29 de julho, de 2021 | 09:17

Cipalam se fortalece no mercado com projetos e investimentos

Tiago Araújo
Edilar Luciano Vitali Alves ao lado da fotografia dos fundadores da Cipalam: Raimundo Anício e Ita DrumondEdilar Luciano Vitali Alves ao lado da fotografia dos fundadores da Cipalam: Raimundo Anício e Ita Drumond

Com mais de 300 funcionários e atendendo todos os estados do Brasil, mais o Paraguai, a Companhia Ipatinguense de Laminação (Cipalam) atua na produção de barras, perfis laminados e tubos de aço que podem ser empregados em vários segmentos, dentre eles, a construção civil, na indústria mecânica estrutural e outros. Atualmente, a empresa conta com duas unidades no Vale do Aço, uma no bairro Iguaçu, em Ipatinga, e outra no bairro Bom Sucesso, em Santana do Paraíso.

Em entrevista ao Diário do Aço, o diretor presidente da Cipalam, Edilar Luciano Vitali Alves, avaliou os resultados deste primeiro semestre, apontou investimentos realizados e revelou suas expectativas com o mercado para o próximo ano. Conforme Edilar Luciano, a Cipalam teve início com suas operações em 1985 e começou com uma capacidade de 500 toneladas por mês de laminados. Do pioneirismo de Raimundo Anício e Ita Drumond a empresa evoluiu e superou as adversidades que o mercado impõe. “A partir daí a empresa foi se expandindo, com toda responsabilidade social que temos juntos aos moradores do bairro. Já em 1995 iniciaram-se os projetos para o início de outra unidade, que fica em Santana do Paraíso e que hoje já está plenamente em operação, sendo a nossa maior capacidade de produção”, contou.

Há cerca de dois anos, o diretor presidente lembra que teve início a fábrica de tubos de aço, localizada na matriz, no bairro Iguaçu, em Ipatinga. “O maior projeto nos últimos anos foi essa fábrica, com capacidade de produção de quase quatro mil toneladas de tubos por mês. Esse foi um dos nossos maiores projetos que fizemos nos últimos anos, além da criação da unidade de laminação em Santana do Paraíso, que teve início há mais tempo, mas que foi o nosso maior projeto até então”, destacou.

Edilar Luciano acrescenta que a unidade de laminação no bairro Iguaçu tem uma capacidade de produção de 7,5 mil toneladas por mês, enquanto a de Santana do Paraíso tem uma capacidade de 12 a 13 mil toneladas/mês. “Dessa forma, a empresa tem a capacidade instalada de aproximadamente 20 mil toneladas de aço/mês, além de quatro mil toneladas de tubos e perfis”, explicou.

Tiago Araújo
A matriz da Cipalam está localizada no bairro Iguaçu, em Ipatinga A matriz da Cipalam está localizada no bairro Iguaçu, em Ipatinga
Diretor presidente destaca resultados do primeiro semestre

O primeiro semestre de 2021 se caracterizou por uma evolução dos preços devido à falta de matéria-prima, explica o diretor presidente da companhia. Como a Cipalam depende da matéria-prima das grandes usinas, o preço foi subindo. “Nós não tivemos opção a não ser acompanhar essa subida nas usinas, e isso, junto com a falta de material que teve por causa da pandemia, levou a uma escassez no mercado e os preços continuaram subindo, e as pessoas continuaram consumindo mesmo assim”, afirmou Edilar.

O diretor presidente também destaca que, diante desse cenário, os resultados da Cipalam e de todas siderúrgicas foram mais altos. “Todas as siderúrgicas do Brasil tiveram patamares excelentes. Esse primeiro semestre foi muito bom. Assim como o do fim do ano passado, que acabou sendo bom também, porque no segundo semestre de 2020 que teve início essa elevação dos preços. Agora parece que está parando de subir. Portanto, nós acompanhamos os preços baseados nas grandes siderúrgicas, porque grande parte do nosso custo é com matéria-prima, que é o aço”, salientou.

Tiago Araújo
A unidade no bairro Iguaçu possui a fábrica de perfis e barras com capacidade de produção de 7.500 toneladas/mêsA unidade no bairro Iguaçu possui a fábrica de perfis e barras com capacidade de produção de 7.500 toneladas/mês


Convergência para processos digitais

Devido aos impactos causados pela pandemia de covid-19, Edilar Luciano informa que a Cipalam passa por um processo de transformação digital em toda a empresa. “A pandemia meio que nos obrigou a iniciar um processo mais forte nesse sentido. Nós estamos digitalizando todo o nosso funcionamento, que inclui a parte de recursos humanos, de processos e financeiro. Estamos buscando todas soluções digitais no mercado”, revelou.

O empresário ainda revela que o grande projeto comercial da Cipalam foi descentralizar o comercial, que não está mais centralizado na matriz no bairro Iguaçu. “Temos representantes da empresa em São Paulo, Goiânia e no Nordeste, trabalhando nessa parte. Estamos com vários projetos, que ainda não posso revelar, nessa parte comercial e na parte de expansão da empresa”, relatou.

Tiago Araújo
A empresa conta com mais de 300 funcionários A empresa conta com mais de 300 funcionários
Expectativas para o próximo ano no mercado

Na entrevista, Edilar Luciano também apontou suas expectativas para o próximo ano em relação ao mercado de laminados. “A expectativa é que haja uma normalização dos preços, inclusive das matérias-primas, como do aço, do minério de ferro e da sucata, mas isso vai depender muito da briga China com a Austrália em relação ao mineiro”, informou.

Apesar disso, Edilar Luciano ainda destacou que prevê um bom cenário econômico, devido à forma que o mercado está reagindo atualmente. “Já estamos com um cenário aquecido, mas tudo isso vai depender de as vacinas funcionarem e as variantes do coronavírus não terem muito impacto no Brasil. Dessa forma, até o fim do ano ou no máximo até o primeiro trimestre do próximo ano já está tudo normalizado. E os nossos planejamentos vão nessa direção. Estamos muitos felizes com o rumo das coisas, continuamos sendo otimistas, já que nós empresários temos a missão de gerar emprego e de gerar economia. Portanto, acreditamos que as coisas vão estar resolvidas até o próximo ano e torcemos para que essa pandemia rapidamente acabe”, concluiu.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Francisco Xavier Nunes

29 de julho, 2021 | 10:59

“Parabéns gestores da CIPALAM por acreditar no Brasil , Sucesso sempre,
Eu acredito nas mudanças que acontecem no Brasil.”

Envie seu Comentário