28 de fevereiro, de 2021 | 10:00

Obras na BR-381 estão paradas há meses em trechos do lote 3.1

Alex Ferreira
Tuneis em Sá Carvalho estão concluídos há oito anos e a ligação com o restante da rodovia está parada Tuneis em Sá Carvalho estão concluídos há oito anos e a ligação com o restante da rodovia está parada

Motoristas aguardam ansiosamente pelo fim das obras de duplicação da BR-381, que visam melhorar o tráfego entre o Vale do Aço e Belo Horizonte. No entanto, esse sonho pode demorar ainda mais para ser concretizado. A reportagem do Diário do Aço esteve em trechos das obras da BR-381, pertencentes ao lote 3.1, e constatou que a duplicação está parada em alguns pontos há cerca de seis meses, conforme já havia sido apontado por leitores insatisfeitos com as condições da rodovia.

Os trechos observados pela reportagem do Diário do Aço, em que não havia mais sinais de canteiro de obras e movimentação de máquinas e trabalhadores vão do trevo de Jaguaraçu, passa pelo viaduto do ribeirão Oncinha, já em Antônio Dias, até a entrada do Túnel Piracicaba e o dos túneis até o novo viaduto do ribeirão Severo, onde começou a ser construída uma variante para desativar a atual passagem sob a Estrada de Ferro Vitória/Minas. A previsão é que as obras sejam retomadas dentro de três semanas.

Com as obras paradas, o trecho da BR-381 é marcado por desvios e estreitamento da pista em vários pontos. Motoristas que precisam passar pela rodovia diariamente reclamam dos transtornos que nunca acabam.

Resposta

Procurado pelo Diário do Aço, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou, por meio de nota, que atualmente, no lote 3.1, estão sendo executados trabalhos de sondagem nos taludes e solução de pendências ambientais. “A previsão é de retomada do ritmo normal das obras, após uma análise e estudo das sondagens nos taludes e das Revisões de Projeto em Fase de Obras, relativo à ponte do Prainha”, afirmou.

Alex Ferreira
O viaduto do ribeirão Oncinha também está concluído e obras para a ligação à rodovia paradas desde o ano passado O viaduto do ribeirão Oncinha também está concluído e obras para a ligação à rodovia paradas desde o ano passado
“Ritmo mais lento”

Em entrevista ao Diário do Aço, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) Regional Vale do Aço, Flaviano Gaggiato, que tem acompanhado a execução das obras de duplicação da BR-381, salientou que os serviços referentes ao lote 3.1 não estão totalmente parados. “As obras estão com o ritmo mais lento, até mesmo por questão da chuva dessa época do ano. Pelo que fiquei sabendo, está sendo feito um acerto no contrato entre o Dnit e a Construtora Brasil, responsável pelas obras no local, porque houve desmoronamento em trechos em Antônio Dias e os reparos necessários são maiores do que os previstos no contrato. Portanto, é aguardado um acerto contratual para resolver essa questão, mas vale ressaltar que as obras não chegaram a parar. E a previsão de término dos serviços é para agosto e setembro deste ano”, disse.

Concessão

De um total de dez lotes da duplicação da BR-381 entre a capital e Governador Valadares, há obras somente nos lotes 3.1, entre Jaguaraçu e Antônio Dias e no lote 7, entre o Rio Una e Caeté.

O governo federal já anunciou para 2021 a concessão da BR-381, assim como a concessão da BR-262, entre Minas Gerais e o Espírito Santo. Caberá às empresas que vencerem a licitação das duas rodovias o desenvolvimento de projetos de duplicação. O financiamento será providenciado com a cobrança de pedágios.



Deputado solicita intervenção na BR-381



Em uma postagem recente nas mídias sociais, o deputado estadual, Celinho do Sinttrocel (PCdoB), divulgou que encaminhou ao Superintendente Regional do Dnit, Gustavo Frederico Boerger, e ao presidente da empresa Construtora Brasil, Rafael Vasconcelos, ofícios nos quais solicita intervenção urgente no trecho para a melhoria do tráfego e trânsito local.

O parlamentar informou que “vem recebendo muitas reclamações sobre a falta de manutenção no trecho entre o trevo de Jaguaraçu e Nova Era, sendo necessárias intervenções como tapa-buracos, liberação da terceira pista, divisas, contenções entre outras”.

O deputado também salienta que “o objetivo é garantir a segurança para os usuários e amenizar o transtorno causado pelas obras, no trecho referido, enquanto as obras de duplicação propriamente dito sejam reiniciadas no local”.

Alerta sobre a situação

Em outubro do ano passado, o deputado já havia alertado que as obras de duplicação da BR-381 no lote 3.1, em Antônio Dias, estavam paradas. Ciente desta situação, Celinho Sinttrocel encaminhou ofício ao superintendente do Dnit, Gustavo Frederico Boerger, solicitando informações sobre esta situação e um prazo para a retomada das obras. Na época, o superintendente da autarquia informou ao deputado que as obras foram interditadas para a adequação do projeto, em função dos deslizamentos, rompimentos de cortinas e das rupturas de maciços ocorridos no lote 3.1 em 14 pontos diferentes.

Alex Ferreira
Construção de novo viaduto sobre a EFVM, ao lado da ribeirão Severo está parada desde o fim de 2020  Construção de novo viaduto sobre a EFVM, ao lado da ribeirão Severo está parada desde o fim de 2020

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomo[email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

28 de fevereiro, 2021 | 19:41

“Ta quem nem a situação do aeroporto de Ipatinga! Uma hora sai... mas essa hora nunca chega!”

Josué

28 de fevereiro, 2021 | 13:07

“O DNIT concentrou os escassos recursos para a finalização do lote 7. Enquanto isso as obras no lote 3.1 foram paralizadas desde meados de 2020. No ritmo atual a rodovia estará totalmente duplicada em 2050.”

Envie seu Comentário