09 de setembro, de 2021 | 09:00

Macrorregião do Vale do Aço está com 840 doses da Coronavac suspensas pela Anvisa

Nenhuma dose do lote suspenso chegou a ser enviada para os municípios da macrorregião do Vale do Aço, afirma superintendente

Fábio Marchetto/Divulgação
As doses suspensas da Coronavac foram envasadas em uma fábrica que não foi inspecionada, nem aprovada pela agência brasileiraAs doses suspensas da Coronavac foram envasadas em uma fábrica que não foi inspecionada, nem aprovada pela agência brasileira

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informou que, ao todo, 823.400 doses estão dentre os lotes com interdição cautelar pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Desse total, 840 foram enviados para a Superintendência Regional de Saúde (SRS), em Coronel Fabriciano. Conforme a Anvisa, as doses suspensas foram envasadas em uma fábrica que não foi inspecionada, nem aprovada pela agência brasileira. Esse anúncio foi feito no dia 4 deste mês.

O superintendente regional de Saúde, Ernany de Oliveira, informou ao Diário do Aço que nenhuma dose do lote suspenso chegou a ser enviada para os municípios da macrorregião do Vale do Aço. Ao todo, são 840 doses suspensas na regional de saúde. “Todas permanecem na sala de vacina até sair a conclusão da Anvisa”, explicou Ernany.

Interdição cautelar

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) esclarece que, dentre os lotes que tiveram interdição cautelar pela Anvisa, o Estado de Minas Gerais recebeu e distribuiu o lote 202107101H da vacina do Instituto Butantan (Coronavac) para as suas Unidades Regionais de Saúde (URS) e para o município de Belo Horizonte no período do dia 1º ao dia 4 deste mês. “De acordo com a nota informativa divulgada pelo Ministério da Saúde: solicita-se segregar os lotes da vacina e manter em quarentena na temperatura de +2 °C a +8 °C até a conclusão da investigação pela Anvisa, conforme orientações repassadas no dia 4 de setembro”, informou a SES.

Doses registradas

A nota também ressaltou que as doses administradas deverão ser registradas nos sistemas de informação, devendo os usuários, que receberam a vacina, ser acompanhados durante 30 dias para avaliação de possíveis eventos adversos. “Os lotes já distribuídos e/ou aplicados estão sendo rastreados pelas equipes técnicas responsáveis e serão monitorados e controlados até definição final da Anvisa. Diante disso, a SES-MG recomendou que o lote 202107101H da vacina do Instituto Butantan (Coronavac) seja mantido em quarentena até a liberação por parte da Anvisa e que, caso as referidas doses já tenham sido distribuídas para as unidades básicas, as mesmas sejam recolhidas e enviadas para a Central Municipal de Rede de Frio, onde ficarão até orientação por parte da Agência Reguladora”, destacou.

Quantitativo

A Secretaria ainda esclarece que das 1.252.200 doses da vacina do Instituto Butantan (Coronavac) recebidas, no último sábado (4), enviadas pelo Ministério da Saúde, 823.400 doses estão dentre os lotes com interdição cautelar. “Com relação à remessa distribuída para as Regionais de Saúde, no dia 6/9, o quantitativo de 428.800 doses da vacina do Instituto Butantan (Coronavac), lotes 210443 e 210442, não constam dentre os lotes com interdição cautelar por parte da Anvisa, sendo, portanto, totalmente segura sua utilização”.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário