06 de setembro, de 2021 | 08:25

Um jovem morto e outro baleado em atentado a tiros na estrada de Baixa Verde, em Dionísio

Jovens moradores de Timóteo foram atacados por quatro indivíduos em uma Fiat Strada; um dos suspeitos foi identificado pela polícia da região

Google
A vítima sobrevivente do atentado foi encaminhada para este hospital, em DionísioA vítima sobrevivente do atentado foi encaminhada para este hospital, em Dionísio

Dois jovens que residem em Timóteo foram atacados por uma quadrilha na estrada de acesso ao distrito de Baixa Verde, em Dionísio, na tarde de domingo (5). Vitor Hugo Silva Oliveira, de 21 anos, morreu no local do crime. Já seu colega, D.L.O., de 27 anos, foi baleado, mas conseguiu fugir dos criminosos. Um suspeito foi identificado e é procurado pela polícia de toda a região.

D.L. contou à Policia Militar que estava com o amigo na moto Honda XRE 300 indo para uma cachoeira em Dionísio, por volta das 14h. Nas proximidades de um posto de combustíveis, na estrada em Baixa Verde, os dois foram surpreendidos por uma Fiat Strada de cor branca com quatro ocupantes.

O veículo bateu na traseira da moto jogando as vítimas ao chão, quando três pessoas desembarcaram da Strada. Os indivíduos portavam pistolas semiautomática e revólver, um deles seria R.A.L.F., de 27 anos, investigado por crimes violentos em Timóteo e integrante de uma gangue da cidade.

Eles dispararam vários tiros contra as vítimas que saíram correndo, mas Vitor acabou caindo ao ser atingido por um disparo. Já D.L., mesmo baleado na coxa esquerda e tornozelo direito, conseguiu escapar dos autores se refugiando em um matagal na margem da estrada. O sobrevivente chegou a ver os autores dando mais tiros na cabeça de Vitor para “conferir” a morte deste jovem.

O jovem sobrevivente foi encaminhado para o Hospital São Sebastião, em Dionísio, onde o médico constatou que os projéteis transfixaram as pernas dele, sem gravidade. Após ser medicado na unidade hospitalar, D.L. foi liberado pela equipe médica para ir embora para a casa.

Vitor Hugo morreu no local do crime ao ser atingido por disparos na cabeçaVitor Hugo morreu no local do crime ao ser atingido por disparos na cabeça

Tiros na cabeça confirmados pela perícia da Polícia Civil

No local do crime, a perícia da Polícia Civil de João Monlevade constatou pelo menos três perfurações de disparos de arma de fogo na cabeça de Vitor, além de ferimentos no corpo que aparentavam ser facadas. Porém, esta suspeita só será confirmada no exame de necropsia no Instituto Médico-Legal (IML), pois o corpo da vítima estava todo sujo de poeira.

A perícia recolheu ainda três projéteis de arma de fogo e também a placa da Fiat Strada, que se soltou na colisão contra a moto. As equipes da PM de toda a região de Dionísio e São Domingos do Prata, reforçadas pelos policiais militares de Marliéria e de Coronel Fabriciano, realizaram buscas para prender os autores, sem sucesso até o momento.

A suspeita é que o crime tenha sido motivado por uma guerra entre duas gangues que disputam pontos de tráfico de drogas em Timóteo. Uma destas gangues seria liderada por R.A.L.F., indivíduo que possui diversas passagens pela polícia, inclusive por crimes contra a vida, como informaram os policiais militares ao Diário do Aço.

Familiares de Vitor Hugo Silva Oliveira afirmam que o jovem não pertencia a nenhuma gangue. "Era um jovem trabalhadora e é mais uma vítima da banalização e naturalização da violência entre e com os jovens aqui em nossa região e em todo país. Infelizmente vivemos numa espiral endêmica de extermínio de nossos jovens', relata um tio da vítima em mensagem enviada ao jornal.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Joaquim

06 de setembro, 2021 | 12:23

“Triste ver que só colocam as iniciais destes bandidos.
Deveria colocar nome, endereço CPF e o que mais fosse preciso. Para ficarmos livres destes marginais.”

Envie seu Comentário