28 de julho, de 2021 | 15:47

Mesmo com permissão da prefeitura, Cruzeiro não deverá jogar com torcida tão cedo

Bruno Haddad
Quando autorização for dada pela CBF, clube precisará cumprir cinco jogos com portões fechadosQuando autorização for dada pela CBF, clube precisará cumprir cinco jogos com portões fechados

Embora o prefeito de Belo Horizonte tenha autorizado, no início desta semana, o retorno de até 30% do público aos estádios da capital mineira, o Cruzeiro ainda deve demorar a contar com o apoio de sua torcida. Isso porque o clube ainda precisa cumprir cinco jogos com portões fechados por causa do quebra-quebra causado pela torcida em partidas do Brasileirão de 2019, edição que terminou com o rebaixamento inédito do clube.

Tal punição deveria ter sido cumprida na Série B de 2020, porém, com o início da pandemia em março do ano passado e consequente proibição da presença de público nos estádios, não foi possível.

Atlético pode ser o primeiro

Quando liberou a presença do público, o governo de Belo Horizonte explicou que o primeiro jogo com torcedores será um evento-teste. "Os clubes vão se entender com a confederação e ver quem vai fazer o primeiro teste", disse Jackson Machado Pinto, secretário municipal de Saúde.

Porém, até o momento a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ainda não deu aval para que os jogos do Brasileirão tenham torcedores. No momento, a entidade estuda autorizar a volta do público em partidas das quartas de final da Copa do Brasil, marcadas para o fim de agosto.

Caso a CBF não permita a volta de público no certame nacional até meados de agosto, a primeira equipe que poderá contar com a volta de seu torcedor é o Atlético, pela Copa Libertadores. Isso porque a Conmebol permitiu que as partidas do mata-mata da Libertadores e Sul-Americana recebam o público, o que pode ocorrer no dia 18 de agosto no Mineirão, quando o Galo recebe o River Plate pelas quartas de final da Liberta.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário