17 de fevereiro, de 2021 | 13:45

ARMVA propõe desafio para aceleração de startups

Divulgação

O programa Seed - Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development foi reformulado para continuar impulsionando o ecossistema mineiro de startups e desenvolvimento do Estado. Nesta edição, as startups aceleradas pelo Seed também poderão contribuir para solução de desafios públicos de Minas Gerais. Assim, a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço (ARMVA) entrou com um desafio proposto no edital da 6ª rodada de aceleração de startups do programa. As inscrições para o chamamento público encerram no dia 26 deste mês. Para realizar a inscrição ou visualizar o edital na íntegra, acesse o site www.seed.mg.gov.br.

O desafio da ARMVA é buscar uma solução de tecnologia capaz de tornar as vistorias de uso e ocupação do solo, já realizadas pela Agência, mais efetivas e com melhor planejamento. O intuito é que a solução agilize os procedimentos da fiscalização como consultas de informações pertinentes à área fiscalizada e a realização do auto de infração. O edital convida os interessados a apresentarem projetos com soluções tecnológicas também para outros gargalos da gestão pública. Ao todo, 22 instituições inscreveram 105 propostas, sendo 37 aprovadas para pautar as startups selecionadas para a 6ª rodada.

O Programa

Serão aceleradas até 60 startups, a partir da divisão em duas temáticas: I - com até 54 startups selecionadas para soluções a desafios da gestão pública; e II - com tema aberto, que terá de seis a 12 vagas, a depender do número de aprovadas na Temática I.

A rodada do Seed será on-line devido à pandemia e terá duração de seis meses, entre maio e setembro deste ano. Em julho, haverá a eliminação de dez startups. Aquelas que concluírem o programa terão recebido, ao final, um montante de R$80 mil, livre de participação, para o desenvolvimento de seu negócio.

O grande diferencial desta edição é que empreendedores que possuem registro do CNPJ MEI – Microempreendedor Individual – podem concorrer ao edital. Com isso, também passam a poder participar startups brasileiras formalizadas com ao menos dois sócios (sendo maiores de 18 anos) e, ainda, as startups com apenas um sócio, desde que estejam formalizadas como Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) ou Sociedade Limitada Unipessoal (SLU).
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário