03 de maio, de 2021 | 14:51

O que significa morar bem?

Luciano Boaventura*

Mesmo diante da pandemia por conta do novo coronavírus, o cenário para o mercado imobiliário em 2021 aponta ser positivo. Segundo os especialistas o setor deve iniciar uma crescente e se manter ativo até 2023. A estimativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil aponta um crescimento entre 5% e 10% do mercado imobiliário em 2021 ante 2020.

Um fator que deve impulsionar as vendas de imóveis, é que durante a pandemia muitas pessoas têm passado a maior parte do tempo dentro de suas casas, exercendo home office. Isso faz com que elas valorizem ainda mais o conforto e a qualidade de vida que as residências proporcionam. Outra razão é que devido à privação de viagens internacionais, os mais abastados buscam moradias maiores, trocam apartamentos por casas e coberturas em bairros nobres e em condomínios. Além de mais conforto, a aquisição de um imóvel é a oportunidade de investimento.

Quando uma família decide comprar um imóvel, a decisão não surge do dia para a noite. Tem que ter planejamento por longo período na vida financeira e no dia a dia, ou seja, o momento da compra tem que ser quando se tem a convicção de onde quer morar.

A estabilidade também é uma das maiores preocupações de muitos brasileiros principalmente quando se tem filhos. Esse fator faz toda a diferença na hora de escolher onde morar.

Vale observar que o Brasil é um dos maiores países do mundo, com mais de 200 milhões de pessoas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com uma população desta dimensão, muitas pessoas ainda não conseguiram realizar o sonho da casa própria. E os motivos são muitos como por exemplo, desemprego, dívida, baixo salário, alto investimento e outros.

Ainda que o cenário seja de insegurança e incerteza, comprar a casa própria e ter mais qualidade de vida continua sendo um sonho de consumo. Para encontrar esse equilíbrio é preciso, principalmente, dar atenção às finanças e controlar os rendimentos.

Muitos ainda perguntam, o que é direito à moradia? A moradia adequada foi reconhecida como direito humano no ano de 1948, com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, tornando-se um direito humano universal, aceito e aplicável em todas as partes do mundo como um dos direitos fundamentais para a vida das pessoas.

Vários tratados internacionais após essa data reafirmaram que os Estados têm a obrigação de promover e proteger este direito. São mais de dose textos diferentes da Organização das Nações Unidas (ONU) que reconhecem o direito à moradia. Mesmo com todo esse reconhecimento, infelizmente, a implementação deste direito ainda é um grande desafio.

*Engenheiro civil, sócio fundador da Domicilium Engenharia
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário