31 de julho, de 2021 | 11:03

Festival Cultura da Paz reúne produções da Lei Aldir Blanc

Iniciativa do Governo de Minas valoriza projetos realizados e trabalhadores do setor cultural durante a pandemia

Banco de imagem/Secult-MG
Ao todo, 27 editais já foram lançados, destinando R$ 120 milhões para a promoção da cultura popular em Minas GeraisAo todo, 27 editais já foram lançados, destinando R$ 120 milhões para a promoção da cultura popular em Minas Gerais

A cultura compreendida como fator de desenvolvimento social e mecanismo para representar e expressar a diversidade dos povos. Este é o “sentido” do Festival Cultura da Paz, iniciativa da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) para evidenciar o trabalho de artistas e trabalhadores do setor cultural contemplados com a Lei Aldir Blanc no estado.

De acordo com o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, o Festival Cultura da Paz representa, no campo do estímulo e da valorização da cultura e da arte, o resultado das diversas ações promovidas em Minas Gerais com objetivo de reduzir os efeitos negativos da pandemia de covid-19 na economia e no setor. A ideia é que os debates produzidos possam contribuir para uma reflexão sobre os processos e transformações vivenciados desde 2020.

“Propomos uma reflexão humanista, a exemplo da experiência de Bogotá, na Colômbia, a partir do entendimento amplo de que somos povos múltiplos, de culturas várias, mas de uma nação única. Nesse sentido, a cultura da paz ganha papel estruturante, gera emprego e renda, contribui para o desenvolvimento dos povos no conhecimento e, principalmente, na produção de convivência pacífica entre pensamentos diferentes. Uma cultura do respeito à existência humana é uma cultura de paz”, observa.

Resultados culturais

A execução da Lei Aldir Blanc foi uma dessas medidas que potencializaram a produção cultural no estado, durante todo o período de pandemia, exaltando a riqueza artística e a diversidade cultural das diferentes produções e atividades que compõem a cadeia produtiva da cultura em Minas Gerais. 

Os frutos dessa empreitada se traduzem em espetáculos de artes cênicas, como dança, teatro e circo; mostras de cinema; projetos variados de valorização do patrimônio, artesanato e culturas populares; projetos de música, como álbuns e espetáculos; além do incentivo e apoio a Pontos de Cultura e à produção e pesquisa em temáticas artístico-culturais, o que movimenta a cadeia produtiva e gera emprego e renda para profissionais que tiveram suas atividades afetadas durante a pandemia.

Na projeção da Secult, o Festival Cultura da Paz vai apresentar “a diversidade” cultural em 853 municípios mineiros. “A ampla programação do festival e as ações formativas refletem a descentralização e a democratização do acesso à cultura no estado”, destaca o secretário. Totalmente on-line e gratuito, o festival será transmitido pelas redes sociais da Secult e de suas instituições vinculadas – Empresa Mineira de Comunicação (EMC); Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG); Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop); Fundação Clóvis Salgado (FCS); além de ser exibido via canal do YouTube da Secult e nas plataformas de streaming CineHumbertoMauroMais, do Cine Humberto Mauro, e da Rede Minas.

Com a viabilização dos recursos da Lei Aldir Blanc em 2020, a Secult elaborou 27 editais emergenciais em auxílio ao setor. Foram destinados cerca de R$ 120 milhões para os editais, que contaram com sólida participação de vários municípios mineiros. A descentralização desses recursos possibilitou um alcance maior das políticas públicas para a cultura, seja com a oferta de espetáculos artísticos, atividades culturais ou ações formativas.

Inscrições

Os interessados em participar do Festival Cultura da Paz devem fazer as inscrições até o dia 15 de agosto, no site da Secult, e os trabalhos serão exibidos nas plataformas da secretaria estadual. Os proponentes devem enviar um projeto relacionado ao tema “Cultura como fator de desenvolvimento social”. Podem participar as iniciativas que foram contempladas nos Editais 2 a 27 da Lei Aldir Blanc.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário