04 de outubro, de 2021 | 16:53

Toque dos Sinos e Ofício de Sineiros: 2 patrimônios em fase de revalidação

Acervo Iphan
Os dois bens foram registrados a partir do mesmo processo e, por isso, têm reavaliação conjuntaOs dois bens foram registrados a partir do mesmo processo e, por isso, têm reavaliação conjunta

O Toque dos Sinos e o Ofício de Sineiros (MG) passarão por um processo de revalidação do título de Patrimônio Cultural do Brasil. O extrato de parecer técnico foi divulgado no Diário Oficial da União (DOU), na edição de 23 de setembro, e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) abriu o prazo de 30 dias para que a população se manifeste sobre a revalidação dos bens culturais. Até o dia 22 de outubro, qualquer pessoa pode participar e opinar.

Para consolidar um processo de revalidação do título de Patrimônio Cultural, o Iphan elabora, em parceria com organizações diretamente envolvidas e pesquisadores, o parecer de revalidação, que trata das transformações pelas quais os bens culturais passaram nos últimos anos. 

As manifestações da sociedade podem ser realizadas via formulários digitais. Organizações e cidadãos de qualquer idade também podem se manifestar por meio do correio eletrônico [email protected] ou via correspondência, para o Departamento de Patrimônio Imaterial - Diretor - SEPS Quadra 713/913, Bloco D, 4º andar - Asa Sul -Brasília - Distrito Federal - CEP: 70.390-135. As manifestações encaminhadas irão subsidiar a avaliação do bem registrado. O processo será avaliado pela Câmara Setorial de Patrimônio imaterial e, por fim, encaminhado ao Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural para deliberação.

Históricos e culturais

Em 2019 completaram-se dez anos desde que o Toque dos Sinos foi inscrito no Livro de Registro das Formas de Expressão e o Ofício de Sineiros, no Livro de Registro dos Saberes. Naquele momento, o reconhecimento se baseou na identificação desses bens culturais nos municípios de São João del-Rei, Tiradentes, Ouro Preto, Mariana, Catas Altas, Congonhas, Sabará, Diamantina e Serro. Os dois bens foram registrados a partir do mesmo processo e, por isso, têm reavaliação conjunta.

O Toque dos Sinos se constitui como forma de expressão que associa os sinos, as torres sineiras, os sineiros e a comunidade receptora destas mensagens sonoras. Sua reprodução se dá pela execução dos repiques, badaladas e dobres dos sinos das igrejas católicas, anunciando rituais religiosos e celebrações. Já o Ofício de Sineiro tem importância fundamental na produção e reprodução dos toques que caracterizam e diferenciam territórios e comunidades, contribuindo para a permanência da prática de tocar sino nas cidades mineiras como uma forma de comunicação e identidade.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário