17 de novembro, de 2021 | 17:31

''Capoeira Cultura Viva'' movimenta o Dia de Zumbi e da Consciência Negra em Timóteo

Divulgação
Associação de Capoeira Angola Lenço de Seda promove evento que valoriza a cultura africana Associação de Capoeira Angola Lenço de Seda promove evento que valoriza a cultura africana

No próximo dia 20 será realizado na Praça do Coreto, no Centro Comercial de Timóteo, o evento “Capoeira Cultura Viva”, promovido pela Associação de Capoeira Lenço de Seda e o Centro de Estudos da Cultura Ancestral Brasileira (Lenço de Seda Cecab).

Os organizadores informam que, com o objetivo de celebrar o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, as atrações do evento foram pensadas para valorizar a identidade cultural afro-brasileira e os agentes culturais da cidade.

Capoeirista da Lenço de Seda, Diogo Netto, explica que o encontro visa discutir temas que foram silenciados por muito tempo, como, o racismo estrutural, a intolerância religiosa, a violência contra um povo, a marginalização e as tentativas de apagamento da cultura africana.

“Quando falamos de Capoeira Cultura Viva, estamos chamando a atenção para a tradição oral africana e afro-brasileira, valorizando a nossa dança, a cultura, a nossa beleza, o nosso cabelo, a religião, as referências que temos de heróis, como Zumbi, Marighella, Conceição Evaristo, Dandara, Elza Soares, Clementina de Jesus, Marielle Franco, Djamila Ribeiro, Mestre Moa do Katendê, entre tantos outros, para que os mais jovens possam conhecer, se reconhecerem, se assumirem e se orgulharem de seus ancestrais”, detalha.
Divulgação
Segundo os organizadores, atrações do evento foram pensadas para valorizar a identidade cultural afro-brasileira e os agentes culturais da cidadeSegundo os organizadores, atrações do evento foram pensadas para valorizar a identidade cultural afro-brasileira e os agentes culturais da cidade

Agenda

A programação começa às 9h com um aulão de Capoeira Angola, seguido por apresentação do grupo de dança Cia Lopez de Timóteo. A tradição do Congado Guarda de Moçambique de Timóteo também marca presença. Promovida pela Lenço de Seda, a roda de Capoeira vem na sequência, contando com a participação de convidados como o Terrêru Coletivo Cultural, a Associação de Capoeira Angoleiros Sim Sinhô, de Belo Horizonte e o Grupo de Capoeira Angola Crispim Menino Levado, de Teófilo Otoni.

O Samba de Roda e o Maculelê também fazem parte da programação, que estende até a noite com sarau de poesia, microfone aberto e roda de conversa, com a presença de Pietra Poeta, a performer Janaína Lages e o coletivo A Rua Declama, entre outros convidados. Para fechar a programação, um show do artista Douglas Netto.

Dia de Zumbi

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra foi instituído oficialmente pela Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A escolha em celebrar o Dia da Consciência Negra em 20 de novembro não foi aleatória. Trata-se da data de assassinato de Zumbi dos Palmares, o maior líder do Quilombo dos Palmares, ocorrido em 1965- – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco.

Na década de 1970, ativistas ligados a um grupo de quilombolas situado no Rio Grande do Sul passaram a reivindicar a celebração do Dia da Consciência Negra no Brasil nessa data.
Divulgação
O Centro de Estudos da Cultura Ancestral Brasileira – Lenço de Seda-Cecab –  foi fundado, em 1977, por Reginaldo Consolatrix Maia, o mestre VeioO Centro de Estudos da Cultura Ancestral Brasileira – Lenço de Seda-Cecab – foi fundado, em 1977, por Reginaldo Consolatrix Maia, o mestre Veio

Em 1978, surgiu o Movimento Negro Unificado no país, que passou a realizar uma série de ações para promover a consciência negra e lutar contra o racismo. Graças ao movimento, o Dia da Consciência Negra tornou-se uma data lembrada todo ano como representativa da luta da população negra. Durante o governo de Dilma Rousseff, o dia foi instituído oficialmente pela Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. Em agosto de 2021, incluiu-se o Dia Nacional de Zumbi nas celebrações e a data foi aprovada pelo Senado Federal como feriado nacional.

Cecab

O Centro de Estudos da Cultura Ancestral Brasileira – Lenço de Seda-Cecab – foi fundado, em 1977, por Reginaldo Consolatrix Maia, o mestre Veio. Atua, desde 1977, na promoção da educação e da cultura ancestral brasileira com intervenções pedagógicas de formação de agentes culturais e educadores. Mantém uma agenda cultural voltada para processos de criação coletiva em inúmeros projetos de parceria, intervenção multidisciplinar e de formação e assessoria pedagógica.

Um dos centros culturais pioneiros da região do Vale do Aço, a Lenço de Seda-Cecab assume o papel de aglutinar e dar espaço e voz aos movimentos que valorizam as ancestralidades ameríndia, afro-brasileira e afro-mineira.

O evento “Capoeira Cultura Viva” tem o apoio da Lei Aldir Blanc de Auxílio à Cultura, sancionada pelo Governo Federal em agosto de 2020, e do Município de Timóteo.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Everton Bragança

17 de novembro, 2021 | 19:19

“O CECAB mudou minha vida para muito melhor! Sou eternamente grato ao trabalho desenvolvido sob a liderança do Reginaldo Consolatrix!”

Envie seu Comentário