29 de abril, de 2021 | 10:00

Douglas Willkys destaca trabalho e superação nos 57 anos de Timóteo

Divulgação
Chefe do Executivo timoteense destaca trabalho, fé em Deus e confiançaChefe do Executivo timoteense destaca trabalho, fé em Deus e confiança

Timóteo, uma das potências do Vale do Aço, completa 57 anos de emancipação nesta quinta-feira (29). O município, que tem indústria e comércio como pontos fortes, celebra a data mesmo diante de desafios a serem superados, sempre com o pensamento positivo de que dias prósperos virão. O prefeito Douglas Willkys (PSB), em seu segundo mandato, elenca as conquistas e realizações, mesmo num cenário de crise na saúde mundial.
 
Timóteo foi emancipado no dia 29 de abril de 1964. Antes, pertencia à 4ª Divisão do Rio doce, que possuía seu quartel no lugar chamado Onça Pequena (nome do ribeirão que banhava a localidade), hoje Jaguaraçu. Os índios aprisionados durante os ataques eram escravizados, mas em 1832 já não haviam aldeamentos indígenas na região e ficaram abertas as portas para ocupação total pelos brancos. Francisco de Paula e Silva Santa Maria foi o primeiro fazendeiro a se instalar na região, segundo um documento de 9 de abril de 1832.
 
Tratava-se da carta de Sesmaria, dando-lhe as terras de um lugar denominado Ribeirão de Timóteo, que desaguava no Rio Piracicaba. Estabeleceu-se com a sua família, na região do Alegre em 1831, e lá construiu e iniciou a criação de gado, o que lhe daria direito a uma Sesmaria (terreno abandonado). As informações históricas estão disponíveis no site da Prefeitura de Timóteo. 
 
Acesita

Em 1938, houve a criação do distrito subordinado a Antônio Dias, já com a denominação de Timóteo, que na década seguinte foi escolhido para sediar o núcleo industrial da Acesita (Companhia Aços Especiais de Itabira), atual Aperam South America. Isso só foi possível dada a facilidade de recebimento de matéria prima e escoamento por meio da Estrada de Ferro Vitória a Minas, disponibilidade de água no rio Piracicaba e madeira nas vastas matas locais. Em 1948, foi anexado ao município de Coronel Fabriciano.

A pedido da Acesita foi construída uma vila operária destinada a seus trabalhadores, paralela ao núcleo urbano original, porém seu desenvolvimento incentivou a emancipação em 1964. Essa situação levou à divisão da cidade em dois agrupamentos: um composto pelos bairros construídos pela empresa, região que cresceu ao redor do Centro-Norte e ainda hoje é conhecida como Acesita, apesar da mudança de nome da empresa, e o outro formado a partir das ocupações originais no Centro-Sul, que por sua vez é referido como Timóteo. Apesar do crescimento do setor de serviços, a indústria ainda representa a principal fonte de renda municipal e sua manutenção na região contribuiu para a formação da Região Metropolitana do Vale do Aço, que corresponde a um dos principais polos urbanos do interior do estado. Com processo de urbanização semelhante ao de Ipatinga, a cidade teve seu crescimento impulsionado pela siderurgia.
 
Foco nos resultados

Mesmo com as dificuldades naturais no enfrentamento ao coronavírus, que há um ano era um vírus desconhecido de todos, Douglas Willkys afirma que o município registrou várias conquistas. O desafio na atualidade, segundo o prefeito, é garantir a assistência na área de saúde por causa da pandemia, sem descuidar do desenvolvimento econômico, com a criação de empregos.
 
No período de pós-pandemia Timóteo terá alguns legados, como a ampliação de leitos de UTI. “Lembro que quando começou a pandemia o nosso município dispunha de apenas um leito de UTI Covid-19. Um ano depois, são 20 leitos de terapia intensiva para os pacientes acometidos pela doença. Outra conquista é a UBS do Ana Rita, que deveremos entregar até o mês de junho, obra que começou em 2014 e foi interrompida três vezes por problemas diversos. Vamos iniciar nos próximos dias a reforma da unidade do Novo Tempo e temos o desafio de concluir também a UBS do Limoeiro. O Programa Remédio em Casa também foi um acerto da nossa gestão e vamos continuar com a sua execução”, adianta.
 
