19 de outubro, de 2021 | 17:32

IMA mobiliza estabelecimentos para comercialização de vacinas para campanha contra febre aftosa

Divulgação
Patrícia Prata Maluf explica sobre as condições para a revenda da vacinaPatrícia Prata Maluf explica sobre as condições para a revenda da vacina

Em novembro começa a segunda etapa da vacinação contra Febre Aftosa/2021. E para garantir a imunização do rebanho, o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) pede o apoio de pontos de revendas, o que possibilita a compra da vacina em estabelecimentos comerciais da iniciativa privada, para que o Estado de Minas Gerais alcance o índice de vacinação esperado.

Patrícia Prata Maluf, responsável pela área de produtos de uso veterinário do IMA no Estado explica que as revendas são espaços importantes, não só para o comércio de produtos agropecuários, mas também para divulgação de informações relevantes aos produtores rurais. “Em todo o Estado, por volta de 1.400 revendas fazem a comercialização de vacinas contra febre aftosa”, disse.

Ainda conforme Patrícia Prata, os locais de venda devem ser registrados junto ao IMA para que possam realizar a comercialização de vacinas sob controle oficial, além de cumprirem com os requisitos quanto ao refrigerador para o armazenamento dos produtos e ao controle diário de temperatura e de vendas. “Se a vacina não for acondicionada de forma adequada, a imunização dos animais também não será. Por isso, a grande importância do trabalho das revendas”, complementou.

O IMA irá acompanhar o lançamento de vendas e o estoque de vacinas, além do controle presencial para verificação das condições de armazenamento e distribuição. Em caso de intercorrências que possam comprometer a qualidade das vacinas, a fiscalização do IMA tomará medidas para impedir a comercialização desses produtos.

O produtor também deve tomar medidas para garantir a qualidade do imunizante comprado. “O produtor deve exigir o comprovante fiscal de aquisição das vacinas, que devem estar sob refrigeração, em frascos íntegros e dentro da validade. O imunizante deve ser entregue ao produtor em caixa de isopor ou recipiente isotérmico compatível, com gelo suficiente para a manutenção das vacinas até o destino”, detalhou a responsável.

O IMA também adiantou que em 2022 as etapas de vacinação contra febre aftosa em Minas Gerais ocorrerão nos meses de maio e novembro.

A doença

A febre aftosa é uma doença infecciosa aguda, causada por vírus, altamente contagiosa que atinge os bovinos, búfalos, ovinos, caprinos e suínos. Um foco apenas da doença, em uma propriedade atingida, pode causar restrição ao mercado nacional e internacional, já que animais e produtos de origem animal ficam proibidos de serem comercializados para países livres ou áreas livres de febre aftosa. Atualmente, Minas é zona livre de febre aftosa com a vacinação e possui reconhecimento da Organização Mundial de Saúde (OIE), o que mantém importante acordos internacionais.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário