01 de abril, de 2021 | 15:45

Atletas da Usipa com Transtorno do Espectro do Autismo celebram Dia Mundial de Conscientização

Arquivo pessoal
Arthur, que é um dos atletas diagnosticados com TEA da Usipa, joga vôlei com a mãe, Wanízia Arthur, que é um dos atletas diagnosticados com TEA da Usipa, joga vôlei com a mãe, Wanízia

No Dia Mundial de Conscientização do Autismo, 2 de abril, a Usipa celebra a oportunidade de ter entre seus atletas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) histórias de superação por meio do esporte. Esta celebração será realizada durante todo o mês, com diversas atividades voltadas para o tema, informa a Usipa.

Uma dessas histórias é do Arthur Emanuel Soares dos Anjos, de 12 anos, atleta do voleibol. Sua mãe, Wanízia Conceição Soares, relata a melhora no desenvolvimento e qualidade de vida do filho, diagnosticado com TEA aos seis anos, e também a dela, que junto com ele se dedicou ao esporte como forma de incentivo.

“Quando fez oito anos, colocamos Arthur na natação da Usipa para ajudar na socialização e também na coordenação motora dele. Eu nunca gostei de piscina, mas me matriculei também e juntos fizemos aulas durante um ano. Foi um desafio e um período de muito aprendizado para nós dois”, contou a mãe.

Após a natação, Wanízia e Arthur fizeram academia e, por opção dele, ingressaram no voleibol da Usipa. Para isso houve uma preparação especial, pois um dos aspectos das pessoas com autismo é a dificuldade de adaptação em novos ambientes e o incômodo com barulhos altos, além da sensibilidade ao toque. Praticar um esporte de contato é muito difícil para alguns deles.

Mas, superando as barreiras, Arthur se integrou à equipe e tem trabalhado suas dificuldades junto aos professores e colegas de quadra. Wanízia também está praticando o esporte na Usipa e sua performance em quadra também a ajuda nos treinos que faz em casa, com o filho.

“Estive em um treino dele e fiquei emocionada. Vê-lo em quadra, com todo aquele barulho, todos os colegas cumprimentando ele, os desafios dele sendo superados e ele sendo feliz, quem ganhou aquele jogo fui eu. Foi um prêmio para mim e tenho certeza que para os professores e amigos dele também. Só tenho a agradecer por todo o apoio e incentivo do clube”, finalizou.

Autismo e esporte

O educador físico e coordenador do Departamento de Voleibol da Usipa, Deivid Alves, ressalta a importância do esporte para as crianças diagnosticadas com TEA. “A atividade esportiva deve ser incentivada desde a descoberta do TEA, pois traz benefícios tanto para o desenvolvimento físico como para as funções cognitivas das crianças. No caso de crianças com autismo, o esporte ganha mais relevância, atuando como uma terapia de estimulação cerebral e habilidades motoras”.

Deivid reforça que também melhora as funções cognitivas, maior habilidade motora, melhora a atenção e o equilíbrio, condicionamento físico, incentiva o momento de brincar, interação social, autoestima e independência.

Atividades

Durante o mês de abril, a Gerência de Esportes da Usipa preparou junto com os departamentos atividades voltadas para o tema de conscientização sobre o Transtorno do Espectro do Autismo. A primeira será um bate papo virtual dos professores com uma psicóloga convidada e depoimentos de pais falando sobre o autismo.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário