18 de outubro, de 2021 | 07:00

De São Cândido para o mundo

Num ''case'' quase inimaginável de sucesso, Júnior Messias iniciou no futebol amador de Ipatinga, foi para Itália trabalhar, mas o futebol seguiu em seu caminho e hoje é jogador do poderoso Milan

Divulgação Milan
Depois de anos no futebol amador, Messias defende o Milan na Série A italianaDepois de anos no futebol amador, Messias defende o Milan na Série A italiana

Jogar num grande clube de futebol é o sonho de todo menino apaixonado pelo esporte. O caminho mais comum é iniciar nas escolinhas e, à medida em que se ganha destaque, ir galgando categorias até chegar à equipe principal. Se ter uma carreira de sucesso com esse início já é difícil, se profissionalizar depois de adulto e defender um grande clube europeu é uma tarefa quase impossível.

Mas o impossível não faz parte da vida de Júnior Walter Messias, de 30 anos, do distrito de São Cândido, em Caratinga. Ele se apaixonou pelo futebol ainda criança e passou por equipes do futebol amador de Ipatinga, como Canaã, AERC e pela última aventura do Ideal na 3ª Divisão do Mineiro. Sem ver sua carreira decolar, ele partiu para Turim, na Itália, em 2011, aos 20 anos, para se juntar ao irmão Douglas, que já vivia na Europa, a fim de trabalhar como mais um imigrante que busca uma vida melhor nas mais diversas atividades.

Chegando lá, ele exerceu diferentes funções para se manter, desde ajudante de pedreiro até entregador de eletrodomésticos, mas nunca largou o futebol. Bom de bola, foi logo descoberto para disputar as ligas amadoras italianas até chamar a atenção do ex-jogador e ex-técnico do Torino, Ezio Rossi, que o convenceu a ingressar no Casale, em 2015. Nessa época, Messias tinha 24 anos e o Casale disputava a 5ª divisão, que ainda é amadora. Naquela temporada o time conseguiu acesso à Série D.

Divulgação Milan
Paolo Maldini, diretor técnico e uma das lendas do Milan, ao lado de Messias e de outro mandatário do clubePaolo Maldini, diretor técnico e uma das lendas do Milan, ao lado de Messias e de outro mandatário do clube

Depois Messias seguiu para o Chieri e, em seguida, para o Gozzano, disputando a Série D. Em 2019, foi contratado pelo Crotone, quando finalmente se profissionalizou naquele país, aos 27 anos. O atleta subiu com o time da Série B do “Calcio” para a Série A.

O sonho parecia ter sido realizado, mas ainda tinha mais: o poderoso Milan se interessou pelo futebol do atleta e o contratou, por empréstimo, em agosto de 2021. Hoje, Júnior Messias faz parte de um elenco que tem nomes como o atacante francês Giroud, o sueco Zlatan Ibrahimovic e o meia-atacante Daniel Maldini, filho do lendário zagueiro Paolo Maldini, que dedicou toda a sua vida ao Milan. Atualmente Maldini é diretor técnico do clube.

Rossonero

A história de Messias é tão incomum que foi utilizada até pelo Milan para apresentar o jogador. No dia 1º de setembro, o clube usou as mídias sociais para publicar um vídeo do atleta com a seguinte legenda: “De brincar nas ruas de Ipatinga a vestir a camisa rossonera no San Siro: a história de Júnior Messias continua”.

O Milan, que venceu o Campeonato Italiano por 18 vezes e a Liga dos Campeões da Europa em sete ocasiões, desembolsou 2,6 milhões de euros pelo empréstimo. E, para ficar de vez com Messias, o time milanês precisará pagar mais 5,4 milhões de euros ao Crotone. Para uma equipe das proporções do Milan, contratar um jogador de 30 anos por esse valor é um negócio de baixo risco, até porque o canhoto Messias, de 1,79m, pode atuar em diversos setores, como ponta direita, mais centralizado ou até no meio-campo.

Para o jogador, que mantém a paixão por São Cândido, distrito de Caratinga, o que aconteceu em sua vida foi plano de Deus. “Trabalhei com tudo na Itália. Fui ajudante de pedreiro, fiz mudança, fui entregador de eletrodoméstico. Entregava e montava lavadora de prato, fogão, lavadora de roupa”, detalhou ele sobre o início de vida na Itália. “Comecei no profissional aos 27 anos e achei que era impossível chegar num time de grande porte como o Milan. Mas era promessa de Deus para mim. Quando eu vivia em São Cândido não tinha chance de virar profissional, mas Deus usou uma tia minha para passar um recado. Ela falou que eu iria jogar num dos grandes clubes da Europa, e a promessa de Deus foi cumprida”.