Realizações

Douglas Willkys observa que os dois anos do primeiro mandato serviram para organizar a prefeitura, que vinha sofrendo percalços por causa da instabilidade política e administrativa, com a sucessiva troca de prefeitos. “Conseguimos promover questões que eram fundamentais para destravar a administração, como a auditoria realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE, a elaboração do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental – APA Serra do Timóteo; e viabilizar a revisão do Plano Diretor, que estava paralisado há 14 anos”, recorda. A administração municipal também implementou uma política para melhorar o ambiente para novos negócios com geração de empregos e renda, por meio da criação Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo.
 
Planejamento

Depois da posse em janeiro deste ano, o prefeito relata ter realizado um planejamento estratégico com os secretários, definindo as ações de curto, médio e longo prazo. “Como missão desta administração estabelecemos a meta de prestar serviços públicos modernos, inovadores e eficientes a todos no município de Timóteo, visando a melhoria da qualidade de vida, desenvolvimento de novos negócios, com participação popular, humanização, responsabilidade social e fiscal”, salienta.
 
Pandemia: um problema mundial

Um problema comum a todos os gestores tem sido a covid-19. Douglas Willkys aponta que, além do foco em superar a pandemia, minimizando os seus efeitos junto à população, gerar emprego e renda é uma das prioridades de sua gestão. “A manutenção da qualidade dos serviços prestados pela UPA Geraldo dos Reis Ribeiro também faz parte da nossa proposta de melhorias constantes na área de saúde pública, assim como o atendimento de 100% pelo SUS no Hospital e Maternidade Vital Brazil. Outros pontos que vamos continuar empenhados em manter são a estabilidade política-administrativa com o pagamento dos salários e férias dos servidores em dia. A união entre poderes Executivo, Legislativo, deputados estaduais e federais e demais instituições tem sido fundamental na busca de recursos para pavimentação de ruas, reformas de praças, campos e outras iniciativas que garantam a qualidade de vida da população”, frisa.
 
Perspectiva de futuro

Na opinião de Douglas Willkys, a união dos prefeitos da Região e do Colar Metropolitano do Vale do Aço em torno de projetos de integração regional, é fundamental para o sucesso das respectivas gestões. “Os investimentos anunciados pela Aperam para ampliar a sua capacidade operacional foi uma excelente notícia em meio ao clima de pessimismo que tomou conta, pois significa que a economia, gradativamente, vai voltando ao normal. Planejamos também viabilizar o Novo Distrito Industrial, entre os bairros Macuco e Alphaville. E para isso estamos desenvolvendo um estudo de viabilidade para avaliar a vocação e, com base nisso, implementar um plano de ação num futuro breve. Da mesma forma, a retomada de áreas sem utilização no atual Distrito Industrial demonstra a seriedade com que estamos conduzindo a cidade”, afirma.

Festividades adiadas, mas não esquecidas

O prefeito de Timóteo pondera que 2021 é o segundo ano que a cidade não conseguiu celebrar seu aniversário como gostaria. A intenção para o próximo ano é fazer uma grande festa de confraternização, valorizando os músicos e artistas locais que foram os mais prejudicados nessa pandemia. “Ao mesmo tempo vamos seguir trabalhando para entregar obras na área da Educação, como a Escola do Macuco e a Unidade Municipal de Educação Infantil, no mesmo bairro. Ainda neste ano, queremos continuar a pavimentação de ruas; reforma de praças; dar prosseguimento aos processos de regularização fundiária, garantindo dignidade a quem tem posse de imóveis, mas não está legalizado”, almeja.
 
Nesta data de celebração, Douglas Willkys revela pensamento positivo para os meses que estão por vir. “Minha mensagem é de esperança no futuro. Vivemos dias desafiadores, mas temos a convicção que tudo vai voltar ao normal com a vacinação de toda a população. Gostaria de destacar o trabalho que fizemos ao longo desses dois anos e meio para resgatar a confiança e a credibilidade em nosso município e em suas instituições, o que faz toda a diferença para os munícipes e para quem decide investir em Timóteo”, anseia.

Divulgação

 
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Marcelo H

29 de abril, 2021 | 12:08

“Amo minha cidade, nasci e vou morrer daqui uns 60 anos, porém...
Nossa cidade está abandonada, não tem nenhum investimento de verdade nos últimos 20 anos.
Não temos nenhuma via com uma pavimentação descente, condizente com os nossos IPTUs, nem o bairro mais caro da cidade escapa das mazelas dos políticos. Cidade está abandonado, principalmente em relação a arrecadação anual que temos!!!
Vamos acordar nação de Timóteo, bora cobrar o retorno dos nossos impostos.”

Claudinei Marcelino da Silva

29 de abril, 2021 | 08:15

“Parabéns cidade timotense”

Envie seu Comentário