11 de junho, de 2021 | 16:32

Setor industrial mineiro contribui com ações no combate a covid-19

Divulgação Fiemg
Governador Romeu Zema ao lado de Flávio Roscoe, presidente da Fiemg, durante cerimônia simbólica de entrega de câmaras frias ao Estado  Governador Romeu Zema ao lado de Flávio Roscoe, presidente da Fiemg, durante cerimônia simbólica de entrega de câmaras frias ao Estado

A Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), representando o setor produtivo do Estado, informa que adquiriu 200 câmaras frias que servirão para o armazenamento das vacinas contra a covid-19. A entrega simbólica dos equipamentos foi realizada em maio, na sede da Federação, e o governador Romeu Zema (Novo) agradeceu o engajamento e apoio do setor produtivo. “O lote doado pelo setor industrial será distribuído para as cidades que mais precisam”, afirmou o governador.

A iniciativa da Fiemg, por meio de seu Conselho Estratégico, que reúne os principais industriais de Minas Gerais, como Rafael Menin, da MRV, e Eugênio Mattar, da Localiza, integra as ações da campanha Unidos pela Vacina. A aquisição das primeiras 200 câmaras frias e a distribuição de vários insumos pelas empresas associadas beneficiará 324 municípios, sanando um gargalo na vacinação do Estado, que é a perda de doses por falta de local adequado de armazenamento. Na segunda etapa, que se iniciará em junho, novos equipamentos serão distribuídos e a previsão é alcançar mais de 400 municípios.

“Muitos municípios não possuem a infraestrutura necessária para receberem e armazenarem as vacinas. A Fiemg realizou a mobilização das indústrias de Minas para a compra das câmaras frias, que serão entregues, diretamente, às secretarias de Saúde dos municípios beneficiados”, afirmou Flávio Roscoe, presidente da Fiemg.

Iniciativas da Fiemg em apoio ao combate à pandemia

Desde o início da pandemia, a Fiemg reforça que concentrou esforços para mobilizar as indústrias do Estado a se unirem em favor da vida em uma campanha solidária para reforçar os serviços públicos de saúde, disseminar medidas educativas para conter a proliferação do vírus e ainda atuou no diálogo com o poder público para a elaboração de medidas que contribuíssem para a preservação dos empregos neste momento tão desafiador.

Apoio à vacinação

A principal luz no fim do túnel desta pandemia é a vacinação em massa da população. Para estimular o desenvolvimento de pesquisas que buscam mais opções de vacinas para proteger a população contra a covid-19, a Fiemg reforça que abraçou a causa e se uniu a empresas brasileiras que estão contribuindo para o desenvolvimento de um imunizante que ganhou o nome de UB-612. Elaborada pela Covaxx, uma unidade da United Biomedical, empresa internacional com unidades nos EUA, China e Taiwan. Serão investidos R$ 30 milhões. O Instituto Dasa, de São Paulo, está entrando com R$ 15 milhões, e as indústrias de Minas Gerais com R$ 15 milhões para que haja pesquisa clínica no país, que já está sendo feita.

Doação de respiradores mecânicos e leitos de UTI

A Fiemg também informa que doou 1.700 ventiladores pulmonares e equipamentos de leitos hospitalares para centenas de cidades em Minas. Os equipamentos foram distribuídos para 268 municípios em 12 regionais. Mas os equipamentos beneficiarão também brasileiros de outros estados.

Para a Bahia, Goiás, Mato Grosso, Paraíba e Tocantins, foram doados 19 ventiladores pulmonares, de acordo com a indicação das indústrias parceiras que contribuíram com o financiamento que viabilizou toda a produção e compra dos respiradores. Outros 100 equipamentos foram doados ao governo federal. Os ventiladores pulmonares doados foram idealizados e produzidos por meio do Projeto Inspirar, que contou com o apoio da Fiemg para o desenvolvimento do produto.

Além disso, um mutirão de profissionais do Senai-MG e da indústria mineira se mobilizaram para ajudar instituições de saúde que tinham respiradores mecânicos inutilizados por problemas técnicos. No Centro de Inovação e Tecnologia Senai (CIT Senai Fiemg), cerca de 20 profissionais como engenheiros mecânicos, eletricistas e de automação, além de vários técnicos, todos com conhecimento em equipamentos eletroeletrônicos, se dedicaram a essa missão. 240 respiradores foram consertados pelos profissionais e devolvidos ao seu local de origem prontos para atender pacientes da covid-19.

Garantia de cilindros para abastecimento de oxigênio

A indústria mineira também se mobiliza para ajudar os hospitais e unidades de atendimento à pacientes com covid-19 que se encontram com dificuldades para o armazenamento do oxigênio medicinal. A Fiemg fez um levantamento interno e mobilizou as indústrias a disponibilizarem cilindros que podem ser usados para este fim. Serão emprestados dois mil cilindros que, após a vistoria, serão abastecidos com o gás e distribuídos de acordo com as orientações da SES-MG.

Capacetes Elmo

A entidade está mobilizando empresários, por meio de uma campanha on-line, para arrecadar fundos para a compra de cerca de capacetes Elmos, elaborados com o apoio do Senai-CE, que serão disponibilizados para a SES-MG. A tecnologia de respiração assistida pode reduzir em até 60% a necessidade de internação em leitos de UTI e até o início de abril já foram adquiridos 500 capacetes. Assim como os ventiladores pulmonares produzidos em Minas Gerais, ambos equipamentos contam com tecnologia 100% nacional, mostrando como a indústria é importante para o país e pode salvar vidas.

Proteção

O Senai produziu e doou, em larga escala, itens fundamentais para a proteção da população. Foram 180 mil litros álcool glicerinado 70%, resultado da parceria entre Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a SIAMIG, 1,6 milhões de máscaras cirúrgicas, 12 mil de tecido, 10 mil máscaras Face Shield e 11 mil jalecos. Foram produzidos também 1.988 conjuntos de válvulas e 12.827 pistões para a fabricação dos ventiladores mecânicos do projeto Inspirar.

Em parceria com a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e a empresa Supress, o Senai apoiou municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) na desinfecção de ruas. Betim, Contagem e Ibirité foram atendidos pela ação.

Testagem

O Sesi adquiriu milhares de testes rápidos para identificação de covid-19 para trabalhadores da indústria e a população mineira. A entidade comercializa os testes com os menores valores de mercado.

Articulação com o poder público

O diálogo com os governos federal e estadual, sugerindo diversas ações nas áreas trabalhista, tributária, ambiental, de acesso ao crédito e de energia, também foram liderados pela Fiemg. Destaca-se as Medidas Provisórias 927 e 936 de 2020, e a 1045, de 2021, que preservaram, somente em Minas Gerais, mais de 300 mil empregos, que contou com atuação direta da entidade na negociação de soluções que trouxeram alento à indústria e aos trabalhadores.

A atividade industrial ser considerada essencial pelo Estado, permitindo a continuidade dos trabalhos de forma responsável, desde o começo da pandemia, também foi uma articulação da Fiemg com o governo de Minas Gerais, além da sensibilização da prorrogação e suspensão de prazos para pagamentos de tributos. “Esses pleitos do setor industrial contribuirão para a retomada do crescimento sustentável do país”, salienta a Fiemg.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário