda não acabou e que o Ministério da Saúde deveria estar preparando um novo imunizante para proteger a população em 2022, e de preferência incluindo a imunização contra a influenza. “O que se vê é que estão forçando a utilização da vacina da Pfizer e nós já temos tecnologia para preparar um novo imunizante e não ficar usando o mesmo de um ano atrás. Estão de novo indo para um caminho contrário”, afirmou.

Outras festas

Em relação a outras festas, como o Réveillon, Marcos Vinicius disse que a realização de qualquer evento deve seguir as devidas restrições, conforme decreto municipal. “Eu não liberei nada e o que eu tenho que preservar em Fabriciano é o dia a dia do cidadão, trabalhar para que o comércio não feche novamente como ocorreu no ano passado”, apontou.

Sobre o aniversário do município, comemorado no dia 20 de janeiro, o prefeito adianta que não deve haver grandes eventos musicais ou que promova aglomerações. E que ainda é preciso esperar para ver como ficará o cenário da saúde no país.


Governador passa responsabilidade do carnaval para municípios


O governador Romeu Zema (Novo) afirmou nesta terça-feira (23), em Belo Horizonte, que o cenário da pandemia está favorável para que ocorra o carnaval de 2022. Acrescentou que a organização é das prefeituras, mas que espera que os executivos possam pelo menos orientar e organizar o evento de forma responsável.

“Nosso papel, pelo Minas Consciente que foi atualizado, é dar os cuidados necessários. Não adianta o setor público fechar os olhos, as festas estão acontecendo, o carnaval vai ser planejado pelos organizadores locais e nós temos que ajudar a orientar para que não haja risco de ser desorganizado e de forma preventiva como estamos tentando fazer agora. Temos que chegar mais perto para saber sobre isso”, alertou.


“Carnaval desorganizado é mais arriscado do que o carnaval organizado”, diz secretário


Em meio a essa discussão, o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, afirmou que “carnaval desorganizado é mais arriscado do que o carnaval organizado”. Em entrevista à imprensa, Baccheretti esclareceu que a Secretaria de Estado de Saúde de Minas de Gerais (SES-MG) irá atualizar os protocolos de eventos para que os municípios consigam planejar uma folia segura. "Se a gente não der essa orientação, o carnaval vai acontecer de forma desorganizada com maior risco para a população. Que seja o número máximo de pessoas dentro de cada bloco, que seja obrigação de testagem ou cartão de vacina”, reforçou.

O secretário acrescentou que a expectativa é que até mais de 90% dos mineiros estejam vacinados com as duas doses contra a covid-19 até o fim de fevereiro. No mesmo período, acredita-se que todos os adultos do Estado já tenham tomado o reforço, além de crianças de 5 a 11 anos, que devem ser incluídas no calendário de imunização nas próximas semanas.



Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Warmly

24 de novembro, 2021 | 23:11

“Comédia pura!!!! Na eleição era pela liberdade total. Agora vem com essa!!!! Kkkk”

Samuel Alves Pimentel

24 de novembro, 2021 | 15:23

“Tinha que acabar com esta porcaria de Carnaval pra sempre.
Povo idiota sem oque comer e bebendo feito louco urinando e cagando por todo lado. Não sei porque ainda cogitam está merda de Carnaval. Peço desculpa pela palavra mas deixo aqui minha indignação. Com esta festa do inferno”

Observador

24 de novembro, 2021 | 14:21

“Por mim independente de doença ou não, o carnaval poderia deixar de existir no Brasil, festa de promiscuidade e balburdia que só serve de pedra de tropeço para o povo.”

Envie seu Comentário