Segundo o jogador, o Milan queria a compra definitiva, mas por ”jogo duro” do Crotone, a equipe rossonera aceitou o empréstimo.

Recepção

Divulgação Milan
Júnior Messias, o 3º da esquerda para a direita, em um dos muitos clubes amadores em que atuouJúnior Messias, o 3º da esquerda para a direita, em um dos muitos clubes amadores em que atuou
Vestindo a camisa 30 do Milan, Messias diz que foi muito bem recebido. “Meu relacionamento é igual com todos. O Ibra é um cara tranquilo, o filho do Maldini a mesma coisa. O treinador e os diretores me queriam no clube, então foi tudo muito tranquilo”, contou o atleta.

Por ter chegado ao clube com o Campeonato Italiano já em andamento, Messias precisou melhorar sua condição física. “Disputei só um jogo por enquanto, ainda estou recuperando minha forma física”.

Atuação no amador de Ipatinga

Filho do encarregado de solda Valter Messias de Matos e da dona de casa Vindilina Ramos Pires de Matos, Júnior tem três irmãos: Douglas, Deivid e Deise. Toda a família ainda vive em São Cândido, onde ele iniciou o sonho de jogar bola.

“Sempre morei no distrito e já joguei pelo Canaã, time pelo qual disputei o Mineiro Júnior. Também defendi o AERC no Campeonato Ipatinguense e disputei a 3ª Divisão do Mineiro pelo Ideal”, relembra o meia-atacante.

Vida na Itália

Júnior Messias vive em Milão com a esposa, Thamyrys, que é de Ipatinga, e com os filhos Miguel e Emanuel. “Na Itália se vive bem, tem vida de luxo. Para se vestir e para comer é excelente. A única coisa que falta aqui é o calor que só nós brasileiros temos. A alegria e confiança que o brasileiro passa quando você precisa não tem igual”, compara o jogador.

Divulgação Milan
Apesar de ter uma vida melhor hoje, o atleta de São Cândido diz que continua sendo a mesma pessoaApesar de ter uma vida melhor hoje, o atleta de São Cândido diz que continua sendo a mesma pessoa
Embora o salto na vida tenha sido visível, de sair do futebol amador na fase adulta a defender um grande clube europeu, Messias diz que seu cotidiano não mudou. “Sou uma pessoa normal, não mudou muita coisa não. Sou quem sempre fui. Hoje para sair é diferente, as pessoas querem tirar foto, querem autógrafo; fora de campo isso muda, mas dentro não”.

A respeito do futuro de sua carreira, ele diz ainda não ter pensado. “Enquanto tiver possibilidade fico aqui. Mas minha vontade é voltar para o Brasil quando parar de jogar. Minha família está toda em São Cândido, lá é minha terra natal e é para lá que quero voltar”, destacou.

Seguir sonhando

Ao dar conselhos para os jovens que sonham com o conto de fadas que aconteceu em sua vida, Júnior Messias destaca a persistência. “Ser jogador não é fácil, tem que ter oportunidade, sorte e trabalhar duro. Meu conselho é estudar. Tentar ser algo na vida fora do futebol. Se você não estuda não tem estrutura para a vida. A porcentagem de quem consegue chegar e se manter no futebol num nível Série A é muito pequena. Mas tem que sonhar, se desistir nunca consegue. É preciso batalhar. Enquanto tiver esperança o sonho tem que continuar”, concluiu.

Irmão disputa Ipatinguense pelo Barcelona de Iapu


Responsável por recepcionar Júnior Messias em Turim há dez anos, o irmão do jogador, Douglas, também é um apaixonado pelo esporte. “A nossa busca por sucesso vem de muito tempo. Desde criança tínhamos esse sonho. O meu irmão passou por diversos clubes amadores da região até conseguir jogar onde joga hoje”, contou Douglas, que atualmente defende o Barcelona de Iapu no Campeonato Ipatinguense Unificado, atuando como meia-atacante.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Joel J Brito

18 de outubro, 2021 | 08:03

“Conheço a familia do Junior Messias (Mico)!. Todos batalhadores, honestos, religiosos. Humildes, etc. . Sinto-me orgulhoso como se fosse o sucesso de um filho.”

Matheus

18 de outubro, 2021 | 00:29

“Isso que é notícia ??”

Gildázio Garcia Vitor

17 de outubro, 2021 | 09:14

“Belíssima história para começar a semana! Parabéns garoto e muito sucesso no Milan. Pena que no Brasil poucos têm chances para chegar a algum lugar apenas com o talento.”

Envie seu Comentário