19 de fevereiro, de 2021 | 17:17

PL que propõe obrigatoriedade de tapete sanitizante no comércio de Ipatinga será retirado de discussão na Câmara

Divulgação
Projeto de lei foi tema de reunião na AciapiProjeto de lei foi tema de reunião na Aciapi

A Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ipatinga receberam, na tarde desta sexta-feira (19), a vereadora Cecília Ferramenta (PT). No encontro, foi debatido o Projeto de Lei 17/2021, de autoria da parlamentar, que trata sobre a obrigatoriedade de tapete sanitizante e de dispensadores de álcool em gel na entrada dos estabelecimentos comerciais no município.

Na avaliação do presidente da Aciapi, Cláudio Zambaldi, colocar como obrigatório o uso de tapete sanitizante no comércio não seria algo acessível no momento para muitos lojistas e empresários. “Desde março do ano passado, a classe empresarial passou por diversas dificuldades causadas pela pandemia de covid-19 e ainda enfrenta muitos desafios, como a queda no volume de vendas. Com isso, acrescentar mais esse custo para o empresário ficaria algo bastante inviável”, afirmou.

Na reunião com a vereadora, Cláudio Zambaldi ressaltou que muitas lojas estão com dificuldades, mas mesmo assim, estão arcando com custos das demais medidas preventivas, como compra de álcool em gel, de máscaras e de material de limpeza para reforçar a higienização do estabelecimento. “Boa parte das lojas de Ipatinga são de pequeno porte, não tendo muita aglomeração em seu interior. Além disso, o piso das lojas já é limpo constantemente, mesmo antes da pandemia, para receber melhor os clientes e deixar o ambiente com uma melhor aparência. Portanto, não teria a necessidade de colocar como obrigatório o uso do tapete sanitizante para todo o comércio”, disse.

Entendimento

O presidente da CDL de Ipatinga, Amaury Gonçalves, informou que após a conversa com a vereadora Cecília Ferramenta na sede das entidades, a parlamentar entendeu que seria melhor retirar o PL 17/2021 para discussão na Câmara de Ipatinga. “Ela compreendeu o momento difícil que a classe empresarial está passando e que seria uma despesa adicional, sendo que todos os protocolos já estão sendo cumpridos contra o coronavírus. Agora o que nós temos que fazer no momento, em conjunto com o poder público, é reforçar o trabalho de conscientização junto à população, já que muitas pessoas não estão obedecendo as medidas preventivas necessárias para abaixar a taxa de transmissibilidade do vírus”, enfatizou.

Com a decisão de retirar o projeto, os representantes das entidades empresariais agradecem a vereadora Cecília Ferramenta pela sua atitude e reforçam que estão sempre dispostos para dialogar.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário