04 de junho, de 2021 | 08:03

Dupla invade casa e executa jovem no São Cristóvão, em Fabriciano

Criminosos armados se passaram por policiais ao assassinarem a vítima com diversos tiros na frente da família

Google/Reprodução
Jhonne Silva foi morto dentro do quarto por falsos policiais que invadiram a casa da vítimaJhonne Silva foi morto dentro do quarto por falsos policiais que invadiram a casa da vítima

Ainda é mistério o assassinato de Jhonne Silva Araújo, de 27 anos, morto na frente de seus familiares na noite de quinta-feira (3). O crime foi praticado na rua Antônio João Alves Torres, no bairro São Cristóvão, em Coronel Fabriciano. Os dois assassinos se passaram por policiais, quando invadiram a casa da vítima, e executaram o jovem com diversos tiros de revólver calibre 38.

A companheira de Jhonne, uma jovem de 27 anos, presenciou o crime. Ela contou à Polícia Militar que estava toda a família assistindo TV, quando alguém bateu na porta da cozinha. Os moradores acharam estranho e foram para o quarto do casal, mas eles notaram que havia outra pessoa que gritou ser da polícia e mandou abrir a porta da residência.

A vítima e sua família não atenderam às ordens e permaneceram no quarto. Pouco depois os homens arrombaram a porta da residência. Eles eram altos, magros e brancos, ambos portando revólveres. Um dos autores disse para a amásia de Jhonne que não era nada com ela, enquanto jogaram o jovem no chão.

Em seguida, os autores dispararam as armas de fogo contra a vítima, morta na frente da esposa, mãe e um filho do casal. A dupla fugiu do local, possivelmente em uma motocicleta Honda XRE de cor vermelha. Antes do crime, populares viram dois homens com as características dos assassinos passando pela rua na moto.

Uma equipe do SAMU foi acionada para socorrer o ferido, porém ele já estava em óbito. O local foi isolado pelos policiais militares para a realização da perícia da Polícia Civil. O perito Gilmar Miranda constatou no corpo de Jhonne pelo menos 11 perfurações de tiros, marcas de entradas e saídas de projéteis.

O corpo de Jhonne foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal de Ipatinga, pela funerária Cristo Rei, assim que foi periciado. No quarto onde ele foi morto, o perito da Polícia Civil recolheu quatro projéteis de calibre 38 das armas usadas no crime.

O tenente Rafael Noé, que esteve no local do homicídio, informou ao Diário do Aço, que as equipes da Polícia Militar estão empenhadas em esclarecer este crime. Ele acrescentou que a vítima não tinha passagens pela polícia e a única suspeita que existe, por enquanto, é algo relacionado à agressão que Jhonne sofreu na última terça-feira (1/6).

Jovem foi agredido na porta de casa um dia antes de ser morto

Johnne Silva foi agredido na porta de casa por um homem branco, cerca de 35 a 40 anos de idade, que estava em uma bicicleta. Ele chegou ao local e desferiu um soco no rosto do jovem que se encontrava sentado na porta da residência. O agressor acusou a vítima de mostrar o órgão genital para a sua filha.

A companheira de Jhonne disse no dia, para a PM, que interveio na situação e esclareceu para o agressor que não teve nada do que alegava. Ela informou que estava o tempo todo com o marido, ambos participando da festa da filha do casal que completou um ano de idade.

Quando Jhone brincava com algumas bisnagas, próximo ao portão, surgiram boatos que ele teria mostrado o pênis para uma menina que passava pela rua, possivelmente a filha do agressor. A jovem companheira da vítima disse para o desconhecido, que tinha batido no marido dela, que tudo era mentira e não aconteceu o fato.

O agressor, segundo relatos da testemunha aos policiais, não quis dialogar com a mulher. O homem estava acompanhado de outra mulher, também desconhecida. Os policiais militares fazem buscas para identificar esta pessoa que pode ter alguma ligação com o assassinato.

O 58º Batalhão solicita de quem souber de alguma informação sobre a autoria do crime ou a motivação do assassinato de Jhonne pode repassar os dados por meio do telefone 181, Disque Denúncia Unificado. O informante não precisa se identificar.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Elson

04 de junho, 2021 | 20:33

“Mais um trabalhador que tem vida ceifada! rs”

Ricardo Lopes

04 de junho, 2021 | 11:34

“? uma história complexa, apurada até agora. Só falta ter morrido um inocente, por causa de boataria. Vai vendo.”

Envie seu Comentário