10 de junho, de 2021 | 10:35

Sob risco de apagão, conta de energia pode ficar mais cara

Para evitar racionamento governo estuda compra de energia de países vizinhos e reajustes nas contas de energia

Divulgação Cemig
O boletim de operações do ONS, divulgado dia 7/6, mostra que o nível da água em Três Marias estava em 566,55 metros, com 64,92% de volume útilO boletim de operações do ONS, divulgado dia 7/6, mostra que o nível da água em Três Marias estava em 566,55 metros, com 64,92% de volume útil

Nota técnica Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) aponta adoção de ações, pelo governo federal, para assegurar o abastecimento de energia elétrica e evitar um apagão geral, provocado pela escassez de água nos reservatórios das maiores hidrelétricas produtoras de energia no Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. A seca é fruto de 10 anos de baixos índices de chuva.

Esta semana foi emitido um alerta, segundo o qual, oito reservatórios de usinas hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil estão com níveis críticos e podem ficar vazios até novembro, quando começa a temporada de chuva.

O comunicado gerou preocupação no setor produtivo e o governo reagiu. Entretanto, analistas do setor, consideram inevitáveis novos aumentos nas contas de energia.

Entre as medidas anunciadas estão, a flexibilização de restrições hidráulicas sobre as usinas das bacias dos rios Paraná e São Francisco, participação maior da geração das termelétricas, reajustes nos preços da energia e a importação de energia da Argentina e do Uruguai.

A esperança é que o sistema produtor chegue ao período chuvoso com 5% de água nos reservatórios em novembro, mas se a chuva começar já em setembro, como ocorre em um ano normal, o risco de racionamento ou de apagão fica mais distante.

Além disso, os técnicos da área apontam que a interligação do sistema de abastecimento permite que energia gerada em uma região seja direcionada para outra onde a produção for reduzida ou parar. Além de hidrelétricas, o Brasil é abastecido por usinas térmicas, eólicas e fotovoltaicas. (Com informações de agências)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário