07 de abril, de 2021 | 10:00

Leitores denunciam consumo de bebida e aglomeração em praças de Timóteo

Enviado por leitor
Situação foi flagrada por leitores do Diário do AçoSituação foi flagrada por leitores do Diário do Aço

Uma situação que contraria as determinações sanitárias e de combate à covid-19 foi flagrada por leitores do Diário do Aço. Em plena manhã de terça-feira (6), um grupo de empregados de uma empresa de Timóteo reuniu-se após sua jornada de trabalho (zero hora), aglomerando na praça do Inox, em frente a uma padaria, no bairro Centro Norte. Outro flagrante foi no “quiosque do carteado”, na praça 1º de Maio.

Conforme preconiza a Onda Roxa do Governo do Estado de Minas Gerais, que prevê medidas mais restritivas no combate à pandemia da covid-19, o estabelecimento, ainda que não seja essencial, pode vender a bebida e o cliente fazer a retirada, mas o consumo não pode ocorrer nas dependências daquele local. A deliberação do estado proíbe aglomeração, por sua vez, reunião de grupos que tenham mais de uma pessoa.

Os populares que presenciaram a situação relataram que todos (em média seis pessoas), estavam uniformizados. “No momento em que os números de óbitos estão em escala crescente, deparar com comportamentos irresponsáveis de empregados treinados e que tem as melhores informações e treinamentos sobre saúde e segurança terem práticas antagônicas depois que saem de dentro da fábrica é de doer o coração”, ressalta um popular que não quis se identificar.

A reportagem não teve acesso aos nomes das pessoas envolvidas no aglomeração, mas a Polícia Militar foi acionada e no momento que chegou ao local, os empregados já haviam deixado o espaço.

Carteado

Outro flagrante foi feito em um quiosque localizado na praça 1º de Maio, bem em frente a Igreja de São José Operário. No local, idosos são vistos diariamente nas mesas jogando carteado.

Denúncias

Para denunciar situações como a relata acima, os cidadãos podem ligar para o telefone 99499-3236, contato da fiscalização sanitária da Prefeitura de Timóteo. No município, eventos clandestinos e festas com aglomerações têm sido alvo do poder público. No início deste mês, a comunicação da administração municipal informou que a fiscalização interrompeu um baile funk no distrito de Cachoeira do Vale, onde mais de 30 pessoas estavam reunidas. As equipes foram acionadas e, com o apoio da Polícia Militar, encerraram a atividade.

Conforme o governo local, um dos principais problemas enfrentados são as festas clandestinas em sítios, situação que será acompanhada de perto pelas equipes em Timóteo. Conforme boletim epidemiológico divulgado pelo município nesta terça-feira, 9.076 pessoas foram contaminadas pela covid-19, 8.306 se recuperaram, mas 239 perderam a vida por causa da doença desde o início da pandemia. Nas últimas 24 horas, 58 moradores foram contaminados e oito morreram nesse mesmo período.

Onda Roxa

O governo de Minas Gerais anunciou a prorrogação da Onda Roxa em 815 das 853 cidades do estado, até o dia 11 de abril. Antes a medida estava estabelecida até o dia 4. No dia 5, o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Gilson Soares Lemes; o secretário de governo do Estado, Mateus Simões; o advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa; e o procurador-geral de Justiça adjunto, Carlos André Bittencourt e o deputado estadual Bruno Engler (PRTB-MG) chegaram a um acordo para suspensão do toque de recolher em todo estado e permissão de reuniões familiares a partir da noite de segunda-feira (5). A medida restringia a circulação de pessoas entre 20h e 5h.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Leite

07 de abril, 2021 | 19:22

“Vao cuidar das suas vidas......”

Matheus

07 de abril, 2021 | 12:59

“De que adianta sacrificar a economia? As pessoas não estão nem ai. Abre tudo e morre quem tiver que morrer.”

Gilberto

07 de abril, 2021 | 12:41

“Bando de inconsequentes! Vão beber em casa! Igual igreja! Da o dízimo via Pix! Isso é porque só 4000 pessoas morreram ontem! Foi a população de Marliéria e Jaguaraçu juntas!”

Jordan Conceiçao

07 de abril, 2021 | 12:08

“Ai a culpa é do Prefeito? O Cidadão não tem consciência! Difícil demais!”

Envie seu Comentário