15 de junho, de 2021 | 22:22

Carga de sabão em pó falsificado é apreendida em Nova Serrana

Divulgação PCMG
Produto falsificado era embalado e comercializado como se fosse Produto falsificado era embalado e comercializado como se fosse "Omo"

Uma carga estimada em mais de 50 toneladas de sabão em pó falsificado foi apreendida pela Polícia Civil na cidade de Nova Serrana, no Centro-Oeste de Minas Gerais, nesta terça-feira (15). Nenhuma pessoa foi presa e amostras dos produtos apreendidos serão submetidas à análise da Perícia da PCMG.

A Polícia Civil divulgou que apreensão desta terça-feira é considera a maior da história envolvendo falsificação de sabão em pó.

O produto era um sabão comum, de origem não descoberta ainda, mas que era embalado como se fosse de uma marca reconhecida no mercado: “Omo”.

Conforme nota divulgada pela PCMG, o proprietário não tinha autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e nem alvará e tampouco era representante da marca famosa.

A PC também informou que dois galpões foram identificados como base para a falsificação. Conforme a PC, a descoberta da fraude ocorreu a partir de uma denúncia.
O delegado responsável pelas investigações, Diógenes Caldas do Vale, informou que as investigações apontam que a empresa mineira realizava a falsificação havia cerca de seis meses.

Os galpões eram utilizados para o armazenamento do material usado na fabricação do sabão em pó. Também foi apreendida grande quantidade de embalagens, além de material para selar as caixas, além de notas fiscais.
Divulgação PCMG
Carga com aproximadamente uma tonelada já estava em um caminhão, pronta para ser distribuídaCarga com aproximadamente uma tonelada já estava em um caminhão, pronta para ser distribuída

Uma tonelada de produtos já estava em um caminhão, pronta para ser distribuída para o comércio. As notas fiscais apontavam que a distribuição seria para municípios mineiros, entretanto, a polícia suspeita que o sabão era comercializado em todo o país devido à quantidade.

As investigações agora deverão avançar para detectar outras pessoas envolvidas no negócio ilegal, os comerciantes que compravam o produto para revenda e onde era fabricado o sabão em pó, uma vez que nos dois galpões havia apenas armazenamento e embalagem do produto.

Os envolvidos vão responder por crimes contra o consumidor, ordem pública e lavagem de capital. Até a noite desta terça-feira nenhuma pessoa havia sido presa.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Natal

16 de junho, 2021 | 09:09

“. E eu comprando esse sabao OMO na promoçao aqui , pensando que estava fazendo economia .
.eta brasilzinho danado.!”

Envie seu Comentário