27 de abril, de 2021 | 14:03

Travesti é presa ao inventar que foi assaltada, em Fabriciano

Imagem ilustrativa

Um caso de assalto registrado na madrugada desta terça-feira (27) terminou com uma falsa comunicação de crime. A travesti G.F.S., de 23 anos, disse que foi assaltada por T.A.N., de 39 anos, mas na verdade não houve este crime. O celular da suposta vítima havia sido perdido e a bolsa de G.F. estava com uma amiga.

Em patrulhamento pela avenida Magalhães Pinto, uma viatura da Polícia Militar foi abordada por uma travesti. Ela alegou que saiu para fazer um programa com um cliente em um VW Polo. Os dois foram para uma área nos fundos da conhecida “rodoviária velha”.

No local, o cliente teria sacado uma faca e mandado que a vítima entregasse o telefone celular e a bolsa contendo alguns objetos pessoais. Após subtrair os pertences, o acusado teria mandado a travesti desembarcar e fugiu em seguida no sentido à avenida Magalhães Pinto.

A travesti, na tentativa de identificar o autor que já havia sido visto na região, deparou com o carro do suspeito estacionado na avenida Magalhães Pinto. Os policiais levantaram que o veículo está registrado em nome da mãe do suspeito, mas no endereço cadastrado não havia ninguém. O VW Polo foi removido ao pátio credenciado pelo Detran.

Já na parte da manhã, o acusado do roubo foi localizado pelos policiais militares, mas a história foi bem diferente. T.A. alegou que encontrou com a travesti em um posto de combustíveis na madrugada de segunda-feira (26). Os dois saíram em companhia de uma amiga de G.F. até o bairro Caladinho, e depois retornaram ao posto onde a travesti foi deixada.

A até então vítima foi localizada e confirmou os dizeres de T., acrescentando que ao desembarcar do carro, notou que havia perdido o telefone celular. Ela alega que tentou falar com o homem para verificar se o objeto estava no carro, mas o motorista não teria escutado. A travesti revelou que não houve ameaças com arma (faca) e nem o roubo.

G.F. disse que inventou a história por estar nervosa. A bolsa, que teria sido também levada no falso roubo, na verdade ela descobriu que estava com uma amiga. Diante da situação, a travesti recebeu voz de prisão e foi encaminhada para a delegacia de Polícia Civil de Coronel Fabriciano por falsa comunicação de crime.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Dr Carlos

27 de abril, 2021 | 18:31

“Que história mal contada heim ........”

Envie seu Comentário