10 de junho, de 2021 | 14:29

Dnit informa que obras na BR-381, em Antônio Dias, serão retomadas neste mês

Alex Ferreira/Arquivo DA
Em meio à complexidade de estudos técnicos, superintendente do Dnit destaca que está correndo contra o tempo para terminar as obras o mais breve possívelEm meio à complexidade de estudos técnicos, superintendente do Dnit destaca que está correndo contra o tempo para terminar as obras o mais breve possível

Ainda neste mês de junho devem ser retomadas as obras na BR-381, em Antônio Dias. Essa perspectiva foi dada pelo superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre de Minas Gerais (Dnit-MG), Gustavo Boerger, em encontro virtual com o deputado estadual Celinho do Sintrocel (PCdoB); o presidente da Fiemg Regional Vale do Aço, Flaviano Gaggiato; o diretor da Agência Metropolitana, João Luiz Teixeira; o prefeito de Santana do Paraíso e presidente da Assembleia Metropolitana, Bruno Morato (Avante); e diretor do Dnit, Davidson Carvalho. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (10) por Celinho.

O encontro de lideranças serviu para tratar da continuidade das obras, em especial no lote 3.1, no município do Vale do Aço, que estão paralisadas desde o fim de 2020. Gustavo Boerger disse que o maior problema para a retomada das obras são os prazos contratuais, e não carência de dinheiro. “Os recursos existem e estão liberados. O problema é combinar a complexidade dos estudos técnicos com a capacidade de realização das obras dentro do contrato – que se encerra em dezembro deste ano, mas que se for preciso será aditado. Hoje estamos correndo contra o tempo”.

Lembrando a conclusão dos 37,5km do lote 7 – onde estão faltando apenas obras complementares, acessos e sinalização - Boerger falou dos atrasos causados pela instabilidade geológica do lote 3.1, com o rompimento de maciços e taludes. E que, em função dos problemas encontrados, novos projetos estão sendo desenvolvidos e, assim que forem concluídos, serão submetidos a uma nova avaliação de custo-benefício e as obras serão retomadas.

Conforme o superintendente do Dnit, dos 13 pontos de maior instabilidade, que impediram a conclusão de 28,6km do lote 3.1 até o fim do ano passado, dez foram finalizados em maio e estão sendo submetidos a ensaios, análises finais e estudos comparativos, restando três pontos que são os mais críticos. “As obras deverão ser retomadas ainda em junho deste ano. A orientação do Dnit, já comunicada à empresa, é que onde as condições permitirem e enquanto houver contrato e empenho, as obras devem voltar o mais rápido possível. É uma questão de dias”, assegurou.

Cronograma

Ao ser questionado por Celinho Sintrocel sobre o cronograma das obras, o superintendente respondeu que o Dnit trabalha para terminar todas as obras possíveis ainda este ano. “Aquilo que não conseguirmos fazer dentro do prazo contratual será repassado para o contrato de concessão da rodovia – que está em discussão na ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), no Ministério da Infraestrutura e no TCU (Tribunal de Contas da União)”, esclareceu.

O parlamentar lembrou que o Dnit já executou mais de 90% do lote 3.1 e tem empenho financeiro na ordem de R$ 48 milhões, devendo executar R$ 44 milhões até 31 de dezembro de 2021. Para contornar os problemas geológicos atuais que não forem corrigidos, o Dnit prevê investimentos na ordem de até R$ 143 milhões da EPL (Empresa de Planejamento e Logística S.A) e do Ministério da Infraestrutura. “Esta previsão representa o pior cenário, e os recursos virão do processo de concessão. Fizemos isso para nos prevenir, afinal é mais fácil retirar do edital do que incluir novos valores. Mas uma coisa eu posso garantir: o que não for feito agora será encaminhado para o Edital de Concessão da Rodovia”, garantiu Gustavo Boerger.

Celinho destacou que “a expectativa é grande para que o TCU aprove o relatório do Plano de Concessão até julho deste ano para que seja liberado o processo de concessão, permitindo o início das obras no trecho entre Belo Horizonte e o entroncamento com a BR-262, em João Monlevade”.

Segurança da rodovia

Ainda durante o encontro virtual, Celinho alertou sobre o alto número de reclamações que tem recebido sobre o perigo de trafegar no trecho da 381 em Antônio Dias e as péssimas condições de tráfego em outros trechos que cortam o Vale do Aço.

Segundo o diretor do Dnit, Davidson Carvalho a perspectiva é entregar, no mínimo, 16km de pista duplicada até o fim deste ano, e equacionar uma intervenção de 5km próximos à Prainha, totalizando 21km de obras. “Existem contratos de manutenção e recuperação funcional em três trechos – de BH/Ravena até Ipatinga. E que num prazo de 60 dias será realizada uma licitação para manutenção do trecho que liga Ipatinga a Governador Valadares”, explicou Carvalho.

Sobre as reclamações constantes acerca dos quebra-molas e redutores de velocidade, Carvalho informou que são medidas de segurança e protetivas necessárias neste momento, mas assim que as obras forem concluídas serão retirados.

Ainda conforme Celinho, ele cobrou a implantação de sinalização onde ela não existe e a melhoria nos pontos onde ela é deficitária. Como resposta, o superintendente do Dnit se comprometeu a cobrar da empresa uma solução para os problemas de sinalização no trecho do lote 3.1 em Antônio Dias.

Alex Ferreira/Arquivo DA
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Wainy Godói Andrade

12 de junho, 2021 | 03:13

“Q as obras recomeçam mais rápido. Pra melhor fluxo de trânsito e pra segurança de todos q precisam no dia sua obrigadoe q eu volte a trabalhar na empresa q tiver no momento”

Envie seu Comentário